Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/98481
Title: Síndrome QT Longo Adquirido: Foco no Serviço de Urgência
Other Titles: Acquired Long QT Syndrome Focus on Emmergency Medical Service
Authors: Queijo, Carolina Isabel Marcos
Orientador: Camões, Guilherme de Freitas
António, Natália Sofia Claúdio
Keywords: Síndrome QT longo; Interação farmacológica; Serviço de Urgência; Morte súbita; Long QT Syndrome; Drug Interactions; Emergency medical Services; Sudden death
Issue Date: 31-May-2021
Serial title, monograph or event: Síndrome QT Longo Adquirido: Foco no Serviço de Urgência
Place of publication or event: Serviço de Urgência do Centro Hospitalar e Universitário do Hospital de Coimbra
Abstract: Introdução: O Síndrome de QT longo (SQTL) é uma condição rara que pode ser congénita ou adquirida. Esta é caracterizada pelo prolongamento do intervalo QT no eletrocardiograma (ECG) e está associada a morte súbita cardíaca (MSC). Dado que, alguns dos fatores precipitantes de QT longo adquirido podem ser suspensos, é crucial identificar as causas de modo a que o risco de MSC seja minimizado.Objetivos: Determinar a prevalência de SQTL adquirido e caracterizar os fatores que levam a este síndrome em doentes que recorreram ao serviço de urgência (SU).Métodos: Foi realizado um estudo observacional retrospetivo com base em dados clínicos de adultos observados em contexto de urgência no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) no período compreendido entre 28 de janeiro e 17 de março de 2020. Foram analisados 6280 eletrocardiograma (ECGs) com o intervalo QT corrigido (QTc) pela fórmula de Bazzett. Considerou-se a definição de intervalo QTc aumentado apresentada pela American College of Cardiology (QTc≥470ms no sexo masculino e ≥480 ms no sexo feminino). Foram excluídos os doentes com SQTL do tipo congénito, com fibrilhação auricular (FA), portadores de pacemaker e cardioversor-desfibrilhador implantável (CDI) e os que não apresentavam ECG no sistema informático. As variáveis em estudo foram género e idade dos doentes, a duração do intervalo QTc, apresentação clínica, fatores de risco para prolongamento do intervalo QT e presença de medicação prolongadora do intervalo QT. Resultados: Na amostra estudada, a prevalência de SQTL adquirido foi de 6,3% (394 ECGs que representam 387 doentes). Verificou-se que o género feminino apresentou um intervalo QTc 16,62 ms superior em relação aos do sexo masculino. Identificou-se que os fármacos prolongadores do QT mais comuns num contexto de urgência são os diuréticos (n=184, 46,68%) em especial a furosemida (n=136, 34,5%). Foi encontrada uma associação entre o valor do intervalo QT e o número total de medicamentos que os doentes tomam (p=0,001) e o número total de fatores de risco (p=0,040). Não foram encontradas associações ou correlações significativas para as restantes variáveis.Discussão e Conclusão: Este estudo confirma que há uma relação entre o valor do intervalo QTc e o sexo feminino, revelou também que quanto maior o número de fatores de risco e maior o número de medicamentos prolongadores do QT maior a duração do intervalo QTc. É assim aconselhável um maior controlo destes fatores precipitantes, reforçando a importância da reconciliação terapêutica.
Background: Long QT Syndrome (LQTS) is a rare condition that can be congenital or acquired. This is characterized by prolongation of the QT interval on the electrocardiogram (ECG) and is associated with sudden cardiac death (SCD). Given that some of the precipitating factors of acquired long QT can be suspended, it is crucial to identify the causes so that the risk of SCD could be minimized.Objectives: To determine the prevalence of acquired LQTS and to characterize the factors that lead to this syndrome in patients who have resorted to the emergency department (ED).Methods: A retrospective observational study was conducted, based on clinical data of adults observed in an emergency context in the Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) between January 28 and March 17, 2020. A total of 6280 electrocardiograms (ECGs) were analysed with the corrected QT interval (QTc) by Bazzett's formula. We considered the definition of increased QTc interval presented by the American College of Cardiology (QTc≥470ms in males and ≥480 ms in females). Patients with congenital LQTS, with atrial fibrillation (AF), pacemaker and implantable cardioverter-defibrillator (ICD) and those who did not have ECG in the computer system were excluded. The variables under study were gender and age of the patients, QTc interval duration, clinical presentation, risk factors for prolongation of the QT interval and presence of medication that prolongs the QT interval. Results: In this study sample the prevalence of acquired LQTS was 6.3% (394 ECGs, concerning 387 patients). Female gender had a 16.62 ms longer QTc interval compared to males. It was identified that the most common QT prolonging drugs in an emergent scenario are diuretics (n=184, 46.68%), especially furosemide (n=136, 34.5%). An association was found between the QT interval value and the total number of drugs (p=0.001) and the total number of risk factors (p=0.040) that prolongs QT interval. No significant associations or correlations were found for the remaining variables.Discussion and Conclusion: This study confirmed that there is a relationship between the QTc interval value and the female gender. It also revealed that the higher the number of risk factors and the number of prolonging QT drugs the longer the QTc interval. Therefore, it is advisable to control these precipitating factors, reinforcing the importance of therapeutic reconciliation.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/98481
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Tese-versão final-corrigida-final.pdf666.57 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

18
checked on Aug 5, 2022

Download(s)

34
checked on Aug 5, 2022

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons