Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/857
Title: Fluxometria Doppler útero-placentária e fisiopatologia imunológica associada às perturbações hemodinâmicas locais
Authors: Moura, José Paulo Achando da Silva 
Keywords: Ginecologia e Obstetrícia
Issue Date: 1996
Citation: MOURA, José Paulo Achando da Silva - Fluxometria Doppler útero-placentária e fisiopatologia imunológica associada às perturbações hemodinâmicas locais. Coimbra, 1996
Abstract: Este trabalho inicia-se por uma revisão acerca dos princípios teóricos, tecnológicos e metodológicos da fluxometria Doppler aplicada à circulação útero-placentária e pelo estabelecimento de valores de referência e de padrões de normalidade, com base numa observação transversal de 664 gestações não patológicas (PARTES I e II: págs. 15-79; Figs. 1-16). Segue-se um estudo clínico sobre a eficácia diagnóstica e prognóstica daquele exame hemodinâmico: Ele parece revelar um fundo fisiopatológico de deficiente placentação, comum a entidades clínicas diversas (PARTE III: págs. 81-145; Quadros I-XV; Figs. 17-32). As anomalias da placentação têm sido, por vezes, atribuídas a uma rejeição por parte do sistema imunológico materno. A literatura a este respeito é interessante mas inconclusiva, pelo que o recurso à fluxometria útero-placentária como meio de identificação "in vivo" do distúrbio placentário poderia abrir novas perspectivas à investigação nesta àrea. Assim, em 63 gestações, os resultados da fluxometria útero-placentária foram correlacionados com alguns parâmetros imunológicos do sangue periférico das mães: Subpopulações linfocitárias CD3, CD19, CD4, CD8, CD45RA, CD56 e com TCRgd; doseamento dos níveis séricos de IgG, IgA, IgM, IgE, C3, C4, IA1P, CRP e Neopterina (NPT) (PARTE IV: Págs. 147-196; figs. 33-58). A presença de alterações hemodinâmicas útero-placentárias associava-se a um recrutamento e activação de células imunocompetentes de actuação HLA-restrita (baixa de CD3, CD4 e de CD45RA+, elevação de CD45RA-), o que se acentuava na presença de pré-eclâmpsia. Considerando a relação IgE / NPT, o tipo de polarização funcional TH1 / TH2 dos linfócitos CD4 diferia consoante a variedade de apresentação clínica associada às alterações fluxométricas subjacentes. Estes resultados sugerem a existência de uma relação entre as alterações vasculares útero-placentárias e o comportamento do sistema imunitário materno.
URI: http://hdl.handle.net/10316/857
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Doutoramento

Show full item record

Page view(s)

108
checked on Jul 14, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.