Title: O cabo das tormentas da União Europeia : a (difícil) adesão à Convenção Europeia dos direitos humanos
Other Titles: The cape of storms of the European Union : the (difficult) accession to the European Convention on Human Rights
Authors: Duarte, Andreia Morgado 
Keywords: Convenção europeia dos direitos humanos;Positivação dos direitos fundamentais;Carta dos direitos fundamentais da União Europeia;Ativismo judicial;Tribunal Europeu dos Direitos Humanos;Tribunal de Justiça da União Europeia;Liberdades fundamentais;Proteção dos Direitos do Homem
Issue Date: 19-Oct-2016
Abstract: O processo de positivação dos direitos fundamentais na União Europeia plasmouse pela morosidade no reconhecimento da importância dos mesmos pelos Tratados fundadores e pelo caráter pretoriano da jurisprudência do Tribunal de Justiça das Comunidades. Mais tarde, com a aprovação da Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia, apresentava-se um modelo original e ambicioso da proteção dos direitos fundamentais a todos os Estados-Membros, sendo relegada para tratamento posterior a anciã questão acerca da adesão à Convenção para a proteção dos Direitos do Homem e das Liberdades Fundamentais. Depois do malogrado Tratado Constitucional, a entrada em vigor do Tratado de Lisboa, conferindo força jurídica vinculativa à Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia, marcou somente a adesão material a este instrumento internacional de proteção dos direitos fundamentais. A adesão formal projetada pela Comissão Europeia em conjunto com o órgão ad hoc do Conselho da Europa, após o parecer negativo do Tribunal de Justiça da União Europeia, continua a aguardar por melhores ventos. Abstract The positivation process of fundamental rights in the European Union shaped by the slowness in recognizing the importance of them by the founding Treaties and the praetorian nature of the case law of the Court of Justice. Later, with the approval of the EU Charter of Fundamental Rights, it presented an original and ambitious model of protection of fundamental rights for all Member States, being relegated for further treatment elderly question about the accession to the Convention for the protection of Human rights and Fundamental Freedoms. After the ill-fated Constitutional Treaty the entry into force of the Lisbon Treaty, giving binding legal force to the EU Charter of Fundamental Rights, only marked the accession material to this international instrument of fundamental rights protection. The formal accession designed by the European Commission in conjunction with the ad hoc body of the Council of Europe, following the negative opinion of the European Union Court of Justice, continues to wait for better winds
Description: Dissertação de mestrado em Direito (Ciências Jurídico-Políticas / Direito Internacional Público e Europeu) apresentada à Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/42826
Rights: openAccess
Appears in Collections:FDUC- Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Andreia Duarte-capa.pdf365.77 kBAdobe PDFView/Open
Andreia Duarte.pdf927.66 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record
Google ScholarTM
Check
Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.