Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/98456
Title: Adesão à Terapêutica Farmacológica da Hipertensão Arterial: Perspetiva dos Utentes
Other Titles: Adherence to Pharmacological Therapy for Arterial Hypertension: Patients' Perspective
Authors: Silva, Inês Beatriz Lima
Orientador: Silva, Inês Rosendo Carvalho e
Keywords: Hipertensão Arterial; controlo da Hipertensão Arterial; adesão terapêutica farmacológica; consenso estratégico; Arterial hypertension; arterial hypertension control; pharmacological therapeutic adherence; strategic consensus
Issue Date: 7-Jun-2021
Serial title, monograph or event: Adesão à Terapêutica Farmacológica da Hipertensão Arterial: Perspetiva dos Utentes
Place of publication or event: Faculdade Medicina Universidade de Coimbra
Abstract: Introdução: A Hipertensão Arterial é uma doença muito prevalente e que está associada a grande morbilidade e mortalidade. Ainda assim, este cenário pode ser melhorado pela adesão ao tratamento farmacológico da hipertensão, que está descrita como sub-ótima na literatura. Objetivo: O objetivo deste estudo foi realizar um estudo piloto para avaliar de forma qualitativa os fatores que contribuem para a adesão farmacológica à terapêutica anti-hipertensora, na perspetiva das pessoas com o diagnóstico de hipertensão arterial.Métodos: Fez-se um focus group pessoas diagnosticadas com Hipertensão Arterial que tomam, pelo menos, um medicamento anti-hipertensora e que aceitaram participar. Os dados qualitativos foram recolhidos através de inquérito previamente estruturado, com perguntas de resposta aberta. A análise foi feita recorrendo ao software de facilitação de análise de dados MAXQDA® 2020.Resultados: A terapêutica anti-hipertensiva é vista pelos pacientes entrevistados como necessária para evitar complicações associadas à Hipertensão Arterial. Foram apontadas dificuldades à adesão farmacológica anti-hipertensora, nomeadamente quando há mudanças na rotina diária dos participantes. A família e a tecnologia são vistas como facilitadores na adesão à terapêutica, mas também podem constituir barreiras à mesma. Segundo estes participantes, os cuidados de saúde primários têm também um papel importante, mas sentem que poderia haver uma melhor transmissão de informações e acessibilidade. Foram sugeridas diversas formas de ultrapassar as barreiras à adesão.Discussão: Os fatores facilitadores e as barreiras encontradas pelos nossos participantes, vão ao encontro daquilo que já foi descrito na literatura. A literacia da amostra foi elevada e as regiões geográficas retratadas foram restritas, pelo que a amostra poderá não representar a população portuguesa. O uso de uma plataforma de videoconferência poderá ter dificultado a comunicação entre participantes.Conclusão: Este estudo piloto reuniu informação importante sobre a perspetiva dos utentes nas barreiras e nos fatores facilitadores à adesão da terapêutica farmacológica da HTA. Os resultados obtidos neste estudo podem ser utilizados, no futuro, para orientar outros focus groups no desenvolvimento de estratégias que visem a otimização da adesão à terapêutica farmacológica da Hipertensão Arterial.
Introduction: Hypertension is a very prevalent disease that is associated with great morbidity and mortality. Even so, this scenario can be improved by adhering to the pharmacological treatment of hypertension, which is described as sub-optimal in the literature.Objective: The objective of this study was to conduct a pilot study to qualitatively assess the factors that contribute to pharmacological adherence to antihypertensive therapy, from the perspective of people diagnosed with arterial hypertension.Methods: A focus group was made of people diagnosed with Hypertension who take at least one antihypertensive medication and who agreed to participate. Qualitative data were collected through a previously structured survey, with open-ended questions. The analysis was performed using MAXQDA® 2020 data analysis facilitation software.Results: The anti-hypertensive therapy is seen by the interviewed patients as necessary to avoid complications associated with Arterial Hypertension. Difficulties with anti-hypertensive pharmacological adherence were pointed out, namely when there are changes in the participants' daily routine. The family and technology are seen as facilitators in adhering to therapy, but they can also constitute barriers to it. According to these participants, primary health care also plays an important role, but they feel that there could be a better transmission of information and accessibility. Several ways of overcoming barriers to membership have been suggested.Discussion: The facilitating factors and barriers encountered by our participants are in line with what has already been described in the literature. The sample's literacy was high and the geographic regions portrayed were restricted, so the sample may not represent the Portuguese population. The use of a videoconferencing platform may have hindered communication between participants.Conclusion: This pilot study gathered important information about the users' perspective on barriers and factors that facilitate the adherence to pharmacological therapy for hypertension. The results obtained in this study can be used, in the future, to guide other focus groups in the development of strategies aimed at optimizing adherence to the pharmacological therapy of Arterial Hypertension.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/98456
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Show full item record

Page view(s)

29
checked on Aug 12, 2022

Download(s)

15
checked on Aug 12, 2022

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons