Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/446
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorDuarte, Maria Adelaide Pedrosa Silva-
dc.contributor.authorSimões, Marta Cristina Nunes-
dc.date.accessioned2008-12-05T11:39:40Z-
dc.date.available2008-12-05T11:39:40Z-
dc.date.issued2006-12-15en_US
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10316/446-
dc.descriptionTese de doutoramento em Economia, especialização em Desenvolvimento e Política Económica apresentada à Fac. de Economia de Coimbra-
dc.description.abstractEsta dissertação é uma investigação empírica dos mecanismos de transmissão dos investimentos em educação e suas categorias em termos de crescimento da produtividade para um conjunto de países da OCDE, utilizando dados em painel. Para tal propomos uma especificação empírica que corresponde a uma versão corrigida e aumentada da especificação proposta por Benhabib e Spieged (1994) para o estudo do papel do capital humano no crescimento económico, onde se realçam as interligações da educação com outros determinantes das actividades de inovação e imitação propostos pela literatura, a Investigação e Desenvolvimento (IeD), o comércio internacional e o Investimento Directo Estrangeiro (IDE). Conhecendo melhor os mecanismos de transmissão dos investimentos em educação em termos de crescimento da produtividade é possível derivar predições de políticas de educação mais rigorosas uma vez que as economias alcançarão maiores benefícios com a coordenação das diferentes reformas ao invés de se concentrarem em cada política isoladamente. Os resultados da análise de um conjunto de vinte e três países da OCDE, ao longo das quatro últimas décadas do século XX, confirmam o papel fundamental da educação em termos de assimilação da tecnologia desenvolvida no exterior e a complementaridade da educação ao nível dos ensinos secundário e superior com as despesas de IeD. Ao analisarmos a relação ao nível mais desagregado de quinze indústrias transformadoras de onze países da OCDE entre 1981 e 2000, concluímos que a influência dos diferentes níveis de escolaridade varia de acordo com a intensidade tecnológica das diferentes indústrias. Por último, examinam-se os potenciais benefícios da educação para o crescimento da produtividade de catorze indústrias transformadoras portuguesas entre 1986 e 1997, não tendo os resultados obtidos revelado qualquer influência da educação via produção de conhecimento, resumindo-se o seu impacto a uma influência positiva ao nível do ensino secundário via a assimilação da tecnologia incorporada nas importações.en_US
dc.language.isoengeng
dc.rightsembargoedAccesseng
dc.subjectProdutividade do trabalho -- Países da OCDEen_US
dc.subjectDesenvolvimento da educação -- Países da OCDEen_US
dc.titleLevels of education, technology and growth : the OECD evidence from a country and industry-level perspectiveen_US
dc.typedoctoralThesis-
uc.controloAutoridadeSim-
item.grantfulltextnone-
item.fulltextSem Texto completo-
item.languageiso639-1en-
crisitem.author.deptFaculdade de Economia, Universidade de Coimbra-
crisitem.author.researchunitGroup for Monetary and Financial Studies-
crisitem.author.researchunitCentre for Business and Economics Research-
crisitem.author.orcid0000-0003-1046-2551-
crisitem.advisor.deptFaculdade de Economia, Universidade de Coimbra-
crisitem.advisor.researchunitGroup for Monetary and Financial Studies-
crisitem.advisor.researchunitCentre for Business and Economics Research-
crisitem.advisor.orcid0000-0002-6585-2744-
Appears in Collections:FEUC- Teses de Doutoramento
UC - Teses de Doutoramento
Show simple item record

Page view(s)

204
checked on Nov 17, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.