Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/23679
Title: Gene transfer approaches to study the role of adenosine A2A receptors in Machado-Joseph disease
Authors: Gonçalves, Nélio da Mota 
Orientador: Almeida, Luís Pereira de
Cunha, Rodrigo A.
Keywords: Doença de Machado-Joseph; Neuromodulação
Issue Date: 29-Nov-2013
Citation: GONÇALVES, Nélio da Mota - Gene transfer approaches to study the role of adenosine A2A receptors in Machado-Joseph disease. Coimbra : [s.n.], 2013. Tese de doutoramento. Disponível na WWW: http://hdl.handle.net/10316/23679
Abstract: A doença de Machado-Joseph (DMJ) é uma doença neurodegenerativa causada por uma repetição excessiva do trinucleótido CAG no gene MJD1/ATXN3 que se traduz numa expansão de uma repetição de glutaminas na proteína ataxina-3. Não existe actualmente nenhuma terapêutica que previna ou modifique a progressão da doença. No entanto, como a manipulação do sistema neuromodulador da adenosina, em particular do seu receptor A2A, se tem revelado eficaz no controlo e alívio da neurodegenerescência em diferentes patologias cerebrais, testámos agora a sua capacidade de controlar a neurodegenerescência associada à DMJ. Com este propósito, utilizámos diferentes modelos roedores animais de DMJ, nomeadamente o modelo baseado na introdução intra-cerebral de vectores lentivirais e num modelo transgénico, e averiguámos a eficiência do antagonismo dos receptores A2A, bem como da sua deleção genética e molecular nas modificações neuropatológicas e comportamentais associadas. A administração crónica de cafeína (por via oral) foi a estratégia escolhida dada a sua capacidade para antagonizar os receptores de adenosina, em particular os receptores A2A (Fredholm et al., 1999), de atravessar a barreira hematoencefálica e, graças ao seu perfil de segurança, de poder tornar-se uma estratégia profilática promissora para modificar a progressão da DMJ. No capítulo 2, modulámos a DMJ transduzindo o estriado de animais murinos adultos da estirpe C57Bl6 com vectores lentivirais codificando para a ataxina-3 mutante num hemisfério e para a ataxina-3 normal no hemisfério contralateral (como controlo interno), e administrámos cafeína (1 g/L) solubilizando-a na água de beber. Os nossos resultados evidenciam dois fenómenos precoces na DMJ, a sinaptotoxicidade e a gliose, e demonstram que a cafeína e a deleção genética dos receptores A2A diminuem a patologia estriatal associada à doença o que nos leva a considerar os receptores A2A como um potencial novo alvo terapêutico para tratar a DMJ. No capítulo 3, administrámos cafeína (1 g/L, na água de beber) em murganhos transgénicos da DMJ (TgDMJ) e testámo-los em vários paradigmas motores e não motores. Os animais TgDMJ apresentaram uma série de modificações motoras e cognitivas/ emocionais, tais como défices na movimentação fina, e na capacidade de aprendizagem bem como alterações de humor. Os nossos resultados mostram que a cafeína previne a perda progressiva da função motora, do equilíbrio e da força muscular, acompanhado por uma preservação da morfologia cerebelar e da normalização de um possível desequilíbrio nos circuitos dopaminérgicos. No capítulo 4, o modelo da DMJ murganho baseado na transdução estriatal de lentivírus codificando para a ataxina-3 mutante foi: i) seguido de tratamento por via oral com o composto KW6002, um antagonista selectivo dos receptores A2A; ou ii) paralelamente co-transduzido com vectores lentivirais que promoveram o silenciamento ou a sobre-expressão dos receptores A2A. A expressão da ataxina-3 mutante no estriado de murganho induziu uma perda extensa de imunoreactividade à proteína DARPP-32 seguida de uma clara condensação da cápsula interna do corpo estriado. O composto KW6002 reduziu a perda de DARPP-32 e preveniu a redução do corpo estriado. Por sua vez, o silenciamento dos receptores A2A nos neurónios GABAérgicos estriatais do tipo espinhosos médios não exerceu qualquer efeito na progressão da DMJ conquanto a sua sobre-expressão resultou numa tendência para a neuroprotecção. Os nossos resultados suportam o envolvimento directo dos receptores A2A na progressão da DMJ e evidenciam a existência de um papel distinto dos receptores A2A localizados nos compartimentos pré- e pós-sináptico estriatais, devendo este facto constituir uma preocupação especial na concepção de terapêuticas baseadas no antagonismo dos receptores A2A direccionadas para reduzir a patologia da doença de Machado-Joseph. Por fim, esta dissertação apresenta um conjunto de evidências que demonstram pela primeira vez que os receptores A2A constituem um novo alvo terapêutico que permite interferir com a evolução da DMJ.
Description: Tese de doutoramento em Farmácia, na especialidade de Biotecnologia Farmacêutica, apresentada à Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/23679
Rights: openAccess
Appears in Collections:FFUC- Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat
NG PhDThesis_Nelio.pdf9.41 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 20

550
checked on Dec 7, 2021

Download(s) 50

253
checked on Dec 7, 2021

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.