Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/27359
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorFerreira, Pedro Lopes-
dc.contributor.authorFonseca, Rui Manuel Passadouro da-
dc.date.accessioned2014-10-20T15:12:38Z-
dc.date.available2014-10-20T15:12:38Z-
dc.date.issued2014-09-22-
dc.identifier.citationFonseca, Rui Manuel Passadouro da - Satisfação profissional nas USF da ARS Centro : fatores intrínsecos e extrínsecos do trabalho, Coimbra, 2014.por
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10316/27359-
dc.descriptionDissertação de mestrado em Gestão e Economia da Saúde, apresentada à Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, sob a orientação de Pedro Lopes Ferreira.por
dc.description.abstractA satisfação profissional tem sido alvo de um crescente interesse por parte dos investigadores, motivados pelas consequências que pode proporcionar na saúde e qualidade de vida dos trabalhadores e nas organizações, com reflexos nos seus níveis de produtividade. No setor da saúde, a diminuição da produtividade e da qualidade dos serviços poderá influenciar o nível de saúde das populações, facto que levou a Comissão Europeia a propor, em 2001, que a “satisfação profissional” fosse encarada como uma variável da qualidade do trabalho. Em consonância com esta perspetiva, o presente estudo teve como objetivo geral determinar a satisfação profissional nas Unidades de Saúde Familiar (USF), da Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC). A partir deste, pretendeu-se, também, compreender a relação entre (i) a satisfação profissional e os fatores sociodemográfico, (ii) os fatores organizacionais, (iii) o modelo de desenvolvimentos das USF e (iv) a satisfação global. Relaciona-se, ainda, a satisfação global com (v) a categoria profissional e (vi) com o modelo de desenvolvimentos das USF. Finalmente, relaciona-se a (vii) satisfação profissional com a satisfação com o relacionamento entre equipas, o coordenador e o vencimento. Trata-se de um estudo observacional e transversal, seguindo um modelo de análise descritivo - correlacional. Para a recolha de dados foi utilizado o Instrumento de Avaliação de Satisfação Profissional (IASP), desenvolvido pelo CEISUC, com preenchimento online. Para o tratamento dos dados utilizou-se a aplicação informática Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) na versão 21. A amostra ficou constituída por 514 profissionais de saúde, a exercerem funções nas USF da ARSC, que traduz uma taxa de resposta de 66%, distribuídos pelos três grupos profissionais, do seguinte modo: médicos (39,8%); enfermeiros (34,2%); secretárias clinicas (26,0%), sendo 82% do sexo feminino. Trabalhavam 64,8% em USF do modelo A e 35,2% em USF de modelo B. O nível médio de satisfação profissional encontrado foi de 71,5%. A satisfação com a qualidade da USF, como local de trabalho, foi de 67,4%, com a qualidade na prestação de cuidados de 78,3% e com a melhoria contínua da qualidade de 80,7%. As dimensões, política de recursos humanos e recursos tecnológicos e financeiros, foram sensíveis ao género do respondente, sendo que os profissionais do sexo masculino se manifestaram significativamente mais satisfeitos do que os do sexo feminino. Relativamente à idade, os profissionais mais velhos (≥ 55 anos) estão mais satisfeitos que os mais novos (≤ 44 anos), em relação à qualidade da USF como local de trabalho, em especial no que respeita à política de recursos humanos e aos recursos tecnológicos e financeiros. Em relação à profissão, os médicos e secretários clínicos estão mais satisfeitos que os enfermeiros, nas dimensões relacionadas com o vencimento e equipamento disponível, refletindo-se na avaliação que fazem dos recursos tecnológicos e financeiros e na qualidade da USF como local de trabalho. A satisfação profissional é sensível ao modelo de desenvolvimentos das USF, com os profissionais do modelo B significativamente mais satisfeitos que os do modelo A, sendo a maior diferença da satisfação verificada no vencimento. Em termos de satisfação global, 99,0% afirmaram que recomendariam os serviços da sua USF a familiares ou a amigos, caso necessitassem de cuidados e 98,8% recorreriam, eles próprios, à sua USF se necessitassem de cuidados, não havendo diferença significativa entre os profissionais das USF modelo A e B. Quando questionados, se pudessem voltar atrás, se escolheriam de novo a sua USF para trabalhar, responderam afirmativamente 90,0% dos profissionais das USF modelo A e 98,3% do modelo B. O modelo que melhor representa a satisfação profissional é o que relaciona a satisfação profissional com a satisfação com o coordenador, com o trabalho em equipa e com o vencimento. Os resultados apresentados, relativos às USF da ARSC, revelam um bom nível de satisfação profissional, com os médicos e secretários clínicos mais satisfeitos que os enfermeiros, e os profissionais das USF modelo B mais satisfeitos que os do modelo A. Os recursos tecnológicos e financeiros são a subdimensão com o menor nível de satisfação devido, sobretudo, ao baixo nível de satisfação com o vencimento. Tendo em consideração as sugestões dos profissionais, recomenda-se um maior investimento dos órgãos de gestão dos ACeS na melhoria dos equipamentos e instalações e, especialmente, no estreitamento das relações com o pessoal a desempenhar funções nas USF. Recomenda-se, ainda, a monitorização periódica do nível de satisfação profissional.por
dc.language.isoporpor
dc.publisherFEUCpor
dc.rightsopenAccesspor
dc.subjectSatisfação profissionalpor
dc.subjectServiço Nacional de Saúdepor
dc.subjectCuidados de saúde primáriospor
dc.subjectUnidades de Saúde Familiarespor
dc.titleSatisfação profissional nas USF da ARS Centro : fatores intrínsecos e extrínsecos do trabalhopor
dc.typemasterThesispor
dc.peerreviewedYespor
dc.identifier.tid201478552-
uc.controloAutoridadeSim-
item.languageiso639-1pt-
item.fulltextCom Texto completo-
item.grantfulltextopen-
crisitem.advisor.deptFaculdade de Ciências do Desporto e Educação Física, Universidade de Coimbra-
crisitem.advisor.researchunitCentre for Health Studies and Research of the University of Coimbra-
crisitem.advisor.orcid0000-0002-9448-9542-
Appears in Collections:FEUC- Teses de Mestrado
Files in This Item:
File Description SizeFormat
Curriculum Vitæ.pdf1.07 MBAdobe PDFView/Open
SatisfaçãoProfissional.pdf3.29 MBAdobe PDFView/Open
Show simple item record

Page view(s) 5

1,088
checked on Oct 20, 2020

Download(s) 5

6,919
checked on Oct 20, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.