Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/833
Title: Proctocolectomia reconstrutiva com bolsa ileal: Estudo experimental e clínico
Authors: Leite, Júlio Fortunato Marques Soares 
Keywords: Cirurgia
Issue Date: 1990
Abstract: A proctocolectomia reconstrutiva (PCR) constitui a opção cirúrgica ideal para o tratamento da colite ulcerosa e da polipose adenomatosa. Os objectivos essenciais da Dissertação concentraram-se no estudo das modificações técnicas que permitam a obtenção de melhores resultados com a intervenção proposta e na análise das repercussões fisiológicas, bacteriológicas e morfológicas que ocorrem na bolsa ileal. No Capítulo I desenha-se a evolução histórica dos conceitos da anastomose íleo-anal e do reservatório ileal. Apresentam-se os conceitos anátomo-fisiológicos da continência anal, com ênfase no aparelho esfincteriano e no trajecto dos nervos simpáticos e parassimpáticos. Descreve-se a história natural e o tratamento médico e cirúrgico da colite ulcerosa, bem como a necessidade da cirurgia profiláctica nas situações de polipose adenomatosa. No Capítulo II analisa-se a influência do formato da bolsa ileal e da associação de neoválvula ileal nos resultados da PCR. No estudo experimental foram utilizados cães, sendo comparadas bolsas com formatos em J (n=27), em S (n=23) e em W (n=22). Associou-se uma válvula ileal a montante da bolsa em 19 animais. O volume das bolsas aumentou cerca de 3 vezes nos primeiros meses e esse aumento relacionou-se com o diâmetro do reservatório. O volume tolerável máximo correlacionou-se com o número de dejecções, verificando-se que esse número diminuiu nos primeiros seis meses após a operação. No grupo com reservatório em W manifestou-se tendência para menor número de dejecções e a válvula ileal não influenciou os resultados da PCR. No Capítulo III estudam-se as repercussões bacteriológicas e morfológicas que ocorreram na bolsa íleo-anal. A ecologia microbiana do reservatório foi semelhante à observada nas fezes dos animais no pré-operatório e o grau de atrofia das vilosidades foi menor no grupo com bolsa em W, facto que sugere a vantagem deste modelo. No Capítulo IV referem-se os bons resultados clínicos obtidos em três doentes operados por polipose adenomatosa. Os resultados manométricos, morfológicos e bacteriológicos revelaram aspectos concordantes com as ilacções retiradas dos estudos experimentais. No Capítulo V discutem-se as vantagens na aplicação dos fundamentos da bolsa íleo-anal nas propostas de cirurgia conservadora do esfincter anal, nomeadamente nos carcinomas do 1/3 médio do recto, nos tumores vilosos do recto, na proctite rádica, na doença de Hirschsprung e na obstipação idiopática grave. Em conclusão, advoga-se a anastomose íleo-anal nas doenças difusas da mucosa cólica e a anastomose colo-anal em várias afecções colo-rectais. Nega-se o interesse da válvula ileal e admite-se que a bolsa com formato em W possa fornecer melhores resultados clínicos.
URI: http://hdl.handle.net/10316/833
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Doutoramento

Show full item record

Page view(s) 20

727
checked on Jul 7, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.