Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/99299
Title: Avaliação da capacidade financeira: Contributos para a normalização do Instrumento de Avaliação da Capacidade Financeira (IACFin) na população portuguesa
Other Titles: Financial Capacity Assessment: Contributions for the normative parameters of Financial Capacity Assessment Instrument (IACFin) in the portuguese population
Authors: Fernandes, Maria Inês Pina
Orientador: Sousa, Liliana Baptista
Vilar, Maria Manuela Pereira
Keywords: Capacidade Financeira; Capacidade Testamentária; IACFin; Validação e normalização; Adultos e Idosos; Financial Capacity; Testementary Capacity; IACFin; Validation and standardization; Adults and Eldery
Issue Date: 16-Dec-2021
Serial title, monograph or event: Avaliação da capacidade financeira: Contributos para a normalização do Instrumento de Avaliação da Capacidade Financeira (IACFin) na população portuguesa
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: Introdução: Quer o envelhecimento normativo, quer o patológico (incluindo doenças degenerativas e/ou doença mental, e.g. demência, declínio cognitivo ligeiro, depressão) surgem associados a perdas cognitivas e funcionais. Uma das capacidades sensíveis/vulneráveis ao envelhecimento e ao declínio cognitivo é a capacidade financeira, que pode originar limitações no funcionamento quotidiano do idoso e incrementar a sua dependência em relação a terceiros, restringindo a sua autonomia e independência. Em Portugal, está previsto na lei um conjunto de medidas legais para a proteção da pessoa com incapacidade. Neste âmbito, é usualmente requerida avaliação neuropsicológica, para estabelecer o perfil de funcionamento dos indivíduos, incluindo os aspetos da funcionalidade em termos financeiros. O Instrumento de Avaliação da Capacidade Financeira (IACFin) é um instrumento especificamente desenvolvido para o efeito, em contexto português.Objetivos: A presente dissertação/estudo tem como objetivo contribuir para a normalização do Instrumento de Avaliação da Capacidade Financeira (IACfin) para a população portuguesa de adultos e adultos idosos. Métodos: Foi utilizada uma amostra de conveniência (N=118). O protocolo de avaliação aplicado incluiu uma entrevista semiestruturada para a recolha de informação sociodemográfica e clínica, o Exame Cognitivo de Addenbrooke – Revisto (ACE-R), a Escala de Depressão Geriátrica-30 Itens (GDS-30), o Inventário de Avaliação Funcional de Adultos e Idosos (IAFAI) e o Instrumento de Avaliação da Capacidade Financeira (IACFin).Resultados: Observou-se uma influência significativa das variáveis idade e escolaridade na capacidade financeira (quanto mais idade, menor a capacidade; quanto mais escolaridade, mais preservada a capacidade) e ausência de influência significativa entre a variável sexo e a capacidade financeira (com exceção do domínio Pagamento de contas, no qual os homens pontuam melhor). Foram também observadas associações significativas entre os resultados no IACFin e os do ACE-R, identificando um pior desempenho da capacidade financeira quanto menor a pontuação no exame cognitivo. Foi também possível observar um melhor desempenho da capacidade financeira no grupo normativo face ao grupo clínico, sinalizando um menor desempenho da capacidade financeira em quadros de declínio cognitivo. Foi construído um primeiro referencial normativo exploratório (percentis) com base nas variáveis idade e escolaridade.Conclusões: Entre as limitações apresentadas no estudo, denota-se a necessidade de realizar estudos futuros no âmbito de uma amostra mais alargada, abrangente e diferenciada. Contudo, ficou demonstrado que as pontuações no IACFin diferenciam amostras normativas e clínicas (considerando grupo com declínio cognitivo), assim como sensibilidade à influência das variáveis sociodemográficas, como a idade e escolaridade. É também desenvolvido um primeiro referencial normativo para a interpretação dos desempenhos neste instrumento, potenciando a tomada de decisão no âmbito da avaliação da capacidade financeira em contextos clínicos e legais.
Introduction: Both normative and pathological aging (including degenerative diseases and/or mental illness, e.g., dementia, mild cognitive decline, depression) are associated with cognitive and functional losses. One of the sensitive/vulnerable abilities to aging and cognitive decline is financial capacity, which can lead to limitations in the daily functioning of the elderly and increase their dependence on others, restricting their autonomy and independence. In Portugal, the law provides for a set of legal measures to protect people with disabilities. In this context, neuropsychological assessment is usually required to establish the functioning profile of individuals, including aspects of functionality in financial terms. The Financial Capacity Assessment Instrument (IACFin) is an instrument specifically developed for this purpose, in a Portuguese context.Objetives: This dissertation/study aims to contribute to the standardization of the Financial Capacity Assessment Inventory for the Portuguese population of adults and elderly.Methods: Was used a convenience sample (N=118). The assessment protocol applied included a semi-structured interview to collect sociodemographic and clinical information, the Addenbroke’s Cognitive Assessment – Revised (ACE-R), the Geriatric Depression Scale (GDS-30), the Adults and Older Adults Functional Assessment Inventory (IAFAI) and the Financial Capacity Assessment Inventory (IACFin).Results: There was a significant influence of the variables age and education on financial capacity (the older the person, the less the ability; the more education, the more preserved the ability) and no significant influence between the variable gender and financial ability (except for the domain Bill payment, in which men scored better). Significant associations were also observed between the results on the IACFin and the ACE-R, identifying a worse performance in financial capacity the lower the score on the cognitive exam. It was also possible to observe a better performance of financial capacity in the normative group compared to the clinical group, signaling a lower performance of financial capacity in cases of cognitive decline. A first exploratory normative reference (percentiles) was built based on the age and education variables.Conclusions: Among the limitations presented in the study, there is the need to carry out future studies within a broader, comprehensive and differentiated sample. However, it was shown that the scores on the IACFin differentiate normative and clinical samples (considering a group with cognitive decline), as well as sensitivity to the influence of sociodemographic variables, such as age and education. A first normative referencial for the interpretation of performance in this instrument is also developed, enhancing decision-making in the context of the assessment of financial capacity in clinical and legal contexts.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Psicologia apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
URI: http://hdl.handle.net/10316/99299
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Dissertação 2021 Final Maria Inês Pina Fernandes.pdf898.09 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

14
checked on Aug 12, 2022

Download(s)

9
checked on Aug 12, 2022

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons