Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/17606
Title: Desenvolvimento e optimização de uma metodologia analítica para a determinação de a-e B-amanitina em urina humana por LC-MS/MS
Authors: Leite, Marta Sofia Carvalho Ferreira Malheiro 
Orientador: Ramos, Fernando Jorge
Pais, Alberto António Caria Canelas
Teixeira, Helena Maria Sousa F.
Issue Date: Nov-2011
Citation: Leite, Maria Sofia Carvalho Ferreira Malheiro - Desenvolvimento e optimização de uma metodologia analítica para determinação de a e B-amanitina em urina humana por LC-MS/MS. Coimbra, 2011
Abstract: A colheita de cogumelos silvestres é uma prática ainda muito presente nos dias de hoje, por todo o mundo. Apesar do consumo da maioria dos cogumelos silvestres existentes ser inofensiva para o ser humano, existem algumas espécies que possuem na sua constituição substâncias tóxicas, cuja penetração no organismo, via tracto digestivo, causa o desenvolvimento de efeitos nocivos em diferentes tecidos. O envenenamento por cogumelos Amanita é uma rara mas séria causa de intoxicação humana fatal. As amatoxinas, um grupo de octapeptídeos biciclícos produzidas pela espécie Amanita phalloides, são responsáveis pela elevada toxicidade destes fungos, sendo a α-amanitina e a β-amanitina as toxinas letais maioritárias. Estas causam necrose celular, especialmente no fígado e nos rins, conduzindo à morte por falência hepática e insuficiência renal aguda. O presente trabalho teve como objectivo o desenvolvimento, optimização e aplicação de uma metodologia analítica por cromatografia líquida acoplada a espectrometria de massa sequencial (LC-MS/MS), após um pré-tratamento para precipitação de proteínas por solvente orgânico e procedimento de extracção em fase sólida (SPE), para a determinação das amatoxinas α- e β-amanitina, em amostras de urina humana. Os parâmetros de validação definidos para este método englobaram linearidade, limites de detecção (LD) e de quantificação (LQ), selectividade, sensibilidade, repetibilidade e recuperação da extracção, de forma a garantir fiabilidade nos resultados analíticos obtidos. O método desenvolvido provou ser específico e selectivo, com valores de LD e LQ para a α-amanitina de 1.93 e 3.29 ng/mL e para a β-amanitina de 1.74 e 3.16 ng/mL, respectivamente. A lineariedade estudada em amostras fortificadas foi satisfatória (0.97 para a α-amanitina e 0.98 para a β-amanitina) num intervalo de 5 a 20 ng/mL. A repetibilidade foi verificada ao nível de 10 ng/mL (n=3) de α- amanitina e β-amanitina em amostras de urina fortificadas, com coeficientes de variação obtidos de 3.68 e 2.33%, respectivamente. A recuperação do método extractivo desenvolvido apresentou bons resultados para as baixas concentrações RESUMO xii analisadas, com percentagens entre os 64 e 70% para a α-amanitina, e entre os 64 e 68% para a β-amanitina. A metodologia descrita foi, posteriormente, aplicada a uma amostra real de urina de cadáver, disponibilizada pelo Serviço de Toxicologia Forense da Delegação do Centro do Instituto Nacional de Medicina Legal (INML, I.P.). A análise da amostra forense em questão visou demonstrar a capacidade da metodologia desenvolvida para aplicação e implementação em casos reais de intoxicação por amatoxinas. A metodologia analítica desenvolvida tanto a nível de extracção, como de sistema cromatográfico, é inovadora, apresentando um elevado potencial na identificação e detecção de α- e β-amanitinas em amostras de urina. O método descrito poderá ser aplicável à determinação de α- e β-amanitinas a outras amostras biológicas, como fígado e rins. Palavras-chave: α-Amanitina; β-Amanitina; Intoxicação; SPE; LC-MS/MS
URI: http://hdl.handle.net/10316/17606
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCTUC Química - Teses de Mestrado
UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Dissertação para provas de Mestrado em Química Forense.pdf1.18 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

348
checked on Aug 18, 2022

Download(s) 50

710
checked on Aug 18, 2022

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.