Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/45602
Title: Incretinas : actualização do conceito, novas moléculas e indicações
Authors: Pereira, Joana Mafalda Marques Simões 
Orientador: Carvalheiro, Manuela
Keywords: Incretinas; Diabetes mellitus do tipo 2
Issue Date: 2010
Abstract: A Diabetes Mellitus tipo 2 (DM2) é uma patologia crónica que acarreta uma morbi-mortalidade bastante elevada. Infelizmente, a sua prevalência tem vindo a aumentar drasticamente nos últimos anos. Foi desenvolvida, recentemente, uma nova abordagem da terapêutica desta doença que se baseia na fisiologia das incretinas. Este trabalho pretende definir o conceito de incretina, traçar os perfis de segurança, tolerabilidade e eficácia da terapêutica da DM2 baseada nessas hormonas, apontar as suas indicações actuais e expor as suas vantagens relativamente aos outros antidiabéticos disponíveis. Para a realização do mesmo, consultaram-se artigos científicos publicados e referenciados na MedLine/ PubMed. Actualmente, são conhecidas 2 hormonas que se adequam à definição de incretina – glucose-dependent insulinotropic polypeptide (GIP) e glucagon-like peptide-1 (GLP-1). Estas hormonas são produzidas no tracto gastrointestinal e são lançadas para a circulação sanguínea em resposta à ingestão de nutrientes, aumentando a secreção de insulina. Contudo, as incretinas possuem uma semi-vida curta, uma vez que são rapidamente degradadas por uma enzima, a Dipeptidil-Peptidase 4 (DPP-4). Para além dos efeitos pancreáticos, as incretinas possuem importantes funções noutros tecidos, uma vez que demonstram, entre outras, a capacidade de controlar o apetite, não aumentar o peso e exercem efeitos benéficos a nível cardiovascular, papéis que devem ser valorizados, visto que a maioria dos doentes com DM2 apresenta excesso de peso ou obesidade e sofre, simultaneamente, de doença cardiovascular, sendo que a DM2 constitui, por si só, um risco acrescido para a última. O tratamento da DM2 baseado nas incretinas consiste em 2 grupos distintos de fármacos: os incretino-miméticos e os potenciadores das incretinas. Os primeiros, exercem actividade similar à das incretinas e são resistentes à inactivação da DPP-4 e os segundos são constituídos pelos inibidores da DPP-4, que aumentam a semi-vida das incretinas endógenas, potenciando, assim, a sua actividade.
Description: Dissertação de mestrado em Medicina (Endocrinologia), apresentado à Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/45602
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Incretinas - actualização do conceito, novas moléculas e indicações.pdf595.62 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

303
checked on Sep 23, 2020

Download(s) 20

1,028
checked on Sep 23, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.