Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/799
Title: Efeito da ciclosporina na reactividade e na proliferação do músculo liso vascular.
Other Titles: Cyclosporin effect on the reactivity and proliferation of the vascular smooth muscle.
Authors: Tavares, Paula Cristina Vaz Bernardo 
Orientador: Teixeira, Frederico José
Keywords: Ciências Biomédicas
Issue Date: 1999
Citation: Efeito da ciclosporina na reactividade e na proliferação do músculo liso vascular. Coimbra, ed. aut., 1999.
Abstract: A ciclosporina (CsA) é um fármaco imunossupressor que em muito tem contribuído para o aumento da sobrevivência dos doentes transplantados nos últimos 20 anos. Porém associado ao tratamento com CsA está o desenvolvimento de efeitos secundários de uma certa gravidade que podem mesmo pôr em risco a atitude terapêutica assumida. De entre eles destacam-se o desenvolvimento de hipertensão arterial (HTA), lesões vasculares (tipo aterosclerose ou arteriosclerose), nefrotoxicidade e neurotoxicidade. Foi objectivo deste trabalho estudar os mecanismos subjacentes à indução de HTA e da lesão vascular. Para tal utilizámos um modelo animal que pudesse reproduzir as alterações a estudar. Utilizaram-se ratos Wistar aos quais foram administradas duas doses de CsA. Pelo facto de serem as concentrações médias de vale da CsA associadas tanto aos efeitos secundários como à imunossupressão, foram utilizadas duas concentrações: uma correspondente ao pico plasmático da farmacocinética humana (Cmáx = 10-6 M) e uma correspondente à concentração de vale (Cmin = 10-7 M). Aos animais em estudo foram administradas duas doses que na concentração de vale atingissem as duas concentrações que se pretendiam estudar, ou seja 30 mg/Kg/dia (= 10-6 M) e 5 mg/Kg/dia (= 10-7 M). Verificou-se que ambas as doses induziam HTA. Que esta era nas doses e tempos utilizados independente da lesão renal, e que para as duas doses a HTA parecia ser promovida por mecanismos distintos. Embora ambas as doses aumentassem a resistência vascular periférica, a dose mais alta aumentava a estimulação cardíaca provocando taquicardia e cardiopatia isquémica. Assim, a concentração mais baixa de CsA parecia induzir HTA por activação dos sistemas serotonérgico e adrenérgico atravéz da estimulação da PKC. Pelo contrário, a concentração mais elevada, promove a libertação de catecolaminas por acção directa nas terminações nervosas simpáticas conduzindo a uma activação do sistema vascular. A lesão vascular induzida pela CsA é atípica, caracterizada principalmente por ruptura das fibras musculares e por proliferação das CML (para 10-7 M) ou morte celular por apoptose (10-6 M). Ambos os mecanismos parecem estar subregulados pela alterada produção de NO.
URI: http://hdl.handle.net/10316/799
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Doutoramento

Show full item record

Page view(s) 50

372
checked on Sep 29, 2022

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.