Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/875
Title: Influência do factor de crescimento básico dos fibroblastos na evolução do enfarte agudo do miocárdio num modelo animal consciente: canis familiaris.
Authors: Gonçalves, Lino Manuel Martins 
Orientador: Providência, Luís Augusto da Costa
Keywords: Medicina Interna
Issue Date: 2000
Citation: Influência do factor de crescimento básico dos fibroblastos na evolução do enfarte agudo do miocárdio num modelo animal consciente: canis familiaris. Coimbra: ed. Ediliber, 1999, XV, 231 p.
Abstract: Disciplina afim: Cardiologia O Factor de Crescimento Básico dos Fibroblastos (FGF-2) é um polipeptídeo angiogénico com 18 kDa, o qual apresenta afinidade pela heparina e é capaz de induzir in vitro a proliferação das células endoteliais, musculares lisas e fibroblastos, e in vivo a angiogénese. O presente trabalho tem como objectivo estudar num modelo canino consciente os efeitos do FGF-2 no enfarte agudo do miocárdio (EAM). Nós induzimos o EAM, através de um balão oclusivo vascular colocado à volta da artéria descendente anterior esquerda. Os cães foram distribuídos aleatoriamente por três grupos de tratamento: FGF-2 precoce, no qual o FGF-2, 100 Fg/kg, foi administrado como um bólus, 10 minutos e 4 horas após a oclusão coronária, seguido de um bólus diário de soro fisiológico; FGF-2 tardio, no qual o bólus de soro fisiológico foi administrado 10 minutos e 4 horas após a oclusão coronária, seguido de um bólus diário de FGF-2 (100 Fg/kg); Controlo, no qual os cães receberam soro fisiológico em todas as alturas. Os agentes foram administrados na aurícula esquerda. Oito dias após o EAM, os cães foram mortos. No nosso estudo, a administração precoce de FGF-2 associa-se a uma redução transitória da pressão telediastólica do ventrículo esquerdo (VE) e das pressões arteriais sistémicas. Os grupos tratados com FGF-2 apresentaram uma redução do volume telediastólico do VE, mas não apresentavam uma menor quantidade de necrose miocárdica. A adminis-tração de FGF-2 também não melhorou a fracção de ejecção do VE após o EAM, mas associou-se a um aumento da perfusão miocárdica dentro da área em risco, a uma redução da necrose peri-enfarte e a uma redução do conteúdo colagénico dentro da área em risco. O presente trabalho sugere que os estudos previamente publicados na literatura sobre esta área, podem ter sobrestimado os benefícios do FGF-2; no entanto, o FGF-2 parece ter efeitos salutares no contexto do EAM, os quais podem ser úteis como complemento dos tratamentos pré-existentes. Ainda muito é necessário aprender acerca da potencial utilidade do FGF-2 no tratamento da doença isquémica cardíaca.
URI: http://hdl.handle.net/10316/875
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Doutoramento

Show full item record

Page view(s)

223
checked on Sep 16, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.