Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/36291
Title: Comparação de duas metodologias na determinação das forças de adesão à dentina
Other Titles: Bond strength evaluation to dentin: comparing two test methods
Authors: Coimbra, Carla Patrícia das Neves Lopes 
Orientador: Ramos, João Carlos
Vinagre, Alexandra
Keywords: Shear; Microshear; Dentin bond strength; Bonding systems
Issue Date: 2012
Abstract: Introduction: Modern restorative dentistry has been significantly influenced by the constant progress of dental adhesives technology. In vitro mechanical bond strength tests became of highest importance to evaluate and compare the current adhesive systems to enamel and dentin. Purpose: The aim of this study was to compare the adhesive bond strengths and failure modes of dentin–composite interfaces measured by two different test methods: shear and microshear. Materials and Methods: Thirty caries free human pre-molars were randomly assigned to the bond strength testing methods compared (n=15). After occlusal flat dentin surfaces were obtained and grinded with 240-, 400-, 600-grit silicon-carbide sandpaper. Adhesively composite specimens (SDR™, DentsplyDeTrey; Konstanz, Germany) were bonded to dentin prepared surfaces by using a two-step etch & rinse adhesive system (Prime&Bond®NT™, DentsplyDeTrey, Konstanz, Germany) according the technical specificities of each method. Shear and microshear bond strength tests were performed after 7 days of storage in distilled water at 37ºC. Following specimens fracture, failure mode pattern was evaluated and data statistical analysed with t student test for a significance level of 0,05. Results: The mean bond strength, in MPa (±SD), was 9,02 (±2,07) and 11,68 (±5,79) for the shear and microshear test, respectively. Concerning bond strengths mean values, no significant differences were found between groups. The failure mode for all the specimens was classified as adhesive and microshear test bond strength exhibited a larger standard deviation value. Conclusions: More studies are essential to understand the specific restrictions of microshear bond test because it has an inherent more labour-intensive and sensitive technique when compared to shear bond strength test. Introdução: A Medicina Dentária actual tem sido significativamente influenciada pela constante evolução da tecnologia dos adesivos dentários. Os testes laboratoriais in vitro de resistência adesiva tornaram-se importantes para avaliar e comparar os atuais sistemas adesivos para o esmalte e dentina. Objectivos: O objetivo deste estudo foi comparar as forças de adesão e os modos de fratura na interface dentina-resina avaliada por dois métodos de avaliação: cisalhamento e microcisalhamento. Materiais e métodos: Trinta dentes pré-molares humanos íntegros foram aleatoriamente distribuídos pelos métodos de avaliação estudados para a determinação das forças de adesão (n=15). Após a obtenção de superfícies planas de dentina e da realização de processos de polimento com lixas de carboneto de silício de grão crescente 240 -, 400- e 600-, procedeu-se à execução das amostras pela utilização de um sistema adesivo do tipo condicionar e lavar de dois passos (Prime&Bond®NT™, DentsplyDeTrey, Konstanz, Alemanha) e subsequente colocação de uma resina composta (SDR™, DentsplyDeTrey; Konstanz, Alemanha) de acordo com as especificidades técnicas de cada método. Os testes de cisalhamento e microcisalhamento foram realizados após 7 dias de armazenamento dos dentes em água destilada a 37º C. Os modos de fratura da interface foram determinados e os dados foram analisados estatisticamente com o teste t de Student para um nível de significância de 0,05. Resultados: A força de adesão média do Prime&Bond™NT ®/ SDR™ em MPa (± SD), foi 9,02 (± 2,07) e 11,68 (± 5,79) para o teste de cisalhamento e microcisalhamento, respectivamente. Quanto aos valores médios de adesão, não foram encontradas diferenças estatisticamente significativas entre os grupos. O modo de fratura na interface foi classificado como adesivo para todas as amostras e o teste de microcisalhamento apresentou um valor de desvio padrão mais elevado. Conclusões: É essencial que sejam realizados mais estudos para compreender as limitações específicas do teste de microcisalhamento pois, como foi possível verificar, a técnica é mais sensível e mais demorada do que a do teste de cisalhamento.
Description: Trabalho final do 5º ano com vista à atribuição do grau de mestre no âmbito do ciclo de estudos de Mestrado Integrado em Medicina Dentária apresentado à Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra.
URI: http://hdl.handle.net/10316/36291
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Med. Dentária - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Tese Carla VF.pdfTese Carla VF3.78 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

217
checked on Sep 28, 2020

Download(s) 10

1,267
checked on Sep 28, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.