Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/98521
Title: Internamentos Compulsivos: Revisão da casuística dos Hospitais da Universidade de Coimbra no período 2016-2019
Other Titles: Compulsory admissions: Casuistry review of Hospitals of University of Coimbra between 2016-2019
Authors: Rouxinol, Margarida Pires de Moura da Silva
Orientador: Santos, António João Ferreira de Macedo e
Mota, David Manuel Gomes
Keywords: Saúde mental; Epidemiologia; Tratamento psiquiátrico involuntário; Mental health; Epidemiology; Involuntary psychiatric treatment
Issue Date: 27-May-2021
Serial title, monograph or event: Internamentos Compulsivos: Revisão da casuística dos Hospitais da Universidade de Coimbra no período 2016-2019
Place of publication or event: Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
Abstract: Introdução: A criação da Lei de Saúde Mental, há mais de 20 anos, possibilitou a regulamentação dos Internamentos compulsivos, o que gerou intenso debate e reflexão. Contudo, essa intensidade inicial foi seguida de escassa publicação de investigação clínica sobre a epidemiologia dos internamentos compulsivos. O presente estudo pretende caraterizar o padrão de indivíduos submetidos a internamentos compulsivos, traçando um perfil. Metodologia: Num estudo retrospetivo, foram recolhidas 319 notas de alta de indivíduos submetidos a internamentos compulsivos no Pólo dos Hospitais da Universidade de Coimbra do Centro Hospitalar Universitário de Coimbra (CHUC), ocorridos no período de 2016-2019. Após recolha da informação foram analisadas primeiro variáveis sociodemográficas dos indivíduos, como o género, faixa etária, estado civil e situação laboral. De seguida, variáveis clínicas, como a duração do internamento, número de internamentos anteriores, reinternamentos no período de 2016-2019, comportamentos aditivos, destino na alta, diagnóstico na admissão e diagnóstico na alta, tratamento farmacológico na admissão, tratamento farmacológico na alta, fármaco injetável de longa duração na admissão, fármaco injetável de longa duração na alta e, por último, circunstâncias legais do internamento. As variáveis foram descritas por medidas paramétricas de tendência central e dispersão, utilizou-se o teste t de Student e o teste de Qui-Quadrado para comparação das pontuações médias e exploraram-se as relações entre as variáveis calculando os coeficientes de correlação de Pearson e realizando análises de regressão linear. Resultados: Verificou-se um predomínio de indivíduos do género masculino, com idades compreendidas entre 40-49 anos, solteiros e desempregados, com uma média de duração do internamento de 2-4 semanas. A maioria, com antecedentes de múltiplos internamentos anteriores, sem reinternamentos no período de 2016-2019, sem comportamentos aditivos e com continuação do tratamento compulsivo em regime ambulatório. Na admissão e na alta a esquizofrenia representou o diagnóstico mais frequente, não estando os doentes a fazer nenhum tratamento farmacológico na admissão e, na alta, a associação de antipsicóticos atípicos e benzodiazepinas foi o tratamento farmacológico mais frequente. Verificou-se que a maioria dos doentes não se encontravam medicados com antipsicótico injetável de longa duração antes e após o internamento. Conclusão: No presente estudo realizado nos Hospitais da Universidade de Coimbra, estabeleceu-se o perfil-tipo do indivíduo sujeito a internamento compulsivo como Homem, na faixa etária dos 40-49 anos, solteiro e desempregado, com uma duração média de internamento de cerca de 2-4 semanas, com múltiplos internamentos psiquiátricos anteriores e com diagnóstico frequente na admissão e na alta, de Esquizofrenia.
Introduction: The creation of the Mental Health Law over 20 years ago made it possible to regulate compulsory hospitalizations, which have caused intense debate and reflection. However, this intensity was not followed by substantial publications of clinical research on the epidemiology of compulsive hospitalizations. This study intends to caracterize the model of patients submitted to compulsory hospitalizations by drawing a profile. Methodology: In a retrospective study, 319 discharge notes were collected from compulsory hospitalizations at polo Hospitais da Universidade de Coimbra, Centro Hospitalar Universitário de Coimbra, between 2016-2019. While gathering information, sociodemographic variables of individuals were first analyzed, such as gender, age group, marital and employment status. Then, clinical variables, such as length of hospital stay, number of previous hospitalizations, readmissions between 2016-2019, addictive behaviors, destination at discharge, diagnose at admission and diagnose at discharge, pharmacological treatment before admission, pharmacological treatment after discharge, long-term injectable antipsychotic before admission and long-term injectable antipsychotic after discharge and legal circumstances of hospitalization. The variables were described using parametric measures of central tendency and dispersion and student t test and Chi-square test were used to compare the mean scores. In order to explore the relations between the variables, Pearson’s correlation coefficients were calculated, and linear regression analyses were performed.Results: There was a predominance of male individuals, aged between 40-49 years, single and unemployed, with a length of hospital stay of 2-4 weeks, submitted to multiple previous hospitalizations, the majority without readmissions between 2016-2019, without addictive behaviors and with continued compulsory treatment on an outpatient basis. At admission and at discharge, schizophrenia was the most frequent diagnosis, with no pharmacological treatment before admission and an association of atypical antipsychotics and benzodiazepines as the most frequent pharmacological treatment at discharge. Most of the patients before admission and at discharge were not treated with long-term injectable antipsychotic. Conclusion: In the present study carried out at Hospitais da Universidade de Coimbra it was possible to establish a profile of the patient submitted to compulsory hospitalization as a man, aged 40-49 years, single and unemployed, with a length of hospital stay of 2-4 weeks, submitted to multiple previous hospitalizations and with schizophrenia as the most frequent diagnosis at admission and discharge.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/98521
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Tese de Mestrado versão final.pdf533.86 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

26
checked on Aug 12, 2022

Download(s)

32
checked on Aug 12, 2022

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons