Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/98384
Title: Relação entre as Perturbações do Comportamento Alimentar e os Regimes Alimentares Alternativos
Other Titles: Relationship between Eating Disorders and Alternative Food Regimen
Authors: Raposo, Sara Filipa Machado
Orientador: Teixeira, Maria Del Carmen Bento
Fonseca, Paulo Alexandre da Silva
Keywords: Perturbações do Comportamento Alimentar e da Alimentação; Adolescentes; Vegetarianismo; Restrição Alimentar; Motivações para a seleção alimentar; Eating disorder; Adolescents; Vegetarianism; Restrained eating; Food choice motivations
Issue Date: 8-Jun-2021
Serial title, monograph or event: Relação entre as Perturbações do Comportamento Alimentar e os Regimes Alimentares Alternativos
Place of publication or event: Faculdade de Medicina, Universidade de Coimbra, Portugal
Abstract: Introdução: As Perturbações do comportamento alimentar e da alimentação (PCAA) constituem um grupo de distúrbios do foro psíquico, que englobam alterações patológicas dos hábitos alimentares e comportamentos reguladores de peso. A restrição alimentar que caracteriza algumas PCAA, assemelha-se à seleção alimentar que pode ocorrer em regimes alimentares alternativos, como é o caso das dietas vegetarianas. O vegetarianismo abrange um largo espetro de dietas com variados graus de restrições, sendo a sua definição discrepante na literatura. Considerando a seleção alimentar característica destes regimes dietéticos e a componente restritiva descrita nas PCAA, surge entre a comunidade clínica a hipótese de uma associação causal entre estes dois conceitos.Objetivos: Com este trabalho pretende-se analisar a relação entre as PCAA e o vegetarianismo, de modo a compreender se este regime alimentar alternativo constitui um fator precipitante, facilitador ou de manutenção de doença.Material e Métodos: Foi realizada uma pesquisa bibliográfica nas bases de dados eletrónicas PubMed, WebofScience e no repositório da Revista Portuguesa de Pediatria, dos últimos 10 anos.Desenvolvimento: Tendo em conta o aumento exponencial da incidência das PCAA em adolescentes a nível global e a sua elevada morbimortalidade, é essencial conhecer os seus fatores de risco, possibilitando o diagnóstico precoce. O vegetarianismo por se tratar de uma dieta restritiva e pelo aumento da sua popularidade entre os jovens adolescentes como modo de identificação pessoal, tem sido alvo de interesse entre a comunidade clínica. A inconsistência na definição do vegetarianismo e na caracterização dos seus subgrupos, continua a originar discrepâncias de resultados na investigação desta possível associação. As diferentes abordagens de estudo realizadas procuram: identificar o papel da motivação inicial para a adoção de uma dieta vegetariana; analisar o impacto dos diferentes graus de restrição alimentar na progressão para estes distúrbios; avaliar o momento de adoção de uma dieta alternativa e o início da sintomatologia, de modo a definir qual o evento precipitante e a sua consequência.Conclusões: Para conhecer uma possível relação entre as PCAA e o vegetarianismo, é necessário haver uniformidade na definição da população vegetariana e dos seus subgrupos, sendo imprescindível a avaliação individual de cada subpopulação. Estudos prospetivos longitudinais permitirão avaliar a influência do padrão motivacional e estabelecer o momento da adoção da dieta e o início da sintomatologia. A criação de escalas apropriadas para estas populações poderá contornar a sobrevalorização da restrição inerente destes regimes alimentares alternativos, como marco patológico das PCAA. Apesar das inconsistências da literatura, é atribuído um presumível risco para o desenvolvimento e/ou manutenção destes distúrbios nos indivíduos que adotem uma dieta semi-vegetariana, motivados pela perda de peso.
Introduction: Eating disorders constitute a part of a group of psychic disorders, which encompass phatological modifications of eating habits and self-conducted behaviors to regulate weight. The dietary restriction that caracterises PCAAs, resembles the food selection that occurs in alternative diets, such as vegetarian diets. Vegetarianism covers a wide spectrum of diets with varying degrees of restriction, which definition varies in the literature. Considering the food selection characteristic of these diets and the restrictive component described in PCAAs, the hypothesis of a causal association between these two concepts is emerging among the clinical community.Objectives: This study aims to analyze the relationship between PCAAs and vegetarianism, with the intent to comprehend if this alternative diet is a precipitating, facilitating or a disease maintenance factor.Material and Methods: A literature search was conducted in the electronic databases PubMed, WebofScience, and in the repository of the Revista Portuguesa de Pediatria from the last 10 years.State of the art: Acknowledging the global exponential increase in the incidence of PCAA in adolescents and its correlated high morbidity and mortality, it is essential to know the associated risk factors in order to enable an early diagnosis. Vegetarianism is a restrictive diet and due to its increasing popularity among adolescents as a mean of personal identification, it has been a matter of interest among the clinical community. The lack of consistency upon the definition of vegetarianism and the characterization of its subgroups continues to originate more discrepancies concerning the results of separate investigations on this possible association. The different study approaches aim to: identify the role of the initial motivation to adopt a vegetarian diet; analyze the impact of different degrees of dietary restriction in the evolution to these disorders; evaluate the moment of adoption of an alternative diet and the onset of symptoms, with a view to establish the precipitating event and its consequence.Conclusions: In order to know a possible relation between PCAA and vegetarianism, it is necessary to firstly grow uniformity concerning the definition of the vegetarian population and its subgroups, being essential the individual evaluation of each subgroup. Longitudinal prospective studies will allow to evaluate the influence of the motivational pattern and to establish the moment of adoption of the diet and the onset of symptoms. The development of appropriate scales for these populations may bypass the overestimation of the inherent restriction of these alternative diets as a pathological marker of PCAA. Despite inconsistencies in the literature, a presumed risk for the development and/or maintance of these disorders is attributed in individuals adopting a semi-vegetarian diet, motivated by weight loss.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/98384
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Trabalho Final - Sara Raposo.pdf811.98 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

24
checked on Aug 19, 2022

Download(s)

4
checked on Aug 19, 2022

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons