Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/91121
Title: Nem Luz Pura, Nem Sombra: “Nostalgia da Luz” como Documentário Poético Politizado
Authors: Branco, Sérgio Dias 
Keywords: Chile; Ciência; Cinema documental; Memória
Issue Date: 2020
Publisher: Imprensa da Universidade de Coimbra
Serial title, monograph or event: Visões da Luz
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: Com “Nostalgia da Luz” (“Nostalgia de la luz”, 2010), Patricio Guzmán continua e desenvolve uma obra documental em torno da inscrição da memória da ditadura militar fascista de Augusto Pinochet no Chile atual. Enquanto astrónomos buscam as origens da humanidade nos astros a partir do deserto de Atacama, há mulheres que procuram os restos mortais dos seus familiares no mesmo lugar. Mostrando as relações entre a ciência e o passado, por um lado, e a arte e o passado, por outro, o filme mistura e liga, caldeia, o sentido literal e o sentido figurado. Receber luz das estrelas longínquas e lançar luz sobre o destino das vítimas da ditadura são duas formas complementares de criar conhecimento e de procurar esclarecimento. “Nostalgia da Luz” opta pelo modo documental poético que Bill Nichols descreveu, mas problematiza a forma como ele o define. Ainda que trabalhe ritmos temporais e justaposições espaciais através de associações e padrões, dando prioridade ao tom, ao ambiente, à textura, à afeção, o filme inclui demonstrações de conhecimento e atos de persuasão, ampliando a componente retórica que costuma ser reduzida neste modo documental. Esta singular característica está relacionada com a sua perspetiva politizada, correspondendo à necessidade, articulada por Walter Benjamin, da politização da arte contra a estetização da política no combate contra o fascismo. A composição poética surge a par da dimensão da lembrança, da memória que a humanidade carrega consigo sem conhecer, da memória que as gentes chilenas não querem esquecer, investigando-a, reconstituindo-a. Em “Nostalgia da Luz”, que podemos descrever com rigor como um documentário poético politizado, nem a poesia é um adorno, nem a politização é um acrescento. São modos de perspetivar a realidade viva que o filme salienta como emergindo da reali-dade como história vivida.
URI: http://hdl.handle.net/10316/91121
ISBN: 978-989-26-1818-0
DOI: 10.14195/978-989-26-1819-7
Rights: openAccess
Appears in Collections:FLUC Secção de Artes - Livros e Capítulos de Livros

Files in This Item:
File Description SizeFormat
2020_Nem.Pura.Luz.Nem.Sombra.pdf547.26 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

3
checked on Oct 27, 2020

Download(s)

4
checked on Oct 27, 2020

Google ScholarTM

Check

Altmetric

Altmetric


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.