Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/99302
Title: Self-Report Symptom Inventory (SRSI): Estudos de validação em contexto prisional (design de simulação análogo, validade convergente e validade discriminante)
Other Titles: Self-Report Symptom Inventory (SRSI): Validation studies in a prison context (analogous simulation design, convergent validity and discriminant validity)
Authors: Venâncio, Ana Cláudia Serdoura
Orientador: Simões, Mário Manuel Rodrigues
Keywords: SRSI; validade de sintomas; simulação/exagero de sintomas; design de simulação análogo; SRSI; symptom validity; feigning/over-reporting; analog simulation design
Issue Date: 16-Nov-2021
Serial title, monograph or event: Self-Report Symptom Inventory (SRSI): Estudos de validação em contexto prisional (design de simulação análogo, validade convergente e validade discriminante)
Place of publication or event: Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
Abstract: The adoption of biased response styles, such as the simulation and exaggeration of psychopathological symptoms, by an examinee, composes a threat to the validity of the results of a (neuro)psychological assessment, especially in forensic contexts, in which secondary gains can stand out. Symptom Validity Tests (SVT) aim to detect the presence of such response styles/ behaviors, in order to provide mental health professionals more reliable interpretations of an individual's actual psychological functioning profile.This study seeked to continue the validation process of the Self-Report Symptom Inventory (SRSI; Merten et al., 2016) for the portugueses prison context. To achieve the mentioned goal, to a prison sample of 100 inmates, aged between 18 and 72 years old, was administered an assessment protocol consisting of the following instruments: the SRSI, the Structured Inventory of Malingered Symptomatology (SIMS; Smith & Burger, 1997; Widows & Smith, 2005; portuguese version: Simões, Almiro, Mota, et al., 2017), the Symptom Validity Scale – Version 2 (EVS-2; Simões, Almiro, Nunes, et al., 2017; Cunha, 2011) and the Brief Symptom Inventory (BSI; Derogatis, 1982; portuguese version: Canavarro, 2007). The present SRSI validation study was based on analogous simulation design, in an intra-subject way. Therefore, all participants answered to the SRSI in two contiguous moments: in a honest way (“honest” condition) and according to instructions (cover story – “simulation” condition) built in line with the recommendations that emerge from the scientific literature, in an attempt to maximize the possibility of generalizability of the data.Regarding the results, the reliability studies (internal consistency of the SRSI scores) indicate high values of Cronbach's alpha for both scales, in both conditions. In the context of convergent validity studies, it should be noted that the SRSI has validity with other TVS (e.g., SIMS and EVS-2), since the results showed the existence of positive, high and significant relationships between the Pseudo-symptoms scale (SRSI) and the total result of the SIMS and EVS-2 (instruments that measure similar theoretical constructs). In the same sense, and as expected, positive, moderate and/or strong correlations were observed between the Genuine Symptoms scale (SRSI) and the BSI global indices (instrument that measures the presence of genuine psychopathology). In the domain of discriminant validity, non-significant, reduced or null correlations were expected between the Pseudo-symptoms scale (SRSI) and the BSI, due to the measurement of non-overlapping constructs. Nevertheless, the results suggested that Pseudo-symptoms scale proved to be equally sensitive to the presence of psychopathology, since there were moderate and strong correlations between it and the global BSI indices – aspect that indicates lack of discriminant validity. In turn, as expected, positive but reduced correlations were observed between the total of the Genuine Symptoms scale (in the “honest” condition) and the total of the Pseudo-symptoms scale (in the “simulation” condition). Also with regard to discriminant validity, it was possible to verify the SRSI's ability to differentiate the scores of the “honest” condition and the “simulation” condition, since there were statistically significant differences between the means obtained in them, with the corresponding effect size being large. In the same sense, the SRSI proved to be able to discriminate the responses of inmates from non-inmates (control sample), scoring the former significantly more than the latter, on the scales and in most subscales of the SRSI.The implications of this study in a prison context are analyzed and recommendations for future investigations are presented.
