Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/25220
Title: Ignition, Combustion and Detection of Polyurethane Foams with ammonium nitrate and sodium bicabornate additives
Authors: Marques, Jaqueline Edite 
Orientador: Campos, José Leandro Simões de Andrade
Burrows, Hugh Douglas
Issue Date: Sep-2013
Citation: Marques, Jaqueline Edite/Ignition, combustion and detection of polyurethane foams with ammonium nitrate and sodium bicabornate additives
Abstract: Neste trabalho é apresentada a propagação de chama de espumas de poliuretano expandido e sintático, obtidas por auto-expansão ou pela adição de esferas ocas de plástico. Ao poliuretano original foram adicionadas pequenas concentrações de nitrato de amónio, com o objectivo aumentar a chama local existente. Para diminuir a temperatura da chama foi adicionado, também em pequenas quantidades, bicarbonato de sódio. Com o intuito de se compreender o efeito de outros aditivos na superfície das espumas de poliuretano, foi adicionada tinta de alumínio celluloso. A previsão das características de combustão destes sistemas energéticos foi realizada pelo código THOR. Também foi estudada a previsão de temperatura e o atraso da ignição pelo modelo de inflamação de Semenov e pela aproximação fenomenológica de Frank-Kamenetskii abordagem fenomenológico. Foram realizadas análises térmicas (DSC-TGA) de um dos polióis usado e das esferas ocas de plástico. Amostras cilíndricas, dentro de um tubo de PVC, foram preparadas e queimadas. Espumas de poliuretano expandido apresentaram sempre extinção. Foram testadas diversas configurações: configuração original, amostras onde foram abertos 7 túneis e amostras onde foi aberto apenas um túnel, onde era colocada uma placa de PMMA para funcionar como impulsionador de propagação de chama. Algumas destas amostras foram pintadas com tinta de alumínio celuloso. Propagação da chama, pela placa de PMMA, permite uma pirólise e combustão mais completa do material. Amostras pintadas apresentaram uma ignição mais fácil. Espumas de poliureatno sintático com concentrações de nitrato de amónio acrescidas queimam bem. O bicarbonato de sódio tem um influência muito pequena na nestes materiais reactivos, porque com concentrações mais baixas que 5 percento de massa, os materiais queimam muito bem. As microsferas ocas de polietileno contribuem para o fenómeno de combustão nas espumas de poliuretano, permitindo a propagação da chama nas espumas sintáticas em condições nas quais ocorre a extinção para a espumas expandidas. As microsferas asseguram uma distribuição mais homogénea e um aumento de isolação térmicas da espuma, pela redução da espessura entre a chama existente e a camada interna da ignição. As espumas de poliuretano sintáticas pintada perdem menos massa que as outras. Nalguns testes foi permitido a medição directa da massa da amostra, enquanto está a ser testada Os registos dos termopares mostram temperaturas de queima até ≈ 1400 ºC e propagação das chamas sobre o nível de mm.s-1. A detecção foi realizada por espectroscopia de infravermelho comparando os espectros de amostras frescas e queimada com os aditivos. Palavras-chave: Ignição; Combustão; Detecção; Espuma de poliuretano; Expandida; Sintática; Microsferas ocas de Plástico; Nitrato de Amónio; Bicarbonato de Sódio; Alumínio; DSC-TGA; Infravermelho da
URI: http://hdl.handle.net/10316/25220
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCTUC Química - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
JM_master_thesis.pdf8.22 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

154
checked on Oct 21, 2021

Download(s) 10

1,887
checked on Oct 21, 2021

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.