Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/15520
Title: Ansiedade e habilidades psicológicas em atletas de rugby
Authors: Dias, Pedro Gonçalo Pires da Silva 
Orientador: Ferreira, José Pedro Leitão
Gaspar, Pedro
Keywords: Râguebi; Ansiedade--atletas de râguebi; Habilidades psicológicas; Psicologia do desporto
Issue Date: 2005
Abstract: Este estudo teve como objectivo avaliar três domínios psicomotores relevantes em atletas de alta competição: 1.habilidades psicológicas, 2. traço de ansiedade e 3. estado de ansiedade e de apreciar as relações existentes entre sub-escalas destas três dimensões. Procurou ainda discriminar a influência de diversos factores objectivos como idade, anos de experiência, posição em campo, relação entre equipas, participação em mais de 50% dos jogos efectuados pela sua equipa e experiência internacional, sobre as diferentes dimensões das habilidades psicológicas, do traço e do estado de ansiedade competitiva. O estudo incidiu sobre os atletas de nacionalidade portuguesa, que representavam os seis clubes de Rugby masculino do Campeonato Nacional de Seniores da 1ª Divisão. Para a avaliação das dimensões acima referidas recorremos a instrumentos dedicados e previamente validados. As habilidades psicológicas foram apreciadas pelo Questionário de Experiências Atléticas e o traço de ansiedade pelo Questionário de Reacções à Competição, ambos aplicados num treino da equipa. Para apreciação do estado de ansiedade competitiva aplicámos o “Competitive State Anxiety Inventory – 2” (CSAI-2), uma hora antes de um jogo oficial. A análise e tratamento estatístico de dados foi processada com o programa "Statistical Package for Social Sciences" – SPSS para o Windows, versão 13.0. A relação entre variáveis foi apreciada pelo coeficiente de correlação de Pearson A diferença entre médias foi avaliada pelo teste T de Student (amostras independentes) e Oneway ANOVA Foram considerados significativos valores de p≤0,05 Foram incluídos 129 atletas, com uma média de idades de 23,44 ± 3,63 anos (variação 18 a 34). Os resultados do estudo evidenciaram a existência de diversas correlações significativas e potencialmente relevantes, entre diversas sub-escalas das diferentes dimensões psicomotoras apreciadas. A sub-escala de preocupações das habilidades psicológicas apresenta correlação positiva signficativa com o traço de ansiedade, mostrando consistência interna nas respostas. As sub-escalas da concentração, conforto e motivação para a realização apresentam índices de correlação muito baixos com o traço e estado de ansiedade. Globalmente, esta ausência de correlação sugere que traço e estado de ansiedade constituem dimensões independentes, imprevisíveis com base em outras características psicomotoras. Na verdade, a presença Índice _________________________________ - II - de níveis mais elevados de habilidades psicológicas, respeitantes às sub-escalas de confronto com a adversidade, treinabilidade, concentração, confiança e motivação para a realização ou rendimento máximo sobre pressão não permite prever, de per si, níveis mais baixos de ansiedade competitiva. Observámos também a existência de correlações significativas que sugerem um impacto da idade, anos de experiência e internacionalizações sobre algumas dimensões das habilidades psicológicas, do traço e do estado de ansiedade competitiva. Os resultados demonstram que, com a idade e a experiência, os atletas tendem a apresentar maiores capacidades de concentração e de rendimento máximo sobre pressão. Aumentam os índices de confiança, motivação para a realização de tarefas e recursos pessoais de confronto, com menores níveis de preocupações, comparativamente aos atletas mais novos. Em paralelo diminuem os níveis de ansiedade, no que respeita ao traço de ansiedade competitiva, traduzidos por diferenças significativas nas sub-escalas de preocupação e perturbação da concentração. Evidencia-se, ainda, o impacto do factor da auto confiança, no estado de ansiedade. Analisando as habilidades psicológicas em atletas internacionais e não internacionais verificam-se diferenças significativas nas sub-escalas de concentração, confiança, motivação e no rendimento máximo sobre pressão. A diferença entre estes dois grupos na sub-escala de formulação de objectivos e preparação mental aproxima-se da significância estatística. O mesmo se passa com as sub-escalas de preocupação e auto confiança, nas dimensões de traço e estado de ansiedade, respectivamente. Não se observaram relações significativas entre a posição em campo, a relação entre equipas ou a presença em mais de 50% dos jogos, com quaisquer das sub-escalas de habilidades psicológicas, de traço ou de estado de ansiedade competitiva.
Description: Dissertação de licenciatura apresentada à Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/15520
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCDEF - Vários

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Capa.pdf77.63 kBAdobe PDFView/Open
Capítulo I.pdf164.96 kBAdobe PDFView/Open
Capítulo II.pdf252.76 kBAdobe PDFView/Open
Capítulo III.pdf221.6 kBAdobe PDFView/Open
Capítulo IV.pdf355.8 kBAdobe PDFView/Open
Capítulo V.pdf130.81 kBAdobe PDFView/Open
Capitulo VI.pdf88.76 kBAdobe PDFView/Open
Índice.pdf137.02 kBAdobe PDFView/Open
Referências Bibliográficas.pdf21.58 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

302
checked on May 15, 2019

Download(s) 5

5,595
checked on May 15, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.