Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/99298
Title: Contributos para a Validação do Instrumento de Avaliação Funcional de Adultos e Idosos (IAFAI): um estudo de acordo interinformadores e de relação com medida de desempenho de capacidade financeira
Other Titles: Contributions for the Validation of the Adults and Older Adults Functional Assessment Inventory (IAFAI): a study of inter-informant agreement and the relationship with a performance-based measure of financial capacity
Authors: Santos, Andreia Patricia Aleixo dos
Orientador: Sousa, Liliana Baptista
Vilar, Maria Manuela Pereira
Keywords: acordo interinformadores; IAFAI; capacidade funcional; capacidade financeira; adultos e idosos; inter-informant agreement; IAFAI; functional capacity; financial capacity; adults and the elderly
Issue Date: 16-Dec-2021
Serial title, monograph or event: Contributos para a Validação do Instrumento de Avaliação Funcional de Adultos e Idosos (IAFAI): um estudo de acordo interinformadores e de relação com medida de desempenho de capacidade financeira
Place of publication or event: Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
Abstract: Introdução: A população portuguesa encontra-se cada vez mais envelhecida, verificando-se o contínuo e acentuado crescimento do índice de envelhecimento e de longevidade. A população envelhecida é mais suscetível ao desenvolvimento de quadros clínicos que poderão comprometer a sua capacidade funcional, aspeto crucial da autonomia. A incapacidade funcional tem impacto em vários aspetos da vida do sujeito, desde atividades mais básicas, como alimentação e higiene, a atividades complexas, como a gerência de finanças, sendo um aspeto fundamental de diagnósticos diferenciais, por exemplo, entre quadros de declínio cognitivo ligeiro e de demência. Assim, torna-se imperativo que a avaliação desta capacidade seja integrada em processos avaliativos, de forma a que esta seja o mais compreensiva possível, recorrendo a instrumentos que avaliem este aspeto do funcionamento de forma fiável. Objetivos: Averiguar a fiabilidade do IAFAI, especificamente no que concerne o acordo interinformadores, comparando/considerando a resposta/perceção da (in)capacidade funcional em adultos e adultos idosos e a resposta/perceção reportada por um informador. Adicionalmente, recorrendo aos resultados obtidos no Módulo Aptidões Financeiras Gerais do IACFin, fazer uma comparação entre os relatos dos sujeitos referentes especificamente à capacidade financeira (IAFAI) e o desempenho efetivo do sujeito nas tarefas de natureza financeira equivalentes (IACFin).Métodos: Foi utilizada uma amostra de conveniência da população geral constituída por 49 sujeitos (28 adultos e 21 adultos idosos), maioritariamente do sexo feminino (79.6%), com idades compreendidas entre os 42 e os 84 anos. O protocolo de avaliação administrado inclui: Consentimento informado, entrevista semiestruturada, Escala de Depressão Geriátrica (GDS-30), Exame Cognitivo de Addenbrooke – Revisto (ACE-R), Inventário de Avaliação Funcional de Adultos e Idosos (IAFAI) (administrado ao próprio e ao informador) e o Instrumento de Avaliação da Capacidade Financeira (IACFin). Resultados: Observa-se uma tendência para, em populações preservadas, a existência de acordo entre os autorrelatos e os relatos de informadores na incapacidade funcional geral e na capacidade financeira. No entanto, os autorrelatos e os relatos do informador, quanto reportam ausência de incapacidade funcional, não correspondem necessariamente a um desempenho completamente correto em tarefas de natureza financeira. Conclusões: Apesar das limitações e da necessidade de realizar estudos semelhantes com uma amostra mais ampla que inclua participantes clínicos, o IAFAI parece cumprir o predisposto, no que concerne ao acordo interinformadores, sendo possível constatar no presente estudo a existência de acordo entre os relatos, mostrando que, em populações preservadas, o relato do próprio e o relato de um informador referente à capacidade funcional irá ser maioritariamente congruente. Ainda assim, o recurso a medidas de desempenho é importante, permitindo uma avaliação o mais completa possível sobre a capacidade funcional dos sujeitos, para que se possa responder de forma mais robusta a questões de incapacidade em contexto forense.
Introduction: The Portuguese population is aging rapidly, registering a continuous and steep growth on the aging index and life expectancy. The elderly population is more vulnerable to developing clinical conditions, which might compromise their functional capacity, essential to their autonomy. Functional incapacity has an impact in many aspects of a person’s life, from basic daily life activities, like eating and hygiene, to more complex activities, like managing one’s finances, which is a fundamental aspect of differential diagnosis, like mild cognitive impairment and dementia. Thus, it is crucial that the assessment of these abilities is integrated into assessment procedures, in order to understand it in a comprehensive way, using assessment instruments that report this aspect in a reliable manner. Objectives: To attest the reliability of IAFAI, specifically corning the inter-informant agreement, by comparing the self-report of adults and older adults and the report of informants. Additionally, using the results in Module II of IACFin, compare the self-reports specifically about financial capacity (IAFAI) and the performance in equivalent financial tasks (IACFin). Methods: A sample of convenience of the general population was used, composed by 49 participants (28 adults and 21 older adults) mainly females (79.6%), with aged between 42 and 84 years. The neuropsychological assessment protocol included: informed consent, semi-structed interview, Geriatric Depression Scale – 30 (GDS – 30); Addenbrooke’s Cognitive Examination – Revised (ACE -R), Adults and Older Adults Functional Assessment Inventory (IAFAI) (applied to the participant and to an informant), and the Financial Capacity Assessment Instrument (IACFin). Results: There seems to be a tendency, in preserved populations, to have agreement between the self-reports and informant reports, in both global functional capacity and financial capacity. However, both reports, when indicative of the absence of functional incapacity, do not necessarily correspond to a completely correct performance in financial tasks. Conclusions: Despite the limitations of this study and the need to develop similar studies with a broader sample that includes clinical groups, IAFAI seems to be reliable when it comes to inter-informant agreement, as, in the present study, it was possible to attest the existence of agreement between the reports, showing evidence that, in preserved populations, the self and informant reports will be mostly coherent. Still, the use of performance-based measures is important, allowing a more complete assessment of the functional capacity of the subjects, so that it is possible to answer in a sturdier way to questions of incapacity in the forensic context.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Psicologia apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
URI: http://hdl.handle.net/10316/99298
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
dissertação_Andreia Santos_IAFAI - acordo interinformadores.pdf918.38 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

29
checked on Aug 5, 2022

Download(s)

18
checked on Aug 5, 2022

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons