Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/26554
Title: Indústria(s), territórios inteligentes e criatividade na Região Centro Litoral de Portugal Continental: O sistema de conhecimento do Baixo Vouga
Authors: Fernandes, Ricardo Jorge Lopes 
Orientador: Fernandes, Rui Jorge Gama
Keywords: Inovação; Indústria; Sociedade da aprendizagem e do conhecimento; Territórios inteligentes e criativos; Desenvolvimento territorial; Marketing territorial; Baixo Vouga; Estarreja
Issue Date: 6-May-2015
Citation: FERNANDES, Ricardo Jorge Lopes - Indústria(s), territórios inteligentes e criatividade na região centro litoral de Portugal continental : o sistema de conhecimento do Baixo Vouga. Coimbra : [s.n.], 2015. Tese de doutoramento. Disponível na WWW: http://hdl.handle.net/10316/26554
Abstract: Os territórios adquirem uma nova dimensão intangível com base nos indivíduos, nas novas tecnologias de informação e comunicação, na aprendizagem coletiva e na emergência duma nova economia baseada no conhecimento. Com efeito, as cidades e regiões enquadram-se numa lógica de competitividade sustentada pelo conhecimento e pela criatividade dos agentes de desenvolvimento no território, nomeadamente das empresas industriais. Deste modo, é central equacionar diferentes estratégias de desenvolvimento para os territórios locais e regionais, considerando o conceito de território inteligente e criativo e o papel que a indústria e demais agentes têm vindo a ter para a prossecução, dinamização e operacionalização destes processos. As cidades e regiões enquadram-se numa lógica de competitividade à escala global, crescentemente suportada pelas plataformas digitais. Assim, o sistema virtual de inovação/conhecimento tem o objetivo de facilitar as interações entre os agentes de desenvolvimento no território, no espaço real. Da relação entre quatro dimensões principais no território (física/real; económica, do conhecimento e da criatividade; social e institucional; e virtual/digital) surge o conceito de território inteligente e criativo. Neste sentido, a definição de uma arquitetura destes espaços, onde os diferentes agentes de desenvolvimento (nomeadamente a indústria) deverão assumir papéis centrais, é fundamental para que se promovam e utilizem instrumentos que valorizem o desenvolvimento integrado, sustentável e criativo dos territórios. Nesta investigação, é importante que se valorize o Baixo Vouga, território historicamente marcado pela indústria, interligando os seus agentes de desenvolvimento em torno de um sistema de conhecimento e criatividade (assente na conexão entre os ambientes físico/real, económico, virtual/digital e social/institucional), numa lógica de articulação, organização e poder de interpretação dos fatores e estratégias de desenvolvimento territorial. É central capitalizar as potencialidades de desenvolvimento territorial do território de estudo (ao nível do seu sistema produtivo, do seu sistema científico e tecnológico e do seu capital intelectual) no contexto dos territórios inteligentes e criativos, prestando ao concelho de Estarreja uma especial atenção. Com efeito, Estarreja poderá aparecer como território agregador de espaços, pessoas e indústrias coletoras de conhecimento, com forte capacidade de aprendizagem, inovação e criatividade. Independentemente dos agentes de desenvolvimento, pré-requisitos presentes no concelho em estudo e através do desenvolvimento do conceito de território inteligente e criativo, é fundamental que se perspetive um modelo de organização e operacionalização do sistema de inovação, conhecimento e criatividade local/regional. Com este modelo poder-se-á cruzar as diferentes dimensões do sistema, fomentar a participação dos diferentes agentes/atores (como a universidades, as unidades de I&D, as empresas e os recursos humanos qualificados, entre outros) e valorizar as potencialidades e oportunidades do território. Nesta perspetiva, o recurso a políticas de desenvolvimento e conhecimento poderá ser imprescindível para a prossecução deste tipo de estratégias. Por outro lado, a concertação entre os agentes de uma visão/posicionamento para o território e para o seu desenvolvimento territorial terá que residir nas dimensões do digital, inteligente, criativo e do marketing territorial.
Territories acquire a new dimension intangible based on individuals, in the new technologies of information and communication, in collective learning and in the need of a new economy based in knowledge. Indeed, the cities and regions fall into a logic of competiveness sustained by the knowledge and creativity of the development agents in the territory, namely the industrial enterprises. This way, it is crucial to think different development strategies for the local and regional territories, considering the concepts of intelligent and creative territory and the role that the industry and the other agents have been taking in the persecution, dynamics and operationalization of these processes. The cities and regions are integrated in a logic of competiveness at a global scale, growingly supported by the digital platforms. Thus, the virtual system of innovation/knowledge has the main purpose of facilitating the interactions between the agents of development in the territory, in the real space. From the relation between four main dimensions of territory (physical/real; economic, knowledge, creativity; social and institutional; and virtual/digital) rises the concept of intelligent and creative territories. This said, the definition of an architecture of these spaces, where the different agents of development (mainly the industry) should assume the leading roles, it’s crucial for the promotion and use of instruments that enrich the integrated, sustainable and creative development of the territories. In this investigation, it is important to give the real importance to the Baixo Vouga, a territory historically marked by industry, interconnecting its development agents around a system of knowledge and creativity (based upon the connection between physical/real, economic, virtual/digital and social/institutional environments) in a logic of articulation, organization and power to interpret the factors and strategies of territorial development. It is vital to capitalize the potentialities of territorial development of the territory being studied (its productive system, scientific and economic system and intellectual capital) in the context of intelligent and creative territories, giving to the “county” of Estarreja a special focus. As a matter of fact, Estarreja may appear as a unifying territory of spaces, people and industries collectors of knowledge, with a strong capability of learning, innovation and creativity. Independently of the development agents, preconditions present in the “county” studied and trough the development of the concept of intelligent and creative territory, it is fundamental to foreseen a model of organization and operationalization of the innovation, knowledge and creativity system. With this model it can be possible to cross the different dimensions of the system, promote the participation of the different agents/actors (as universities, I&D units, enterprises and qualified human resources, among others) and valorise the potentialities and opportunities of the territory. In this perspective, the resource to politics of development and knowledge could be indispensable to the pursuit of this type of strategies. On the other hand, consultation between agents of a vision/placement to the territory and its development will have to dwell in the dimensions of digital, intelligent, creative and territorial marketing.
Description: Tese de doutoramento em Letras, no ramo de Geografia, apresentada ao Departamento de Geografia da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/26554
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:FLUC Geografia - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Região Centro Litoral de Portugal Continenta.pdf30.95 MBAdobe PDFView/Open    Request a copy
Show full item record

Page view(s) 50

199
checked on Jun 17, 2019

Download(s) 20

487
checked on Jun 17, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.