Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/10594
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorTeixeira, Ana Maria Botelho-
dc.contributor.advisorRama, Luís-
dc.contributor.authorCoutinho, Carina-
dc.date.accessioned2009-07-09T13:16:23Z-
dc.date.available2009-07-09T13:16:23Z-
dc.date.issued2007-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10316/10594-
dc.description.abstractEste estudo teve como objectivo a utilização da CK, Ureia e IgA Salivar na monitorização da carga de treino nos remadores de elevado rendimento. Para tal, foram seleccionados 12 remadores de nível competitivo nacional, sendo 9 atletas pertencentes ao género masculino e 3 atletas ao género feminino. Esta amostra possuía idades compreendidas entre os 18 e os 27 anos de idade (M=22,2;Dp=2,6). Os níveis de IgA salivar, de CK e de ureia foram recolhidos em 4 diferentes momentos difrentes ao longo da época desportiva. O tratamento estatístico e a análise dos dados foram realizados através do programa estatístico “Statistical Package for Social Sciences – SPSS”. Foi feita a avaliação da normalidade da distribuição das variáveis em estudo; optou-se pelo teste de Wilcoxon para a comparação dos valores médios em amostras relacionadas com um grau de significância de p<0,05. Ao contrário da literatura por nós consultada, A CK embora demonstre elevar-se em resposta ao aumento do volume e da intensidade do treino, em fases de preparação directa para a competição evidencia um comportamento inverso. Nestes momentos que se traduzem pela utilização de maiores intervalos de repouso parece existir uma adaptação do organismo a tarefas identificadas com as exigências da competição. O aumento de volume de carga de treino parece estar associado a um aumento do metabolismo proteico provocando um aumento da concentração de ureia. Analisando os resultados por nós encontrados, verifica-se que num primeiro momento em que a carga de treino apresenta uma baixa intensidade e um volume elevado parece estimular o sistema imunitário, registando uma elevação da IgA salivar. No entanto, com a continuação da exposição às cargas de treino com um incremento da intensidade, verificamos que a IgA sofre uma diminuição drástica.en_US
dc.language.isoporen_US
dc.rightsopenAccesseng
dc.subjectTreinoen_US
dc.subjectCarga de treinoen_US
dc.subjectRemoen_US
dc.subjectAlto rendimentoen_US
dc.subjectTestesen_US
dc.titleUtilização da CK, Ureia e Iga Salivar na Monitorização da Carga de Treino em Remadores de Elevado Rendimentoen_US
dc.typebachelorThesisen_US
item.grantfulltextopen-
item.fulltextCom Texto completo-
crisitem.advisor.deptFaculdade de Ciências do Desporto e Educação Física, Universidade de Coimbra-
crisitem.advisor.researchunitResearch Unit for Sport and Physical Activity/University of Coimbra-
Appears in Collections:FCDEF - Vários
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
"Utilização da CK, ureia e Iga Salivar na461.77 kBAdobe PDFView/Open
Show simple item record

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.