Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/25293
Title: Comportamentos extra-diádicos e vinculação no adulto nas relações íntimas amorosas
Authors: Santos, Ana Rita Andrade
Orientador: Pereira, Marco
Keywords: Comportamentos extra-diádicos
Vinculação
Relações amorosas
Issue Date: 23-Jul-2013
Abstract: Contexto: As relações extraconjugais são documentadas na literatura como o terceiro problema conjugal mais difícil de solucionar em contexto de terapia. Pelo impacto negativo que o envolvimento extra-diádico pode ter no bem-estar individual e relacional do casal, os objetivos deste estudo foram: (1) avaliar as taxas de prevalência dos comportamentos extra-diádicos (CED) presenciais e online; (2) analisar a associação entre as dimensões da vinculação à mãe, pai e companheiro e o envolvimento em CED; e (3) averiguar a associação entre a sintomatologia psicopatológica e os CED, bem como se a sintomatologia é mediadora da associação entre a vinculação no adulto e o envolvimento em CED presenciais e online nas diferentes situações relacionais (namoro, casamento e união de facto). Método: A amostra foi constituída por 558 participantes (73.3% do sexo feminino) com uma idade média de 30.64 anos (DP = 10.72). O protocolo de avaliação incluiu uma ficha de dados sociodemográficos e de questões relativas à história sexual, relacional e familiar, bem como os seguintes instrumentos de autorresposta: Inventário de Comportamentos Extra-Diádicos, Inventário de Sintomas Psicopatológicos e Experiências em Relações Próximas – Estruturas Relacionais. Resultados: A maioria dos participantes solteiros (63.7%), casados (52.2%) e em união de facto (65.4%) reportou já se ter envolvido em CED presenciais. Por sua vez, 47.2% dos solteiros, 25.6% dos casados e 38.5% das uniões de facto afirmou ter-se envolvido em CED online. Em termos globais, não se registaram diferenças em função da situação relacional. Em relação ao parceiro observaram-se associações positivas e significativas com as dimensões de vinculação ansiedade e evitamento, sendo mais fortes com o evitamento, em ambas as modalidades presencial e online. Encontraram-se, ainda, associações positivas, no grupo dos solteiros e das uniões de facto, com o evitamento à mãe e com a ansiedade ao pai, nos CED presenciais; e correlações positivas, no grupo dos solteiros, com a ansiedade e o evitamento à mãe, nos CED online. Os participantes que referiram envolver-se em CED apresentaram maior sintomatologia ansiosa e depressiva. A sintomatologia depressiva não se associou significativamente ao envolvi-mento em CED presenciais. Porém, associou-se ao envolvimento em CED online, apenas nos solteiros. Observaram-se efeitos significativos da vinculação no envolvimento em CED presenciais e online. O distress emocional não mediou a associação entre a vinculação e o envolvimento extra-diádico, nem a situação relacional moderou esta associação. Conclusões: Os resultados acrescentam novas informações no âmbito da prevalência dos CED presenciais e online, em diferentes situações relacionais. Facultam informações relevantes relativamente às relações de vinculação às diferentes figuras e o envolvimento extra-diádico e, revelam dados importantes sobre o envolvimento extra-diádico e a presença de sintomatologia psicopatológica. Face a estes resultados, são apresentadas sugestões para investigação futura.
Background: Extramarital relationships are documented in the literature as the third marital problem most difficult to resolve in the context of therapy. Given the negative impact that the extradyadic involvement can have on individual well-being and on the relationship of the couple, the aims of this study were: (1) to assess the prevalence rates of face-to-face and online extradyadic behaviors (EDB); (2) to analyze the association between attachment to mother, father and mate and involvement in EDB, and (3) to examine the association between psychopathological symptoms and EDB, as well as if emotional distress mediates the association between attachment and the involvement in face-to-face and online EDB in different relational contexts (dating, marriage and cohabiting). Methods: The sample consisted of 558 participants (73.7% females) with a mean age of 30.64 years (SD = 10.72). The assessment protocol included sociodemographic data and questions related to the sexual, relational and familiar history, and the following self-report instruments: Extradyadic Behaviors Inventory, the Brief Symptom Inventory and the Experience in Close Relationships - Relationship Structures. Results: Most single (63.7%), married (52.2%) and cohabiting participants (65.4%) reported having already engaged in face-to-face EDB. In turn, 47.2% of single, 25.6% of married and 38.5% of cohabiting subjects reported to have at some point been involved in online EDB. Overall, there were no differences concerning the relational situation. With respect to the partner, significant positive associations with the dimensions of attachment anxiety and avoidance were observed, being stronger with the avoidance, in both face-to-face and online modalities. We have also found positive associations, among single and cohabiting participants, between avoidance to mother and anxiety to father and face-to-face EDB, and positive correlations, among singles, between anxiety and avoidance to the mother and online EDB. Those who stated having engaged in EDB reported higher anxiety and depressive symptoms. Depressive symptoms were not significantly associated with involvement in face-to-face EDB, contrary to anxiety and depression, which were positively associated in the online context, but only among single participants. Significant effects of attachment in the involvement on face-to-face and online EDB were found. The emotional distress did not mediate the association between dimensions of attachment and extradyadic involvement, and neither relational situation moderated significantly this association. Conclusions: These findings added new information in the context of prevalence of face-to-face and online EDB, in different relational contexts. They also provided relevant information about the attachment relationships to different figures and extradyadic involvement and revealed information about the association between attachment anxiety and avoidance and extradyadic involvement, particularly with psychopathological symptoms. Given these results, suggestions for future research are discussed.
Description: Dissertação de mestrado em Psicologia (Intervenções Cognitivo-Comportamentais nas Perturbações Psicológicas), apresentada à Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
Peer review: Yes
URI: http://hdl.handle.net/10316/25293
Appears in Collections:FPCEUC - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese2013_Rita Andrade VERSÃO FINAL.pdf960.93 kBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.