Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/96481
Title: Avaliação do clima emocional em jovens do acolhimento residencial: Validação de uma medida de autorrelato numa amostra de jovens em risco
Other Titles: Assessment of emotional climate of the youngsters in residential care: Validation of a self-report measure
Authors: Martins, Joana Ferreira
Orientador: Rijo, Daniel Maria Bugalho
Silva, Diana Ribeiro da
Keywords: clima emocional; acolhimento residencial; regulação de afeto; adolescentes; casa de acolhimento; emotional climate; residential care; affect regulation; adolescents; institucionalization
Issue Date: 26-Jul-2021
Serial title, monograph or event: Avaliação do clima emocional em jovens do acolhimento residencial: Validação de uma medida de autorrelato numa amostra de jovens em risco
Place of publication or event: Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
Abstract: O acolhimento residencial visa assegurar a promoção e proteção de crianças e jovens em perigo. Por vezes, esta transição acarreta algumas dificuldades. Estudos desenvolvidos junto da população acolhida documentam impactos negativos em múltiplas áreas e exibem níveis mais elevados de psicopatologia e menor bem-estar subjetivo. Atualmente, regista-se uma mudança no paradigma do acolhimento residencial, em Portugal, que assenta no reconhecimento da necessidade de providenciar experiências emocionais reparadoras às crianças e jovens acolhidos. Tem sido também referido que relações de qualidade com os cuidadores e pares se associam a um maior ajustamento psicológico dos jovens acolhidos. Nesse sentido, o contexto relacional é perspetivado como uma ferramenta terapêutica indispensável. O presente estudo teve como objetivo o desenvolvimento e validação de uma Escala de Avaliação do Clima Emocional para Jovens em Acolhimento Residencial (EACEAR-J; Santos et al., 2021), a partir da adaptação da Escala de Avaliação do Clima Emocional em Sala de Aula (EACESA; Albuquerque et al., 2019). Esta medida de autorrelato, baseia-se no modelo dos três sistemas de regulação do afeto e pretende avaliar como é os jovens se sentem e percecionam o ambiente na Casa de Acolhimento. A amostra foi constituída por 366 participantes, 130 (35,5%) do sexo masculino e 236 (64,5%) do sexo feminino, com idades entre os 12 e os 24 anos (M=15,94; DP=2,11). A dimensionalidade da escala foi testada através de uma Análise Fatorial Confirmatória, que indiciou uma estrutura trifatorial, que avalia o construto em função dos três sistemas de regulação de afeto: threat, drive e safeness-soothing. Observou-se um nível adequado de consistência interna (threat α = .71; drive α = .89; safeness-soothing α = .82). A estabilidade temporal mostrou-se baixa a moderada, o que sugere que a medida é sensível a fatores contextuais. No que concerne à validade do construto em relação a variáveis externas relevantes, constatou-se que a dimensão threat se relacionou negativamente com o afeto positivo, experiências atuais de calor e segurança, proximidade e ligação aos outros e postura autocompassiva. Apresentou uma relação positiva com a postura autocrítica, problemas internalizantes e externalizantes e afeto negativo. A dimensão drive relacionou-se positivamente com o afeto positivo e negativamente com o afeto negativo e problemas internalizantes. A dimensão safeness-soothing relacionou-se positivamente com o afeto positivo, experiências atuais de calor e segurança e proximidade e ligação aos outros. Apresentou uma relação negativa com o afeto negativo e atitude autocrítica. Uma vez que a medida revelou ser invariante em relação ao sexo, procedeu-se à comparação de médias latentes entre rapazes e raparigas em acolhimento residencial. As raparigas revelaram níveis estatisticamente superiores na dimensão de threat, comparativamente aos rapazes. Em conclusão, a EACEAR-J poderá constituir-se um instrumento fiável e válido para o uso no contexto do acolhimento residencial, inclusive para a investigação, providenciando informações relevantes acerca do clima emocional.
Residential care is a welfare response aiming to ensure the protection of children and adolescents at risk. Yet, the placement in an institution can be difficult for some youngsters. Research suggests that children and adolescents in residential care present several negative outcomes, such as higher rates of psychological disorders and lower subjective well-being. Currently, in Portugal, a change in the paradigm of residential care is emerging. Given the associations between the quality of relationships with caregivers and peers with better psychological adjustment of adolescents in RYC, the need to repair the emotional experiences of children and adolescents has been highlighted. Thus, the relational context can be used as an important therapeutic tool. In the present study, a scale was developed to measure the emotional climate of the youngsters in residential care, based on the Portuguese Classroom Emotional Climate Assessment Scale (EACESA; Albuquerque et al., 2019). This measure encompasses the three affect-regulation systems. Participants were 130 (35,5%) males and 236 (64,5%) females with ages ranging from 12 to 24 years old (M = 15,94; DP = 2,11). Dimensionality was tested using a Confirmatory Factor Analysis, and a trifactorial model was found, suggesting that emotional climate can be evaluated according to the three affect-regulation systems: threat, safeness-soothing and drive. Adequate internal consistency values were found (.71 for threat, .89 for drive and .82 for safeness-soothing). Test-retest reliability was low to moderate, suggesting that the measure is sensitive to contextual factors. Regarding construct validity in relation to external variables, was found that threat was negatively associated with positive affect, current experiences of warmth and safeness, social safeness and pleasure and self-compassion. In contrast, it was negatively associated with self-criticism, internalizing and externalizing problems and negative affect. Drive was positively associated with positive affect and negatively associated with negative affect and internalizing problems. Safeness-soothing was positively associated with positive affect, current experiences of warmth and safeness and social safeness and pleasure. It was negatively associated with negative affect and self-criticism. The Residential Care Home Emotional Climate Assessment Scale (EACEAR-J; Santos et al., 2021) showed to be gender invariant, which allowed for further comparisons, with females showing a higher level of threatening emotions. To conclude, this measure may be useful to the context of residential care, as well for research purposes, giving information about the emotional climate of the residential care home.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Psicologia apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
URI: http://hdl.handle.net/10316/96481
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
JoanaMartins_2016243038.pdf1.06 MBAdobe PDFEmbargo Access    Request a copy
Show full item record

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons