Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/22294
Title: Competência percebida e aceitação social de crianças e jovens com síndroma de Down : estudo realizado em crianças e jovens e seus pais
Authors: Ferreira, Marta Eduarda Azevedo Gonçalves 
Orientador: Ferreira, José Pedro Leitão
Keywords: Síndroma de Down; Aceitação social
Issue Date: 2012
Citation: FERREIRA, Marta Eduarda Azevedo Gonçalves - Competência percebida e aceitação social de crianças e jovens com síndroma de Down : estudo realizado em crianças e jovens e seus pais. Coimbra : [s.n.], 2012. Dissertação de mestrado
Abstract: Este estudo teve como objetivo comparar as perceções de competência cognitiva e física e, aceitação social de pais e pares, de crianças e jovens com síndroma de down, de ambos os géneros, com idade mental de 4-6 e 7-9 anos reportada neles próprios, e pelos seus pais. A amostra foi constituída por 59 crianças e jovens e os 59 pais. A idade cronológica das crianças e jovens, segundo a divisão por género, foi de 29 do género masculino com idades entre 20 e 39 anos e de 30 do género feminino com idades entre 13 e 43 anos. No entanto, 30 destas crianças e jovens apresentavam uma idade mental entre 4-6 anos e as restantes 29, uma idade mental entre 7-9 anos. Foi utlizada a versão portuguesa de Campos e Ferreira (2008) adaptada às crianças e jovens com sindroma de down da Dutch Pictoral Scale of Perceived Competence and social Acceptence for Young Child (Vermeer e Vennhof, 1997). A análise dos resultados permitiu constar que o género masculino apresentou valores médios superiores aos do feminino nas subescalas das crianças e jovens à exceção da subescala de competência cognitiva. No que diz respeito às subescalas de perceção dos pais, das crianças e jovens do género masculino apresentam valores médios mais elevados nas subescalas de perceção de competência cognitiva e física do que no género feminino. Não existe associação estatisticamente significativa entre as subescalas de perceção das crianças e jovens e, dos seus pais no género feminino. No género masculino, verificou-se uma associação entre todas as subescalas das crianças e jovens e, dos seus pais, mas apenas na subescala de aceitação social de pares é uma associação estatisticamente significativa. Existem diferenças estatisticamente significativas em todas as comparações exceto na subescala de aceitação social de pais, no género masculino, na idade mental dos 7-9 anos, quando comparamos cada uma das subescalas de perceção entre crianças e jovens e, pais, por idade mental e género.
Description: Dissertação de mestrado em Exercício Físico e Saúde em Populações Especiais, apresentada à Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra.
URI: http://hdl.handle.net/10316/22294
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCDEF - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Tese Marta Ferreira 2012.pdf790.24 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

206
checked on Oct 20, 2021

Download(s)

75
checked on Oct 20, 2021

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.