A adoção de estilos de resposta enviesados, como a simulação e exagero de sintomas psicopatológicos, por parte de um examinando, constitui uma ameaça à validade dos resultados de uma avaliação (neuro)psicológica, especialmente em contextos forenses, nos quais ganhos secundários têm elevada probabilidade de manifestação. Os Testes de Validade de Sintomas (TVS) têm como objetivo detetar a presença de tais estilos de resposta/ comportamentos, viabilizando, desse modo, interpretações mais fidedignas acerca do perfil de funcionamento psicológico real de um indivíduo. A presente investigação procurou dar continuidade ao processo de validação do Self-Report Symptom Inventory (SRSI; Merten et al., 2016) no contexto prisional português. Para a concretização do referido objetivo, foi administrado a uma amostra prisional de 100 reclusos, com idades compreendidas entre os 18 e os 72 anos, um protocolo de avaliação constituído pelos seguintes instrumentos: o SRSI, o Structured Inventory of Malingered Symptomatology (SIMS; Smith & Burger, 1997; Widows & Smith, 2005; versão portuguesa: Simões, Almiro, Mota, et al., 2017), a Escala de Validade de Sintomas – Versão 2 (EVS-2; Simões, Almiro, Nunes, et al., 2017; Cunha, 2011) e o Brief Symptom Inventory (BSI; Derogatis, 1982; versão portuguesa: Canavarro, 2007). O presente estudo de validação do SRSI recorreu ao design de simulação análogo, numa vertente intra-sujeitos. Desta forma, todos os participantes responderam ao SRSI em dois momentos contíguos: de forma honesta (condição “honesta”) e de acordo com instruções (cover story – condição de ”simulação”), elaboradas considerando recomendações da literatura científica e orientadas para maximizar a possibilidade de generalização dos dados.No que concerne aos resultados, os estudos de fiabilidade (consistência interna das pontuações no SRSI) indicam valores elevados de alfa de Cronbach para ambas as escalas, em ambas as condições. No âmbito dos estudos de validade convergente, é de referir que o SRSI contém validade com outros TVS (e.g., SIMS e EVS-2), já que os resultados evidenciaram a existência de relações positivas, elevadas e significativas entre a escala de Pseudo-sintomas do SRSI e o resultado total do SIMS e da EVS-2 (instrumentos que medem constructos teóricos semelhantes). No mesmo sentido, e de acordo com o esperado, foram encontradas correlações positivas, moderadas e/ou fortes entre a escala de Sintomas Genuínos e os índices globais do BSI (instrumento que mede a presença de psicopatologia genuína). No domínio da validade discriminante, esperavam-se correlações não significativas, reduzidas ou nulas entre a escala Pseudo-sintomas do SRSI e o BSI, uma vez que mensuram constructos não sobrepostos. Porém, os resultados sugeriram que a escala Pseudo-sintomas se revelou igualmente sensível à presença de psicopatologia, uma vez que se observaram correlações moderadas e fortes entre a mesma e os índices globais do BSI – aspeto sinalizador de ausência de validade discriminante. Por sua vez, e de acordo com o esperado, foram observadas correlações positivas reduzidas entre o total da escala Sintomas Genuínos (na condição “honesta”) e o total da escala Pseudo-sintomas (na condição “simulação”). Ainda no que concerne à validade discriminante, foi possível verificar a capacidade do SRSI, diferenciar as pontuações da condição “honesta” e da condição “simulação”, na medida em que se observaram diferenças estatisticamente significativas entre as médias obtidas nas mesmas, sendo o tamanho de efeito correspondente grande. No mesmo sentido, o SRSI revelou ser capaz de discriminar as respostas dos participantes reclusos de participantes não-reclusos (amostra de controlo), pontuando os primeiros significativamente mais do que os segundos, nas escalas e na maioria das subescalas do SRSI.São analisadas as implicações do presente estudo em contexto prisional e apresentadas recomendações para futuras investigações.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Psicologia apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
URI: http://hdl.handle.net/10316/99302
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Dissertação_AnaCláudiaSerdouraVenâncio.pdf2.52 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

23
checked on Aug 12, 2022

Download(s)

9
checked on Aug 12, 2022

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons