Title: Bem-estar subjectivo, auto-estima e autopercepções no domínio físico em idosos : estudo comparativo entre idosos praticantes e não praticantes de actividade física regular
Authors: Leandro, Carlos José Duarte 
Keywords: Exercício físico -- idoso;Bateria de testes;Idosos;Actividade física;Bem-estar subjectivo;Auto-estima;Qualidade de vida
Issue Date: 2011
Citation: LEANDRO, Carlos José Duarte - Bem-estar subjectivo, auto-estima e autopercepções no domínio físico em idosos : estudo comparativo entre idosos praticantes e não praticantes de actividade física regular. Coimbra : [s.n.], 2011
Abstract: O estudo do bem-estar subjectivo, da auto-estima e das autopercepções no domínio físico em populações idosas, em Portugal, é reduzido, designadamente na comparação entre idosos activos e sedentários. Verifica-se actualmente, que o número de idosos praticantes de actividade física está a aumentar, porém ainda é insuficiente em relação aos que se encontram sedentários. Este facto é ainda mais relevante quando se sabe os inúmeros benefícios que um estilo de vida activo pode ter, nomeadamente ao nível fisiológico, psicológico e social. Considerando a importância que o nível psicológico tem na qualidade de vida de um idoso, foi nosso objectivo realizar uma investigação para analisar se a prática de exercício físico influencia os níveis do bem-estar subjectivo, da auto-estima e das autopercepções dos idosos. Pretendemos também com a realização desta investigação, observar se o modo como os idosos activos praticam a sua actividade física, influência as suas componentes psicológicas, anteriormente referidas. Para tal, o estudo baseou-se numa amostra constituída por 164 indivíduos, habitantes no Concelho de Santarém, com idades compreendidas entre os 65 e os 83 anos, dos quais 90 indivíduos são do género feminino e os restantes 74 são do género masculino. Da totalidade da amostra (N=164), 82 indivíduos são activos e os restantes 82 são sedentários. É importante salientar que, dos 82 indivíduos activos, 39 indivíduos praticam actividade física de modo formal, com orientação de um profissional de educação física e os restantes 43 praticam actividade física de modo informal, sem orientação técnica. Com o intuito de avaliar o bem-estar subjectivo, utilizamos uma bateria de testes constituída pelos questionários: Satisfaction With Life Scale de Pavot et al. (1998) e a Self-Anchoring Rating Scale de Cantril (1965) para a avaliação da Satisfação com a Vida no Geral e no Momento e a Perceived Stress Scale (PSS) de Cohen et al. (1983), para avaliar o Controlo de Vida. Para avaliar a auto-estima global, recorremos à aplicação da versão portuguesa da Escala da Auto-estima de Rosenberg – Rosenberg Self Esteem Scale (1965), adaptação efectuada por Ferreira (2001), Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra. Por sua vez para avaliar as autopercepções no domínio físico, utilizamos o Perfil de Auto-percepção Física – Physical Self Perception Profile (PSPP) de Fox e Corbin (1990) – versão portuguesa por Fonseca e Fox (2002) e Ferreira e Fox (2002, 2003 e 2004). Após a análise estatística, os resultados indicaram relativamente ao género masculino, que em todas as variáveis psicológicas, os praticantes de actividade física regular demonstram valores superiores aos não praticantes, contudo estas diferenças apenas são estatisticamente significativas nas componentes satisfação com a vida no momento e percepção face ao stress do bem-estar subjectivo. No que concerne ao género feminino, os resultados indicaram, que não existiram diferenças estatisticamente significativas entre as idosas praticantes e não praticantes de actividade física regular. Contudo nas componentes satisfação com a vida no momento e percepção face ao stress do bem-estar subjectivo, na auto-estima global e no sub-domíno funcionalidade corporal, as idosas activas apresentaram valores mais positivos. Em oposição, na componente satisfação com a vida no geral do bem-estar subjectivo e nos sub-domínos atracção corporal e saúde física da autopercepção, são as idosas sedentárias que apresentaram os valores superiores. De salientar que na generalidade a revisão da literatura revelou, que a prática de actividade física, influência de forma positiva o nível psicológico dos idosos em ambos os géneros. No que toca à influência que o modo como a prática de actividade física é executada tem no nível psicológico dos idosos activos, os resultados evidenciaram, que em todas as variáveis psicológicas, os praticantes de actividade física regular de modo formal demonstram valores superiores aos praticantes de modo informal, porém estas diferenças apenas são estatisticamente significativas na componente percepção face ao stress do bem-estar subjectivo e no sub-domínio funcionalidade corporal da autopercepção. De salientar que na generalidade a revisão da literatura revelou, que a prática de actividade física de modo formal, influência de forma positiva o nível psicológico dos idosos.
