Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/98462
Title: O conhecimento sobre a hipertensão arterial e intensidade terapêutica anti-hipertensiva na população portuguesa
Other Titles: KNOWLEDGE ABOUT ARTERIAL HYPERTENSION AND ANTI-HYPERTENSIVE MEDICATION LOAD IN THE PORTUGESE POPULATION
Authors: Simões, Nívio José Sanches
Orientador: Santiago, Luiz Miguel de Mendonça Soares
Keywords: Adesão à terapêutica; Questionário HKT; Conhecimento sobre HTA; Adherence to therapy; Questionnaire HKT; Knowledge about arterial hypertension
Issue Date: 14-Jun-2021
Serial title, monograph or event: O CONHECIMENTO SOBRE A HIPERTENSÃO ARTERIAL E INTENSIDADE TERAPÊUTICA ANTI-HIPERTENSIVA NA POPULAÇÃO PORTUGUESA
Place of publication or event: Faculdade de Medicina. Universidade de Coimbra. Coimbra. Portugal
Abstract: Introduction: The problem of patients' non-adherence to therapy is of paramount importance, both in controlling the disease and in minimizing the costs and risks for the patient, his family and the National Health System (NHS).Arterial hypertension is the main risk factor in cardiovascular diseases (CVD), where it manifests slow and asymptomatic, its diagnosis, in many cases, being too late. Even with correct therapy the control of arterial hypertension, in Portugal, is of about 42,5%.Objectives: The aim of this study was to determine whether knowledge about hypertension influenced adherence to hypertension therapyMethods: Observational cross-sectional study in a Primary Care Unit in Central Portugal ( USF Topázio, Eiras, Coimbra), where hypertensive patients in a follow-up consultation were randomly invited to participate, answering a questionnaire with the Portuguese version of the HKT Hypertension Knowledge Test (HKT-pt-PT).The assessment of knowledge was stratified by sociodemographic factors (age and gender), clinical factors (hypertension controlled or not depending on the last two BP values measured at the consultation) and therapeutic factors (number of antihypertensive drugs).After a brief explanation of the procedure, informed consent was obtained for the responses and authorization for treatment of the data. The self-administered questionnaires were returned to the doctor or nurse at the end.For data processing we used the statistical program SPSS.Results: 80 patients participated, with a mean age of 41.59± 25.315. For 81%, there was the assumption of having arterial hypertension controlled, no difference existing between genders, p=0.469. A mean±dp of 1.84 ± 1.02 drugs per patient was self-related. The average HKT score was 11.5 ± 5, median 13,5, with Cronbach's alpha (α = 0.747). A very week non-significant correlation was found between the number of anti-hypertensive medications and the total score of HKT (ρ=0,028; p=0.806).Conclusions: A high proportion of this sample states having arterial hypertension controlled, no difference between genders.No correlation was found between knowledge about hypertension number of anti-hypertensive medications.
RESUMOIntrodução: A problemática da não adesão dos doentes aos regimes terapêuticos é de uma importância primordial, tanto no controlo da doença, como na minimização dos custos e dos riscos para o doente, a família e o Serviço Nacional de Saúde (SNS).A hipertensão arterial (HTA) é o principal fator de risco (FR) nas doenças cardiovasculares (DCV), com instalação lenta e assintomática, tendo em muitos casos um diagnóstico tardio. Mesmo com uma terapêutica correta a frequência de controlo, em Portugal, da HTA é de 42,5%.Objetivos: O objetivo deste estudo foi determinar se o conhecimento sobre hipertensão influenciou a adesão à terapia de hipertensão.Métodos e Amostra: Estudo observacional transversal em uma Unidade Básica de Saúde do Centro de Portugal (USF Topázio, Eiras, Coimbra), onde hipertensos em consulta de acompanhamento foram convidados aleatoriamente a participar, respondendo a um questionário com a versão portuguesa do HKT Hypertension Knowledge Test (HKT-pt-PT). A avaliação do conhecimento foi estratificada por fatores sociodemográficos (idade e sexo), fatores clínicos (hipertensão controlada ou não dependendo dos dois últimos valores de PA medidos na consulta) e fatores terapêuticos (número de medicamentos anti-hipertensivos).Após breve explicação do procedimento, foi obtido consentimento informado para as respostas e autorização para tratamento dos dados. Os questionários de autopreenchimento foram devolvidos ao médico ou enfermeiro no final.Para o processamento dos dados foi utilizado o programa estatístico SPSS.Resultados: Participaram 80 pacientes, com média de idade de 41,59 ± 25,315. Para 81%, foi presumida a hipertensão arterial controlada, sem diferença entre os sexos, p = 0,469. Uma média ± dp de 1,84 ± 1,02 medicamentos por paciente foi autocorrelacionada. O resultado médio do HKT foi 11,5 ± 5, mediana 13,5, com alfa de Cronbach (α = 0,747). Encontrou-se uma correlação fraca não significativa entre o número de medicamentos anti-hipertensivos e o escore total de HKT (ρ = 0,028; p = 0,806).Conclusões: Grande parte desta amostra afirma ter hipertensão arterial controlada, sem diferença entre os sexos.Não foi encontrada correlação entre o conhecimento sobre hipertensão e número de medicamentos anti-hipertensivos.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/98462
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Trabalho MIM Nívio Final.pdf524.57 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

29
checked on Aug 5, 2022

Download(s)

22
checked on Aug 5, 2022

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons