Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/98418
Title: Comparação dos níveis de psicopatologia entre os cuidadores informais de doentes jovens com esquizofrenia e de doentes idosos com demência
Other Titles: Comparison of psychopathology levels between informal caregivers of young patients with schizophrenia and older patients with dementia
Authors: Valadão, Daniela Ávila
Orientador: Cerejeira, Joaquim Manuel Soares
Keywords: Cuidador; Demência; Esquizofrenia; Sobrecarga; Qualidade de vida; Caregiver; Dementia; Schizophrenia; Burden; QoL
Issue Date: 31-May-2021
Serial title, monograph or event: Comparação dos níveis de psicopatologia entre os cuidadores informais de doentes jovens com esquizofrenia e de doentes idosos com demência
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: Introdução: Os doentes com demência e esquizofrenia necessitam de apoio e supervisão nas atividades de vida diária sendo esses cuidados prestados maioritariamente por cuidadores informais. O objetivo deste estudo é avaliar e comparar as características e necessidades dos cuidadores informais de doentes com demência e de doentes com esquizofrenia.Métodos: Estudo de desenho não experimental, transversal, de tipo descritivo e correlacional. A amostra incluiu 60 cuidadores informais, 30 cuidadores de idosos com demência e 30 cuidadores de doentes com esquizofrenia. As duas amostras foram comparadas relativamente ao contexto sócio-demográfico e familiar e padrão de cuidados. Os instrumentos utilizados foram: a) Questionário geral do cuidador principal; b) CADI; c) Escala Transversal de Sintomas de Nível 1 Autoaplicável do DSM-5 – Adulto; d) Índice Barthel; e) IQCODE; f) NPI; g) Escala de sintomas positivos e negativos; h) Escala Funcional WHODAS 2.Resultados: Verificou-se que: a) a tarefa de cuidar recai mais frequentemente no elemento feminino mais próximo, sendo a mãe no caso dos doentes com esquizofrenia e a filha/esposa no caso dos doentes com demência; b) a média de idades dos cuidadores é de 57 anos nos cuidadores de doentes com demência (CD) e de 61 anos nos cuidadores de doentes com esquizofrenia (CE); c) a maioria dos cuidadores partilha responsabilidade com algum elemento do agregado; d) o cuidado mais frequentemente prestado é, no caso dos CD o acompanhamento a consultas e no caso dos CE o apoio emocional; e) observaram-se diferenças estatisticamente significativas entre as duas amostras no que toca às exigências de ordem física, sendo os doentes com demência os que exigem mais fisicamente; f) quanto mais dependente o doente, mais repercussões trará à vida do cuidador.Discussão: Há, na mulher, uma responsabilidade implícita de cuidadora, que tem passado de geração em geração. A mulher assume um papel mais disponível, de companheirismo e apoio emocional que acarreta um grande impacto na saúde, daí esta tendência do cuidador ser um elemento do sexo feminino. As diferenças de exigência de ordem física prendem-se com o facto de os doentes que sofrem de demência serem doentes mais dependentes a nível físico, quer em cuidados de higiene quer em mobilidade e transporte, o que leva consequentemente a uma exigência física maior aos cuidadores destes doentes quando comparados com os cuidadores de doentes com esquizofrenia. À medida que o doente se torna mais dependente, à medida que a sua condição de saúde piora, aumenta o nível de exigência de cuidados, quer a nível físico quer psicológico, razões estas que se repercutem na qualidade de vida dos cuidadores.Conclusão: Através do estudo do contexto da prestação de cuidados, das características socioculturais e das principais necessidades do cuidador e do doente, os profissionais podem proporcionar à família o apoio necessário, para se sentirem valorizadas, de forma a que os cuidadores informais percebam que não são meros cuidadores, mas que constituem um papel fulcral na nossa comunidade.
Introduction: Patients with dementia and schizophrenia need support and supervision in activities of daily living, being such care provided, mostly, by caregivers. The aim of this study is to assess and compare the characteristics and needs of caregivers of patients with dementia and patients with schizophrenia.Methods: Study of non-experimental, cross-sectional, descriptive and correlational type. The sample included 60 caregivers, 30 caregivers of elderly people with dementia and 30 caregivers of patients with schizophrenia. The two samples were compared in relation to the socio-demographic and family context and standard of care. The instruments used were: a) General questionnaire of the caregiver; b) CADI; c) Cross-sectional Scale of Symptoms of Level 1 Self-applicable DSM-5 - Adult; d) Barthel Index; e) IQCODE; f) NPI; g) Scale of positive and negative symptoms; h) WHODAS 2 Functional Scale.Results: It was found that: a) the task of caring more often falls on the closest female element, being the mother in the case of patients with schizophrenia and the daughter / wife in the case of patients with dementia; b) the average age of the caregivers is 57 years in the dementia’s caregiver (DC) and 61 years in the schizophrenia’s caregiver (SC); c) most caregivers share responsibility with some member of the household; d) the most frequently provided care is, in the case of the DC, follow-up to consultations and, in the case of the SC, emotional support; e) there were statistically significant differences between the two samples in terms of physical requirements, with patients with dementia being the ones who demand the most physically; f) the more dependent the patient, the more repercussions it will bring to the caregiver's life.Discussion: There’s an implicit responsibility in women to be a caregiver, which has been passed down from generation to generation. The woman assumes a more available role, of companionship and emotional support that has a great impact on health, which tends for the caregiver to be a female member. The differences in physical demands are related to the fact that patients suffering from dementia are more physically dependent, either in hygiene care or in mobility and transport, which consequently leads to a greater physical demand on caregivers of these patients when compared to caregivers of patients with schizophrenia. As the patient becomes more dependent, as their health condition worsens, the level of care demand increases, both physically and psychologically, reasons that have an impact on the quality of life of caregivers.Conclusion: By studying the context of care provision, socio-cultural characteristics and the main needs of the caregiver and the patient, professionals can provide the family with the necessary support to feel valued, so that caregivers realize that they’re not mere caregivers, but that they play a central role in our community.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/98418
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Tese atualizada+anexos.pdf4.99 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

32
checked on Aug 12, 2022

Download(s)

24
checked on Aug 12, 2022

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons