Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/40271
Title: Aplicação do regulamento REACH numa fábrica de pasta e papel
Authors: Pascoal, Ana Rita Braz 
Orientador: Baptista, Cristina Maria dos Santos Gaudêncio
Carvalho, Maria da Graça Videira de Sousa
Keywords: Regulamento REACH; Regulamento CLP; Ficha Dados Segurança (FDS); pasta para papel; REACH; CLP-Classification; Labelling; Packaging; SDS- Safety data sheet; pulp and paper.
Issue Date: 30-Jan-2015
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: O regulamento REACH (Registration, Evaluation and Authorization of Chemicals), relativo ao registo, avaliação, autorização e restrição dos produtos químicos definiu um conjunto de obrigações a que ficam sujeitos, nomeadamente, os fabricantes de substâncias químicas e os fabricantes de artigos com substâncias químicas associadas destinadas a serem intencionalmente libertadas. O REACH impõe que os fabricantes de substâncias e misturas as registem junto da Agência Europeia dos Produtos Químicos, desde que as atividades envolvam quantidades superiores a uma tonelada por ano, sendo o seu cumprimento necessário para a prossecução do seu fabrico. Cada registo é suportado por um conjunto de informações sobre a substância, função da quantidade produzida e com a categoria da substância no âmbito do regulamento. As substâncias classificadas como perigosas deverão ter uma Ficha de Dados de Segurança (FDS). O regulamento CLP (Classification, Labelling and Packaging) define as regras para a classificação, rotulagem e embalagem de substâncias e misturas. Este regulamento obriga os fabricantes de substâncias não colocadas no mercado a proceder à sua classificação, sempre que estas estejam sujeitas a registo no âmbito do REACH. O CLP define a seguinte calendarização para a classificação de substâncias: de 1 de dezembro de 2010 até 31 de maio de 2015, as substâncias deverão ser classificadas de acordo com o CLP e a legislação comunitária anterior em termos de classificação, embalagem e rotulagem de substâncias perigosas (diretiva n.º 67/548/CEE), coexistindo ambos os sistemas na FDS; a partir de 1 de junho de 2015, a classificação de substâncias deverá ser efetuada unicamente de acordo com o CLP. O presente relatório descreve o trabalho desenvolvido no grupo Portucel Soporcel para cumprimento do regulamento REACH, enquanto produtor de substâncias químicas no complexo industrial da Figueira da Foz. A Soporcel Pulp, inserida no complexo industrial da Figueira da Foz, procedeu, em Outubro de 2008, ao pré-registo no REACH-IT das substâncias que se previa carecerem de registo. Tendo em vista a otimização dos recursos associados, a Soporcel Pulp associou-se a consórcios formados por outras empresas que pretendiam registar substâncias idênticas às suas. Através desses consórcios, a Soporcel Pulp obteve os dados necessários para o dossier de registo das substâncias, para a sua classificação de perigosidade, bem como para a elaboração das respectivas FDS. As FDS das substâncias registadas pela Soporcel Pulp constam do anexo deste relatório. De acordo com as regras da diretiva n.º 67/548/CEE, o licor branco e o licor verde foram classificados como corrosivos (C), o licor negro como corrosivo (C), nocivo (Xn) e irritante (Xi) e a cal viva, a solução aquosa de dióxido de enxofre 1,3% e a solução aquosa de dióxido de cloro 0,6 – 1% como irritantes (Xi). Segundo as regras do regulamento CLP, o licor branco enquadrase nas classes de perigo de corrosivo para os metais (categoria 1) e corrosão cutânea (categoria 1A), o licor negro nas classes de corrosivo para os metais (categoria 1), corrosão cutânea (categoria 1B) e perigoso para o ambiente aquático (categoria 3), o licor verde nas classes de corrosivo para os metais (categoria 1) e corrosão cutânea (categoria 1B), a cal viva nas classes de irritação cutânea (categoria 2), lesões oculares graves (categoria 1) e toxicidade para órgãos-alvo específicos – exposição única (categoria 3, via de exposição: inalação), a solução aquosa de dióxido de enxofre 1,3% na classe de corrosão cutânea (categoria 1B) e a solução aquosa de dióxido de cloro 0,6 – 1% na classe de irritação ocular (categoria 2). O carbonato de cálcio não foi classificado como perigoso, quer pelas regras do regulamento CLP, quer pelas regras da diretiva n.º 67/548/CEE.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Engenharia Química apresentada à Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/40271
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado
FCTUC Eng.Química - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Aplicacao do regulamento REACH numa fabrica de pasta e papel.pdf5.09 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 20

604
checked on Aug 12, 2022

Download(s) 20

1,628
checked on Aug 12, 2022

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.