Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/23976
Title: Maltrato Intrafamiliar em Crianças de Idade Pré-Escolar: Avaliação do Impacto no Desenvolvimento Cognitivo e Socioemocional
Authors: Carrejolo, Ana
Orientador: Alberto, Isabel
Seabra-Santos, Maria João
Keywords: Maltrato Intrafamiliar
Avaliação Pré-Escolar
Desenvolvimento Cognitivo
Desenvolvimento Socioemocional
PTSD
Stroop
Issue Date: 20-Dec-2013
Citation: CARREJOLO, Ana Filipa da Luz Pedrosa - Maltrato intrafamiliar em crianças de idade pré-escolar : avaliação do impacto no desenvolvimento cognitivo e socioemocional. Coimbra : [s.n.], 2013. Tese de doutoramento
Abstract: Apesar do aumento do número de denúncias de casos de maltrato intrafamiliar infligidos a crianças em idade pré-escolar, existem poucos estudos acerca do impacto destas situações danosas para o bem-estar e desenvolvimento infantil. A literatura aponta para uma maior vulnerabilidade nas crianças mais novas, em termos do seu funcionamento global, perante vivências de situações de maltrato em contexto familiar. Esta vulnerabilidade deve-se a um conjunto de fatores, nomeadamente: i) a maturação neuro-anatómica cerebral em curso nestas crianças; ii) a sua inerente dependência do cuidador que é, simultaneamente, o perpetrador do maltrato e a pessoa que lhes pode proporcionar algum suporte; iii) a sua limitada rede social que as priva de modelos apropriados de interações sociais; iv) a sua própria imaturidade linguística que as impede de denunciar as situações de que são vítimas; e v) um conjunto de referenciais sociais e culturais enraizados na sociedade. É com base nestas pesquisas, que apontam para uma vulnerabilidade específica no desenvolvimento cognitivo e socioemocional das crianças em idade pré-escolar que estabelecemos como objetivos do presente estudo: i) analisar o impacto do abuso e da negligência intrafamiliar no desempenho intelectual e neuropsicológico (em tarefas de controlo inibitório, de atenção e de memória); ii) avaliar a presença de sintomatologia de Perturbação de Stress Pós-Traumático (PTSD); iii) identificar o impacto do abuso/negligência ao nível das aptidões sociais e problemas de comportamento externalizantes e internalizantes; e vi) analisar como determinadas variáveis inerentes às características da criança e ao próprio contexto de vitimação de abuso/negligência (e.g., tempo de acolhimento) influenciam o desempenho cognitivo e socioemocional. Adicionalmente, dada a existência de uma lacuna no que se refere à adaptação e validação de instrumentos de avaliação psicológica para crianças portuguesas em idade pré-escolar, principalmente na área da avaliação de sintomatologia de PTSD e da neuropsicologia, tivemos como objetivo adaptar dois instrumentos à população portuguesa em idade pré-escolar: um na área da avaliação de sintomatologia de PTSD, a escala PTSD-CBCL (Modificada), e outro no campo da avaliação neuropsicológica, o Teste Stroop Dia-Noite (TSDN). A análise destes instrumentos do ponto de vista da precisão (e.g., consistência interna) e validade (e.g., validade convergente), permitiram verificar a sua adequação no contexto português. Para além destes dois instrumentos, ao grupo de estudo, composto por crianças vítimas de maltrato (n = 107) e ao grupo de controlo (n = 64) constituído por crianças não vítimas, entre os 40 e os 72 meses de idade (M = 57.07 meses), equivalentes no que concerne ao género, idade, etnia e NSE, foram ainda aplicados: a Escala de Inteligência de Wechsler para a Idade Pré-escolar e Primária – Forma Revista ou WPPSI-R, o Teste de Barragem da NEPSY, o Teste Memória de Faces da BANC e as Escalas de Comportamento para a Idade Pré-Escolar – 2ª Edição. Da análise comparativa entre o grupo de crianças vítimas de maltrato e o grupo de crianças não vítimas obtiveram-se resultados significativamente inferiores no grupo das vítimas, e com valores de magnitude do efeito médios a grandes no desempenho intelectual, neuropsicológico e socioemocional, consistentes com a literatura existente. A análise dos resultados em função de variáveis da própria criança e do contexto de vitimação de abuso/negligência, embora não permita confirmar todas as hipóteses estabelecidas, aponta para uma associação positiva significativa, de magnitude considerada fraca e moderadamente fraca, entre os índices de problemas de comportamento e o tempo de acolhimento. Verificou-se, ainda, ausência de diferenças significativas em função da variável género, no desempenho intelectual e neuropsicológico. Quanto à presença de sintomatologia de PTSD, as raparigas apresentaram índices superiores de queixas somáticas e de isolamento social que os rapazes, os quais demonstraram índices superiores de problemas externalizantes. Dados que são consistentes com pesquisas divulgadas na literatura. Consideramos que este estudo veio trazer um contributo positivo para a investigação, avaliação e intervenção em crianças vítimas de maltrato intrafamiliar em idade pré-escolar.
Description: Tese de Doutoramento em Psicologia, área de especialização em Avaliação Psicológica, apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências de Educação da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/23976
Appears in Collections:FPCEUC - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Maltrato Intrafamiliar em Crianças de Idade Pré-Escolar.pdf9 MBAdobe PDFView/Open    Request a copy


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.