Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/36900
Title: Diabetes Insípida: revisão da fisiopatologia, diagnóstico e tratamento
Authors: Antunes, Joana Patrícia Dias 
Orientador: Paiva, Isabel
Gomes, Leonor
Keywords: Diabetes insípida central; Diabetes insípida nefrogénica; Polidipsia primária; Vasopressina; Adipsia; Co-peptina; Desmopressina; Chaperones farmacológicos; Agonistas não peptídeos
Issue Date: Feb-2016
Abstract: A deficiência da secreção hormonal ou a presença da resistência renal à ação da hormona antidiurética (AVP) estão na origem de uma patologia com a denominação comum de Diabetes Insípida (DI), uma doença com diversas etiologias e cujo diagnóstico se baseia geralmente em métodos indiretos. Estes métodos apresentam por isso limitações no diagnóstico diferencial, que se torna frequentemente desafiante, podendo levar ao diagnóstico e tratamento incorretos. A informação disponível acerca desta patologia é vasta e encontra-se dispersa. O objectivo deste trabalho foi sistematizar a informação relevante e mais recente sobre esta temática. Os critérios de pesquisa e inclusão dos estudos basearam-se na data de publicação, no número de vezes que os artigos foram citados noutros trabalhos e na qualidade dos métodos de estudo utilizados. Verificou-se que mecanismo de indução da DI por diversas entidades não se encontra bem esclarecido, sendo necessários mais estudos, como no caso da DI induzida pela administração de alguns fármacos. A suposição é muitas vezes utilizada para explicar a razão de determinadas condições clínicas desencadearem o aparecimento da DI. Verificou-se ainda a ausência de dados epidemiológicos nos países europeus, pelo que os dados apresentados correspondem à realidade americana, podendo por isso verificar-se diferenças significativas em Portugal, quer quanto à incidência quer quanto à importância na prática clínica. Confirmou-se a ausência de acordo quanto ao melhor teste diagnóstico da DI e a verificou-se que muitos dos protocolos seguidos têm baixa precisão. Na maior parte dos estudos, a prova de restrição hídrica continua a ser o teste gold standard para avaliar a função da AVP. Contudo pode-se recorrer a outros métodos, como seja a determinação dos níveis séricos de co-peptina. A terapêutica de eleição para a DI central continua a ser a desmopressina, porém, outros fármacos são utilizados off label pelos seus efeitos antidiuréticos. Novos métodos terapêuticos, como os agonistas não peptídeos, mostram grande potencial no tratamento futuro da DI nefrogénica. Melhorar o conhecimento acerca das várias formas de DI pode fornecer importantes dados para aumentar no futuro a eficácia de tratamentos de outras doenças neurodegenerativas.
Description: Trabalho final do 6º ano médico com vista à atribuição do grau de mestre (área científica de endocrinologia) no âmbito do ciclo de estudos de Mestrado Integrado em Medicina.
URI: http://hdl.handle.net/10316/36900
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado
UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Tese de Mestrado.pdfTese de Mestrado800.2 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 1

2,746
checked on Dec 5, 2022

Download(s) 20

1,693
checked on Dec 5, 2022

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.