Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/98519
Title: Impulsividade e compulsividade na Perturbação por Uso de Álcool – implicações e comparação com a Perturbação Obsessivo-Compulsiva
Other Titles: Impulsivity and compulsivity in Alcohol Use Disorder – implications and comparison with Obsessive-Compulsive Disorder
Authors: Reis, Catarina Isabel Cesário
Orientador: Araújo, Ana Isabel Maia Pinto de
Pereira, Ana Telma Fernandes
Keywords: Perturbação por Uso de Álcool; Perturbação Obsessivo-Compulsiva; Impulsividade; Compulsividade; Impulsivity; Compulsivity; Obsessive-Compulsive Disorder; Alcohol Use Disorder
Issue Date: 15-Mar-2021
Serial title, monograph or event: Impulsividade e compulsividade na Perturbação por Uso de Álcool – implicações e comparação com a Perturbação Obsessivo-Compulsiva
Place of publication or event: Instituto de Psicologia Médica da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
Abstract: Recently, impulsivity and compulsivity have been defined as orthogonal and positively related constructs that present a relatively high prevalence, which justify its study. Alcohol use disorder/AUD and obsessive-compulsive disorder/OCD are examples of these types of perturbations, which demonstrate similarities and differences in the initial impulse, deregulation of inhibitory systems and perpetuation of behaviours. The objectives of this study were to compare the levels of impulsivity and compulsivity in patients with AUD and OCD, and in the first ones, to comprehend the role of dimensions of impulsivity and compulsivity in the severity of the disease.We performed an observational cross-sectional study. We recruited 40 patients diagnosed with OCD and 32 patients with AUD, who responded to a sociodemographic inquiry and the questionnaires Autism Spectrum Quotient for Adults, Obsessive Compulsive Inventory – Revised, Barratt Impulsiveness Scale and the Depression, Anxiety and Stress Scale 21. Additionally, the patients with AUD responded to Parkinson’s Disease Impulsive-Compulsive Disorders Questionnaire – Current Short and Alcohol Use Disorders Identification Test.Patients with AUD presented higher scores of impulsivity and of obsessive-compulsive symptoms than patients with Obsessive-Compulsive Disorder. In patients with AUD, the severity consumption was positively correlated with the motor and non-planning dimensions of impulsivity; these explained 28.1% and 15.9% of the variance of the symptoms’ severity (p<.05). Most patients with AUD reported suffering from symptoms of deregulation of impulse control, some of them explained by the levels of impulsivity (compulsive shopping) and of OC symptoms (compulsive shopping and hypersexuality).Although compulsivity has a high importance in the development of AUD, the largest report of it in this disease in comparison with OCD is due to socially prescribed perfectionism and auto-occultation, characteristic of patients with this last disease. Results support the orthogonal relation between compulsivity and impulsivity in AUD and also the fact of difficulty of reflection before acting and disorganization being predictors of alcohol consumption severity. The higher levels of obsessive-compulsive symptoms and its role in explaining impulse control disorders (hypersexuality and compulsive shopping), in AUD patients, suggest these people not only have higher predisposition to initiate dysfunctional behaviours (alcohol consumption) but also difficulty to stop those behaviours. Additionally, these results highlight the diversity of AUD symptoms.AUD is phenotypically heterogeneous, encompassing manifestations of impulsivity and compulsivity spectrum. The conceptualization of AUD as an impulsivity/compulsivity disorder has diagnostic, therapeutic and sociocultural implications.
A impulsividade e a compulsividade têm sido definidas recentemente como construtos ortogonais e positivamente relacionados, nomeadamente nas perturbações da impulsividade/compulsividade, que apresentam uma prevalência relativamente elevada, o que justifica o seu estudo. São exemplos deste tipo de perturbações, a Perturbação por Uso de Álcool/PUA e a Perturbação Obsessivo-Compulsiva/POC, que apresentam entre si semelhanças e diferenças no impulso inicial, desregulação dos sistemas inibitórios e perpetuação de comportamentos. Os objetivos deste estudo foram comparar níveis de impulsividade e de compulsividade entre doentes com PUA e POC e, nos primeiros, compreender o papel de dimensões da impulsividade e da compulsividade na gravidade da doença.Realizámos um estudo observacional, correlacional e transversal. Recrutámos 40 doentes com o diagnóstico de POC e 32 com o diagnóstico de PUA, que responderam a um inquérito sociodemográfico e aos questionários Barratt Impulsiveness Scale, Obsessive-Compulsive Inventory – Revised e Escala de Ansiedade, Depressão e Stresse 21. Adicionalmente, os doentes com PUA responderam aos questionários Parkinson’s Disease Impulsive-Compulsive Disorders Questionnaire – Current Short e Alcohol Use Disorders Identification Test.Os doentes com PUA apresentaram pontuações mais elevadas de impulsividade e de sintomas obsessivo-compulsivos do que os doentes com POC. Nos doentes com PUA, a gravidade dos consumos correlacionou-se positivamente com as dimensões motora e não-planeamento da impulsividade; estas explicaram 28,1% e 15,9% da variância da gravidade dos consumos (p<0,05). A maioria dos doentes com PUA relatou sofrer de sintomas de desregulação do controlo dos impulsos, alguns dos quais foram explicados pelos níveis de impulsividade (compras compulsivas) e de sintomas obsessivo-compulsivos (compras compulsivas e hipersexualidade).Apesar de a compulsividade ter uma elevada importância no desenvolvimento da PUA, o maior relato da mesma nesta doença em relação à POC dever-se-á ao perfeccionismo socialmente prescrito e auto-ocultação característicos destes últimos doentes. Os resultados suportam a relação ortogonal da impulsividade e compulsividade na PUA e ainda o facto de a dificuldade em refletir antes de agir e a desorganização serem preditores da gravidade dos consumos alcoólicos. Os níveis elevados de sintomas obsessivo-compulsivos e o seu papel na explicação das perturbações do controlo do impulso (hipersexualidade e compras compulsivas), na PUA, indicam que estas pessoas têm maior predisposição para iniciar comportamentos disfuncionais (consumo de bebidas alcoólicas), e maior dificuldade em pará-los. Adicionalmente, estes resultados apontam para a diversidade sindromática da PUA.A PUA é uma perturbação fenotipicamente heterogénea, abarcando manifestações do espetro impulsivo e compulsivo. A sua conceptualização como perturbação impulsiva/compulsiva tem implicações diagnósticas, terapêuticas e socioculturais.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/98519
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
FinalF.pdf939.32 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

44
checked on Aug 19, 2022

Download(s)

40
checked on Aug 19, 2022

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons