Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/845
Title: Avaliação imunobiológica em osteossarcomas. Coimbra: [ed. aut.], 2000, 338 p.
Authors: Casanova, José Manuel Pinto da Silva 
Orientador: Rosa, Manuel Amaro de Matos Santos
Canha , Norberto Jaime Rêgo
Keywords: Cirurgia (Ortopedia)
Issue Date: 2000
Abstract: Disciplina afim : Ortopedia Reconhecendo a sua experiência em oncologia ortopédica, o autor estuda o comportamento biológico do osteossarcoma e formula a hipótese de existência de uma relação entre este e o sistema imunitário, influenciando a sobrevivência dos doentes. Começa por apresentar o estado da arte no que diz respeito ao crescimento local do osteossarcoma, evolução clínica, protocolos de tratamento, possibilidades de tratamento cirúrgico e evolução da doença, concluindo com uma síntese actualizada da investigação. Segue-se uma explicação sobre o sistema imunitário e os seus componentes, bem como as actividades no que diz respeito á resposta imunoinflamatória e anti-tumoral. O autor define os objectivos da sua investigação, como sendo os seguintes: 1) estudo dos linfócitos infiltrantes tumorais e sua fenotipização (CD3, CD4, CD8, CD20 e TIA-1); 2) estudo de marcadores da apoptose (CD95 Fas, FasL, Bcl-2 e p53); 3) estudo dos marcadores da capacidade metastática (CD44 e CD44v6); 4) estudo da multi-resistência á quimioterapia (P-glicoproteína). O presente estudo envolve 93 doentes seleccionados na Universidade da Florida, Instituto Ortopédico Rizolli, Rede Sarah e Hospitais da Universidade de Coimbra. Foram realizadas 1236 lâminas coradas por imunohistoquímica. Estas lâminas foram depois avaliadas por histomorfometria e interpretação histológica através de escalas apropriadas. Todos os resultados obtidos foram sujeitos a análise estatística. Os resultados mais significativos foram discutidos e as principais conclusões foram então estabelecidas: - Os osteossarcomas beneficiam de imunotolerância e de inércia de apresentação antigénica; - A presença de linfócitos citotóxicos T CD8 nos doentes tratados com quimioterapia neoadjuvante está associada a uma maior sobrevida; já o número de linfócitos T presentes, aumenta a sobrevida dos doentes tratados com quimioterapia adjuvante; - A presença de CD4 e CD95 Fas está associada a uma maior sobrevivência, contrariamente ao que acontece com a expressão de CD44v6 e de P-glicoproteína, quando presentes. As conclusões apresentadas, baseadas nos resultados do presente estudo, sugerem uma perspectiva de novos tratamentos destes doentes.
URI: http://hdl.handle.net/10316/845
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Doutoramento

Show full item record

Page view(s) 50

255
checked on Jul 2, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.