Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/98400
Title: Evolução da vacinação contra vírus influenza em determinados grupos de risco
Other Titles: THE EVOLUTION OF VACCINATION AGAINST VIRUS INFLUENZA IN CERTAIN RISK GROUPS.
Authors: Andrade, Maria Inês Fonseca Sá
Orientador: Santiago, Luiz Miguel de Mendonça Soares
Keywords: Vacinação; Vírus Influenza; Sazonal; Cuidados de Saúde Primários; Vaccination; Influenza Virus; Seasonal; Primary Health Care
Issue Date: 9-Jun-2021
Serial title, monograph or event: EVOLUÇÃO DA VACINAÇÃO CONTRA VÍRUS INFLUENZA EM DETERMINADOS GRUPOS DE RISCO
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: Introdução: O vírus Influenza é responsável pela infeção de 3 a 5 milhões de pessoas anualmente. Apesar de, na grande maioria dos casos, a doença se apresentar de uma forma ligeira, está descrito na literatura o aumento da morbimortalidade associada a esta doença em certos grupos de risco. São poucos os fármacos disponíveis, e tendo a doença uma apresentação tão inespecífica, torna-se relevante a sua prevenção. A maneira mais eficiente de prevenir a infeção é através da vacinação. No entanto, a maioria dos países europeus continua com uma baixa proporção de inoculação da vacina nos vários grupos de risco.Métodos: Foi realizado um estudo observacional de um indicador pesquisado na plataforma on-line de acesso público BICSP: “Proporção de utentes com diabetes ou com doença respiratória crónica ou com doença cardíaca crónica ou com idade superior a 65 anos, com a vacina da gripe prescrita ou efetuada nos últimos 12 meses”. Foram recolhidos os valores do indicador em estudo relativos aos meses de dezembro de 2017 a 2020 a nível nacional, regional (ARS) e local (ACeS). Realizou-se estatística descritiva e inferencial. Foi usada uma fórmula para calcular as dinâmicas de crescimento dos vários anos entre os ACeS, as ARS’s e a nível nacional, “(Indicador – Indicador de data anterior) / Indicador de data anterior”.Resultados: Os valores do indicador ao longo dos anos em estudo aumentaram globalmente nos vários domínios nacional, regional e local. No ano de 2020, a nível nacional, o indicador atingiu os 51,53%. Em 2020, a ARS Norte foi a que teve um melhor indicador (60,14%) e a ARS Algarve a que teve um pior indicador (40,48%). A ARS Alentejo surge como a que mais cresceu e a ARS Centro como a que menos cresceu no mesmo período de tempo. De todos os ACeS estudados, apenas num o indicador diminuiu, o ACeS Oeste Norte.Discussão e Conclusão: Apesar do significativo aumento do indicador nos anos em estudo, não deixa de ser relevante a baixa de proporção da prescrição e inoculação da vacina nestes grupos de risco em Portugal. Assim, é necessária a adoção de medidas que sucessivamente levem a maiores valores da inoculação da vacina contra o vírus Influenza, particularmente nos grupos de risco, no sentido a cada ano ir diminuindo cada vez vais a morbimortalidade.
Introduction: The Influenza virus is responsible for the infection of 3 to 5 million people annually. Despite, the majority of the infections presents themself in a mild way, literature shows that in certain risk groups, the associated morbidity and mortality is higher. Few drugs are available and as the disease has such a nonspecific presentation, prevention becomes relevant. The most efficient way to prevention is vaccination. However, in most countries of Europe, the proportion of vaccine inoculation in this risk groups remains low.Methods: It was performed an observational study of an indicator researched on the on-line public access platform BICSP: “proportion of people with diabetes or chronic respiratory disease or chronic heart disease or older than 65 years old, with prescribed or administered vaccine in the last 12 months”. The values collected were of the months of December of the years of 2017 to 2020 at national, regional (ARS) and local (ACeS) levels. It was used a formula to calcule growth dynamics of the years between the ACeS, the ARS’s and national level: “(Indicator – previous date indicator) / previous date indicator”.Results: The values over the years have increased globally in national, regional and local domains. In 2020, the national indicator reached 51,53%. In the same year, ARS Norte had the best indicator (60,14%) and ARS Algarve had the worst indicator (40,48%). ARS Alentejo stood out as the one that grew the most and ARS Centro as the one that grew least in the same period of time. Of all the ACeS studied, only one indicator decreased in this period of time, ACeS Oeste Norte.Discussion and Conclusion: Despite the significant increase in the indicator in the years under study, it is clear that the proportion of prescription and inoculation of this vaccine in this risk groups remains very low. It is necessary to adopt specific measures that successively lead to higher values of vaccine inoculation against Influenza virus, especially in high-risk groups, to achieve values of morbidity and mortality lower each time.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/98400
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Trabalho Final - Maria Inês Andrade.pdf530.22 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

26
checked on Aug 19, 2022

Download(s)

17
checked on Aug 19, 2022

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons