Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/89537
Title: O papel protetor das variáveis contextuais na relação entre pensamento repetitivo negativo e perturbação psicológica.O
Other Titles: The protective role of contextual variables in the relationship between repetitive negative thinking and psychological distress
Authors: Peixoto, Joana Filomena Faria
Orientador: Santos, António João Ferreira de Macedo e
Martins, Maria João Ruivo Ventura
Keywords: Pensamento Repetitivo Negativo; Auto-compaixão; Sofrimento Psicológico; Mindfulness; Compreensão; Repetitive Negative Thinking; Self-Compassion; Psychological distress; Mindfulness; Warmth/Understanding
Issue Date: 10-Jan-2019
Serial title, monograph or event: O papel protetor das variáveis contextuais na relação entre pensamento repetitivo negativo e perturbação psicológica.O
Place of publication or event: Universidade de Coimbra
Abstract: O Pensamento Repetitivo Negativo (PRN) tem sido definido como um processo auto- reflexivo, isto é, cognições sobre o pensamento e experiências do próprio, geralmente associado a emoções negativas. É caracterizado por ser repetitivo, intrusivo e difícil de ignorar. O PRN tem duas formas típicas de apresentação: a preocupação e a ruminação. A auto-compaixão, definida como a capacidade de aceitar o próprio sofrimento sem julgamentos e ter a vontade de ajudar-se, tem 3 componentes essenciais com dois polos opostos: mindfulness, calor/compreensão e humanidade-comum (em oposição à sobre-identificação, auto-julgamento e isolamento). Mindfulness é uma estratégia de regulação emocional que permite criar um distanciamento imparcial dos pensamentos do próprio, de forma equilibrada, facilitando a aceitação de um estado mental desde o seu surgimento, por muito doloroso que este possa ser. A componente calor/compreensão para com o Eu é a capacidade de compreensão e bondade para com o próprio, em situações negativas. Humanidade-comum é perceber que as próprias experiências fazem parte de um conjunto mais alargado de experiências humanas. O objetivo deste estudo é perceber as associações entre as três variáveis: auto-compaixão, PRN e a perturbação psicológica (especificamente sintomas de ansiedade e depressão). A nossa hipótese é que a auto-compaixão tenha um papel moderador na relação entre o PRN e o sofrimento psicológico. Para atingir estes objetivos recrutámos uma amostra de 200 participantes da população geral, com idade superior a 18 anos e que preencheram (em formato online) um conjunto de questionários de auto-resposta validados para a população portuguesa: Questionário de Pensamento Perseverativo1; Escala de Auto-compaixão2; Escala de Ansiedade, Depressão e Stresse3. Os dados foram analisados com o software SPSS e as análises de moderação foram realizadas com recurso ao PROCESS.Globalmente, todas as variáveis em estudo mostraram estar correlacionadas no sentido esperado. Os resultados mostram ainda que para a relação entre PRN e depressão, o mindfulness e a compreensão/calor funcionam como moderadores, sendo que no que diz respeito à ansiedade, só o mindfulness foi significativo. Estes dados podem ser úteis para a intervenção clínica.
Repetitive Negative Thinking (RNT) has been defined as a self-reflexive process, consisting of cognitions about the thoughts and experiences of the individual and which is usually associated with negative emotions. It is characterized by being repetitive, intrusive and difficult to ignore. RNT has two typical forms of presentation: worry and rumination.Self-compassion is defined as the ability to accept one's own suffering without judgments and the willingness to help oneself. It has three essential components with two opposing poles: mindfulness, warmth/understanding, and common humanity (as opposed to over-identification, self-judgment and isolation). Mindfulness is a strategy of emotional regulation that allows one to create an impartial detachment of one's thoughts in a balanced way, facilitating the acceptance of a mental state from its onset, however painful it may be. The warmth/understanding component to the Self is the ability to kindly understand oneself in negative situations. Common humanity is to realize that one's own experiences are part of a broader set of human experiences.The main objective of this study is to understand the associations between the three variables: Self-Compassion, RNT and psychological distress (specifically anxiety and depression symptoms). Our hypothesis is that self-compassion has a moderating role in the relationship between NRT and psychological distress. We recruited a sample of 200 participants from the general population, over 18 years of age, who completed ( online) a set of self-response questionnaires validated for the Portuguese population: Perseverative Thinking Questionnaire1; Self-Compassion Scale2; Anxiety, Depression and Stress Scale3. The data were analyzed with SPSS software and the moderation analyzes were performed using PROCESS.Overall, all variables in the study were correlated in the expected direction. The results also show that for the relationship between RNT and depression, mindfulness and understanding/ warmth function as moderators, whereas with regard to anxiety, only mindfulness has been significant. These data may be relevant for clinical intervention.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/89537
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
Tese Final Joana Peixoto.pdf655.16 kBAdobe PDFEmbargo Access    Request a copy
Show full item record

Page view(s)

17
checked on Sep 24, 2020

Download(s)

4
checked on Sep 24, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons