Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/98415
Title: Células Linfoides Inatas do tipo 2 na Asma com inflamação T-2
Other Titles: Type 2 Innate Lymphoid Cells in Asthma with T-2 inflammation
Authors: Fernandes, Válter Alexandre Martins
Orientador: Pereira, António Celso Dias Pais
Faria, Emília Maria Antunes Gomes de
Keywords: Asma; ILC-2; Eosinófilo; Remodelling; Th2; Asthma; ILC-2; Eosinophil; Remodelling; Th2
Issue Date: 7-Jun-2021
Serial title, monograph or event: Células Linfoides Inatas do tipo 2 na Asma com inflamação T-2
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: Asthma is a condition with a relevant impact on public health. It’s incidence and prevalence are increasing, in all developed societies. Despite being present in all age groups, it tends to focus more on pediatric groups and young adults. It is a very heterogeneous disease, sustained by numerous pathogenic mechanisms and, therefore, with multiple phenotypes and endotypes. During the last decade, the identification of a cell group belonging to the immune system - the innate lymphoid cells (ILCs) has proved to be preponderant for a better explanation and understanding of innumerable inflammatory profiles in chronic, allergic and oncological diseases. ILCs reside in structures immediately below some of the epithelial barriers, namely the mucosa of the airways, gastrointestinal tract and skin, among others. All ILCs have a similar morphology to lymphocyte cells, but no markers of cell lineage on their surface are identifiable. They are subdivided into at least 3 large subgroups: ILC-1, ILC-2 and ILC-3. In asthma and more precisely in the patient with eosinophilic asthma, ILC-2 contribution has been a constant object of study nowadays. In fact, some alarmins (IL-25, IL-33 and TSLP) released following an attack on the epithelial cell are potent activators of ILC-2, which in turn are characterized by a cytokine profile very similar to Th2 cells, the last ones overexposed in the mucosa of the asthmatic patient. Since they are considered absolutely critical at the interface between the environment and the bronchial mucosa, the knowledge of ILCs appears to us to be fundamental for a better clarification of the elective pathogenic mechanism underlying each phenotype, endotype and degree of severity. In this context, a better characterization of these cells can lead us to find new therapeutic targets, thus allowing an optimization of the inflammatory and clinical control of asthma. With this work, we intended to do an updated review of the cell biology involved, of the mandatory activation factors and of the articulation and modulation between cells residing in the mucosa and other effector cells of the inflammation, namely the dendritic cells, different lymphocytic cells and as eosinophilic cells.
A asma é uma patologia com um impacto relevante na saúde pública. Apresenta uma prevalência e incidência crescentes, em todas as sociedades desenvolvidas. Apesar de estar presente em todas as faixas etárias, tende a incidir mais sob os grupos pediátricos e adultos jovens. Trata-se de uma doença muito heterogénea, sustentada por inúmeros mecanismos patogénicos e, por conseguinte, com múltiplos fenótipos e endótipos. Durante a última década, a identificação de um grupo celular pertencente ao sistema imunitário – as células linfoides inatas (innate lymphoid cells – ILCs) mostrou-se preponderante para uma melhor explicação e compreensão de inúmeros perfis inflamatórios em doenças crónicas, alérgicas e oncológicas. As ILCs são residentes em estruturas imediatamente abaixo de algumas das barreiras epiteliais, nomeadamente da mucosa das vias aéreas, do trato gastrointestinal e da pele, entre outras. Todas as ILCs apresentam uma morfologia semelhante à das células linfocitárias, não sendo, porém, identificáveis quaisquer marcadores de linhagem celular à sua superfície. Subdividem-se em, pelo menos, 3 grandes subgrupos: as ILC-1, as ILC-2 e as ILC-3. Na asma e mais precisamente no doente com asma eosinofílica, a contribuição das ILC-2 tem sido um objeto constante de estudo na atualidade. De facto, algumas alarminas (IL-25, IL-33 e TSLP) libertadas na sequência de uma agressão à célula epitelial são potentes ativadoras das ILC-2, que por sua vez se caraterizam por um perfil de citocinas muito semelhante ao das células Th2, células estas sobre-expostas na mucosa de muitos asmáticos. Uma vez que elas são consideradas absolutamente críticas na interface entre o meio ambiente e a mucosa brônquica, o conhecimento das ILCs surge-nos como fundamental para um melhor esclarecimento do mecanismo patogénico eletivo subjacente a cada fenótipo, endótipo e grau de gravidade. Neste contexto, a melhor caraterização destas células poderá direcionar-nos ao encontro de novos alvos terapêuticos, permitindo desta forma uma otimização do controlo inflamatório e clínico da asma. Com este trabalho pretende-se uma revisão atualizada da biologia celular envolvida, dos fatores críticos de ativação e da articulação e modulação entre as células residentes da mucosa e outras células efetoras da inflamação, nomeadamente as células dendríticas, diferentes populações linfocitárias e as células eosinofílicas.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/98415
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
TESE FINALISSIMA PDF (3).pdf1.12 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

39
checked on Aug 19, 2022

Download(s)

33
checked on Aug 19, 2022

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons