Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10316/32773
Title: O processo de consolidação democrática na Ucrânia : o papel da União Europeia
Authors: Dyachenko, Iryna 
Orientador: Freire, Maria Raquel
Keywords: Ucrânia; União Europeia; Política Europeia de Vizinhança; Parceria Oriental; Democracia.
Issue Date: 20-Sep-2016
Publisher: FEUC
Serial title, monograph or event: O processo de consolidação democrática na Ucrânia : o papel da União Europeia
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: O percurso de consolidação democrática na Ucrânia, desde a sua independência em 1991 até 2014 tem sido fortemente marcado por avanços e retrocessos. Durante os anos da sua independência, a Ucrânia balança entre a U.E. e a Rússia, conjugando assim os seus interesses na sua política externa. De forma geral, aproximando-se da U.E., através das relações mais estreitas baseadas em acordos e participando na PEV e na PO, a Ucrânia obteve avanços positivos no processo de consolidação democrática. No entanto, com a presidência de pró-russos, a democracia na Ucrânia, de um modo geral, deteriorava-se. O presente estudo analisa a influência de fatores externos, neste caso da U.E., nomeadamente a PEV e a PO, e de atores internos, particularmente de líderes políticos, no processo de consolidação democrática na Ucrânia. O objetivo é analisar o poder normativo da U.E. em conjunto com as forças internas da Ucrânia. O trabalho pretende analisar qual o contributo da U.E., nomeadamente da PEV e da PO, no processo de consolidação democrática na Ucrânia. A Ucrânia mostrou-se ser um país cuja consolidação democrática tem sofrido de vários avanços e recuos, o que não é apenas influenciado pela U.E., mas também pelo seu líder político, embora não signifique que um presidente pró-russo “vire costas” à U.E. e vice-versa, mas que o estado de democracia depende, de certa forma, das inclinações políticas deste. Através das teorias de democratização o trabalho analisa o percurso democrático da Ucrânia desde a sua independência em 1991, passando pela Revolução Laranja em 2004, a Revolução da Dignidade, a Euromaidan, que começou em 2013 e a anexação da Crimeia, com o objetivo de demonstrar que este não tem sido de todo um processo linear e que o nível de democracia no país está ligado com o seu líder político.
Description: Dissertação de mestrado em Relações Internacionais (Estudos Europeus), apresentado à Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, sob a orientação de Maria Raquel Freire.
URI: https://hdl.handle.net/10316/32773
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado
FEUC- Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
dissertação_Iryna_Dyachenko_2016.pdf1.26 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 10

1,480
checked on Jul 9, 2024

Download(s) 50

646
checked on Jul 9, 2024

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.