Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/98497
Title: Parents' longevity as a protective factor for Alzheimer's disease
Other Titles: LONGEVIDADE DOS PAIS COMO FACTOR PROTECTOR PARA DOENÇA DE ALZHEIMER
Authors: Mano, Francisco Xavier Proença da Cunha Sequeira
Orientador: Santana, Maria Isabel Jacinto
Pereira, Miguel António Tábuas da Cunha
Keywords: Longevidade; Demência; Idade; Doença de Alzheimer; Hereditariedade; Longevity; Dementia; Age; Alzheimer’s disease; Heritability
Issue Date: 18-Mar-2021
Serial title, monograph or event: PARENTS' LONGEVITY AS A PROTECTIVE FACTOR FOR ALZHEIMER'S DISEASE
Place of publication or event: Clínica Universitária de Neurologia, Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC)
Abstract: Apesar de um grande esforço na identificação de fatores de risco para o desenvolvimento da doença de Alzheimer (DA), ainda há muito para descobrir. Alguns estudos já tentaram reportar uma associação entre a longevidade dos pais de um indivíduo e a incidência de DA, registando-se resultados contraditórios. Além disso, o papel da diferença de sexo na associação entre longevidade dos pais e demência permanece particularmente inexplorado. Investigar se a morte dos pais em idade mais tardia pode funcionar como um fator de proteção para a DA. Realizámos um estudo de caso-controlo no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra. Os casos foram definidos como doentes adultos com diagnóstico de DA de acordo com os critérios atuais. Os controlos foram definidos como adultos com desempenho cognitivo normal, e sem alterações neuropsiquiátricas. Foi aplicado um questionário estruturado a toda a amostra. A análise multivariada foi realizada com regressão logística de forma a identificar variáveis independentes associadas ao estado (controlo vs. casos). Incluímos 225 indivíduos na amostra, 111 doentes com DA e 114 controlos. Verificámos que a idade de morte da mãe é significativamente maior no grupo controlo vs. DA (81.6 ± 12.3 vs. 77.2 ± 13.7 anos, p=0.015). Não foi encontrada diferença entre a idade de morte do pai (75.0 ± 13.8 vs. 74.0 ± 15.4, p=0.552). Se excluirmos os doentes e controlos com história familiar positiva para demência, as diferenças permanecem. Na regressão logística, a idade da morte da mãe (OR=0.969, 95%CI= [0.947, 0.992], p=0.008) persiste estatisticamente significativa. A morte da mãe em idade mais tardia parece funcionar como um fator protetor para a DA. Esta diferença de sexo na influência da longevidade dos pais fornece uma visão adicional sobre possíveis fatores de risco para DA, onde a mãe tem um papel preponderante, merecendo uma investigação mais aprofundada.
Despite great effort to identify risk factors for developing Alzheimer’s disease (AD), much remains to be understood. Some studies report association between longevity of an individual’s parents and incidence of AD, with conflicting results. Furthermore, the role of sex-differential in parents’ longevity and dementia remains particularly unexplored.To investigate whether parents’ older age at death may act as a protective factor for AD. We performed a case-control study in Coimbra Hospital and University Centre. Cases were defined as adult patients with diagnosis of AD according to current criteria. Controls were defined as adults with normal cognitive performance, and no neuropsychiatric disorder. A structured questionnaire was applied to all subjects. Multivariate analysis was conducted with logistic regression to identify independent variables associated with status (control vs. cases). Statistical significance was set at α=0.05. We included 225 subjects, 111 AD patients and 114 controls. We found mothers’ age at death to be significantly higher in control vs. AD group (81.6 ± 12.3 vs. 77.2 ± 13.7 years, p=0.015). No difference was found between fathers’ age at death (75.0 ± 13.8 vs. 74.0 ± 15.4 years, p=0.552). If we exclude patients and controls with a positive family history for dementia, the results are similar. On logistic regression, maternal age at death (OR=0.969, 95%CI= [0.947, 0.992], p=0.008) persists as statistically significant. Older maternal age at death appears to act as a protective factor for AD. This sex-differential in parents’ longevity provides further insight on a possible maternally inherited risk factors in AD, deserving further investigation.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/98497
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Trabalho Final_Francisco Mano.pdf692.14 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

13
checked on Aug 19, 2022

Download(s)

3
checked on Aug 19, 2022

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons