Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/94614
Title: Quem são os trabalhadores mais velhos? Representações sociais dos trabalhadores mais novos
Other Titles: Who are toward older workers? Social representations from younger workers
Authors: Antunes, Ana Filipa Soares
Orientador: Miguel, Isabel Cerca
Valentim, Joaquim Manuel Pires
Keywords: Representações sociais; Envelhecimento; Trabalho; Trabalhadores mais velhos; Idadismo; Social representations; Aging; Work; Toward older workers; Ageing
Issue Date: 28-Feb-2020
Serial title, monograph or event: Quem são os trabalhadores mais velhos? Representações sociais dos trabalhadores mais novos
Place of publication or event: FPCE
Abstract: A presente investigação teve como principal objetivo compreender quais as representações sociais que os trabalhadores mais novos possuem acerca dos trabalhadores mais velhos, bem como o papel que as organizações detêm neste âmbito. Realizaram-se 24 entrevistas semiestruturadas e os dados foram alvo de uma análise de conteúdo. Os resultados indicam que, embora com grande consenso nos critérios para a definição de um trabalhador sénior, os limites temporais são bastante discrepantes. Ademais, existe uma visão paradoxal dos colaboradores mais velhos, já que, por um lado, são reconhecidos pela transmissão de conhecimentos, know-how, maturidade e conhecimento da cultura e sistema organizacional e, por outro lado, são percecionados pela difícil predisposição à mudança, pela falta de literacia digital e por um crescente comodismo, interligando-se, assim, à perda de capacidades. Este quadro despoleta várias atitudes entre as várias faixas etárias no trabalho e, entre elas, o idadismo assume destaque. Por fim, maioritariamente, é explicitado que existe uma falha das organizações na adaptação e gestão da idade. Estes dados reportam, portanto, ao conteúdo das representações sociais dos trabalhadores seniores – objetivação –, que se encontra ancorado ao grupo específico dos trabalhadores mais novos.XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX
The present research had as main goal to understand which social representations younger workers have about older workers, as well as the role that organizations play in this field. 24 semi structured interviews were carried out and the data were subjected to content analysis. The results indicate that, although there is a large consensus on the criteria that defines a senior worker, the time limits are quite discrepant. Furthermore, there is a paradoxical vision of older employees, since, on one hand, they are recognized by the knowledge transmission, know-how, maturity and knowledge about culture and organizational system, and, on the other hand, they are perceived by the difficult predisposition to change, by the lack of digital literacy and by a growing complacency thus interconnecting with skills loss. This picture triggers various attitudes among the various age groups at work and, among them, ageism assumes prominence. Finally, it is mostly made that organizations fail to adapt and manage age. The data therefore refers to the content of the social representations of senior workers – objectivation– which is anchored to the specific group of younger workers.XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Psicologia apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
URI: http://hdl.handle.net/10316/94614
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Tese.pdf953.45 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

57
checked on Aug 17, 2022

Download(s)

50
checked on Aug 17, 2022

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons