Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/918
Title: Análise da intervenção do inibidor a 1 das proteases (IA1P) nas respostas inflamatórias e imunitária: Estudos na População Portuguesa
Authors: Rosa, Manuel Amaro dos Santos 
Keywords: Patologia
Issue Date: 1989
Abstract: Introdução (páginas 1-162); É feita uma revisão geral sobre o Inibidor a 1 das Proteases (IA1P), subordinada aos seguintes temas: 1 - Nomenclatura (1-1); 2 - Estrutura Molecular (1-8); 3 - Propriedades Fisicoquímicas Gerais (8-10); 4 - Polimorfismo Genético (10-27); 5 - Fisiologia (27-76); 6 - Fisiopatologia (76-95); 7 - Interesse Clínico do Estudo das PRI (95-153); 8 - Métodos de Estudo (153-163). Material e Métodos (163-202). Neste capítulo são descritas as condições de selecção das amostras biológicas (selecção aleatória, abrangendo o Norte, Centro e Sul de Portugal), a recolha de informações individuais (através de inquérito clínico, especialmente dirigido para o sector pulmonar, e da obtenção de dados objectivos individuais - idade, peso, altura, pressão arterial, etc.), a análise funcional ventilatória pulmonar, a colheita sanguínea e a tipagem eritrocitária ABO e Rh, a avaliação da resposta imunitária celular (a partir de testes cutâneos de hipersensibilidade retardada), o tratamento inicial das amostras sanguíneas, em especial a separação do soro e o seu armazenamento por congelação, e as análises laboratoriais. Destas são descritos os passos técnicos e as condições de trabalho da determinação das proteínas totais, pelo método do biureto, do proteino-grama electroforético em acetato de celulose, do doseamento de proteínas específicas (IgG, IgA, IgM, C3, C4, IC1, FB, ALB, TRF, IA1P, AGP, A2M, HPT e PCR) por nefelometria computorizada, do doseamento da IgE por método imunoenzimático, da determinação da capacidade inibidora da tripsina por espectrofotometria e da fenotipagem do IA1P por diferentes variantes metodológicas de focagem isoeléctrica. São, também, enunciadas as características dos controlos de qualidade analítica utilizados e a aplicação de métodos estatísticos ao estudo das variações dos parâmetros biológicos e do próprio controlo de qualidade analítica laboratorial. Resultados (203-374), Discussão (375-404) e Conclusões (405-416). Depois da apresentação pormenorizada dos resultados do controlo de qualidade analítica, definem-se as principais características gerais dos grupos populacionais estudados: Grupo I (929 indivíduos, clinicamente normais) Grupo II (155 Alunos da Universidade de Coimbra) Grupo III (17 indivíduos, portadores de patologia reumatológica) Grupo IV (18 casos de enfarte agudo do miocárdio) Grupo V (32 indivíduos, portadores de cancro brônquico) Grupo VI (16 casos de portadores de imunoproliferações mono-clonais). Em seguida são apresentados e discutidos os resultados obtidos em cada um destes grupos, de que se salientam os seguintes aspectos: Valores de referência do IA1P - verificaram-se dependentes da idade e do sexo, sendo os níveis mais baixos correspondentes às idades de instauração da patologia pulmonar dependente da deficiência deste inibidor. Influências do hábito tabágico na capacidade funcional do IA1P - a exposição passiva ao fumo de tabaco não alterou a capacidade funcional do IA1P, e mesmo o tabagismo activo apenas condicionou, para certas cargas tabágicas, uma diminuição significativa da CIT/g IA1P. Expressão fenotípica do IA1P- encontrou-se uma frequência muito alta para o alelo S (0,1517) e moderada para o Z (0,0095). A frequência do PiS diminuia do Norte para o Sul e a do PiZ atingia o máximo no Norte e o mínimo no Centro de Portugal. O subfenotipo M1 foi o mais frequente, logo seguido do M1M2, havendo um aumento progressivo dos M1 e M2 do Norte para o Sul e uma diminuição dos M4, embora sem significado estatístico. Relação do IA1P com a resposta inflamatória - teve expressões muito diferentes nos vários grupos estudados, embora se mantivesse como constante a correlação acentuada com a HPT. O estudo conjunto das diversas proteínas da resposta inflamatória permitiu afirmar uma individua-lização da resposta inflamatória a cargo de cada PRI. Relação do IA1P com a resposta imunitária - apresentou um aspecto dicotómico, salientando-se a elevação das concentrações das Igs e o aumento da hipersensibilidade cutânea retardada nos deficitários em IA1P, sugerindo uma possível acção imunossupressora desta proteína, mesmo em situação fisiológica. Conclui-se pelo elevado interesse do estudo do IA1P, especialmente tendo em conta a sua acção fisiopatológica multifacetada e a possibilidade actual de terapêutica específica substitutiva para a patologia pulmonar dependente do desequilíbrio do balanço protease/antiprotease e, portanto, da sua deficiência genética.
URI: http://hdl.handle.net/10316/918
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Doutoramento

Show full item record

Page view(s)

68
checked on Sep 16, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.