The study of the satisfaction with life, the self-esteem in physical domain in elderly populations in Portugal is really small, mainly in the comparison between active and sedentary elderly. Nowadays the number of elderly people that are practicing exercise is rising up, however is still low among the sedentary. This is really relevant if we take into account the numerous benefits that an active life style can have in the physiological, psychological and social levels. Taking into account the benefits that the psychological level has in the life quality of an elderly, it was our goal to do a research where it was evaluated the physical exercise in the elderly satisfaction with life, self-esteem and physical self-perception. We also intended to observe if the way that active elderly exercise themselves have some influence in the psychological components already described. The study is based in a sample composed by 164 individuals living in the district of Santarém, with ages between 65 and 83 years old, where 90 are females and 74 are males. From the sample total (N=164), half of the individuals are actives and the other half is sedentary. It is also important to say that from the 82 that are active, 39 have orientations during their practice of exercise given by a sports professional, and the other 43 have no kind of professional orientation. To evaluate the satisfaction with live were applied the following tests: Satisfaction With Life Scale from Pavot et al. (1998), the Self-Anchoring Rating Scale from Cantril (1965), used to evaluate the Genelar Satisfaction With Life and also in Moment, and the Perceived Stress Scale (PSS) from Cohen et al. (1983) to evaluate the Life Control. To evaluate the global Self-Esteem we applied the Portuguese version of the Rosenberg Self-Esteem Scale (1965), which was adapted by Ferreira (2001) from the Faculty of Sport Sciences and Physical Education from the University of Coimbra. On the other hand, to evaluate the self-perceptions in the physical domain, we used the Physical Self Perception Profile (PSPP) from Fox and Corbin (1990) – Portuguese version from Fonseca and Fox (2002) and Ferreira and Fox (2002, 2003 and 2004). After the statistical analysis the results showed that among males, and in all the psychological variables, the ones that practise physical activity in a regular way, the values are higher in comparison with the one that do not practice, however these differences have only statistical significance when we observe the satisfaction with life and the perceived stress. Now, regarding the results about females, the results showed that there are no significant statistical differences between active and sedentary elderly women. However, the satisfaction with live in the moment and the perceived stress, in the self-esteem and in the body function sub-domain, presents higher values. On the other hand, in the global satisfaction with life and in the body appeal and physical health self-perception, are the female elderly that have higher values. Is also important to say that the revision of the literature revealed that the practice of physical exercise plays an important role in the elderly physiological level of both sexes. About the influence that the way of practicing exercise has in the psychological level of the active elderly, the results showed that in all the psychological variables, the ones that have a regular practise of exercise in a formal way have higher values than the others that practise exercise in an informal way. Although, these differences are only significant concerning the perceived stress and in the body function sub-domain. In the way to finish, is still important to say that the revision of the literature also revealed that the formal practice of exercise have a positive influence in the elderly psychological level.
Description: Dissertação de mestrado em Exercício e Saúde em Populações Especiais, apresentada à Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Fisica da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/20007
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCDEF - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação.doc1.52 MBMicrosoft WordView/Open
Show full item record
Google ScholarTM
Check
Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.