Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/98373
Title: Pediatric cataract surgery: outcomes in a large Portuguese cohort
Other Titles: Cirurgia de catarata pediátrica: resultados numa grande coorte Portuguesa
Authors: Barata, Sara Ramos
Orientador: Murta, Joaquim Carlos Neto
Keywords: Extração de Catarata; Vitrectomia; Complicações pós-operatórias; Opacificação da cápsula; Glaucoma; Cataract Extraction; Vitrectomy; Postoperative complications; Capsule opacification; Glaucoma
Issue Date: 19-May-2021
Serial title, monograph or event: Pediatric cataract surgery: outcomes in a large Portuguese cohort
Place of publication or event: Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
Abstract: INTRODUCTION: Pediatric cataract is one of the leading preventable causes of blindness worldwide. Timely diagnosis and treatment of the cataract are crucial to avoid irreversible visual effects. The visual axis opacification (VAO) is the most frequent complication arising from pediatric cataract surgery. According to most scientific evidence, an anterior and posterior continuous curvilinear capsulorhexis with anterior vitrectomy (AV) is recommended to prevent VAO. The necessity of its inclusion in the treatment of pediatric cataracts, however, is still questioned. Secondary glaucoma, one of the most feared complications, can occur at any moment after surgery, demanding a life-long follow-up. PURPOSE: To describe a large Portuguese pediatric cataract cohort and determine whether the VAO is prevented by AV and access glaucoma development. METHODS: A review of 340 eyes from 245 individuals of pediatric age who underwent pediatric cataract surgery at Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) between 1990 and 2019. A retrospective, non-interventional statistical analysis was carried. For sub-analysis of the impact of AV in OEV, need for reoperation or YAG-laser due to it, and occurance of inflammatory membranes, the sample was divided into 3 groups regarding age at surgery: < 2 years; 2 to 5 years; and >5 years. For sub-analysis of the association of glaucoma with age at surgery we considered 4 groups regarding age at surgery: <1 month, 1 to 12 months, 1 to 5 years, and >5 years; and 3 groups to study the association with follow-up duration: <1 year, 1 to 5 years, and >5 years; respectively. The association of glaucoma with primary intraocular lens implantation (pIOL) was studied. RESULTS: The median age at surgery was 39,33 months, with a mean follow-up time of 66,44 months. Most patients had congenital cataract (67,7% n=157) and 51,9 % were bilateral (n=123). Primary IOL implantation was performed in 55,7% (n=206) and was associated with lower glaucoma rates (1,1% vs 9,0%, p=0,001). Patients who underwent AV (76,5% of eyes, n=235) had lower postoperative complications and VAO rates (39,3% vs 65,3%, p=0,001 and 4,7% vs 16,8%, p=0,001, respectively) and less reoperation or YAG-laser rates due to VAO (3,4% vs 15,3%, p=0,001). Glaucoma (total incidence of 5,3%, n=18) was associated with premature surgery (p=0,005) - higher on the first month - and longer follow-up (p<0,001) – higher with 5 or more years of follow-up. CONCLUSION: The inclusion of anterior vitrectomy has proven to be a better approach to prevent postoperative complications, visual axis opacification, and the need for reoperation or YAG-laser due to this complication. A lifelong follow-up is crucial to evaluate the long-term outcomes and late complications, namely glaucoma.
INTRODUÇÃO: A catarata pediátrica constitui uma das principais causas de cegueira prevenível a nível mundial. Um diagnóstico e tratamento atempados são cruciais para evitar defeitos visuais irreversíveis. A opacificação do eixo visual (OEV) é a complicação mais frequente da cirurgia de catarata pediátrica. Atualmente e de acordo com a maioria da evidência científica, recomenda-se a realização de capsulorrexis circular curvilínea posterior com vitrectomia anterior (VA), até aos 5 anos, por prevenir a OEV. No entanto, a necessidade da sua inclusão no tratamento ainda é questionada. O glaucoma, é uma das complicações mais temidas e pode surgir a qualquer momento após a cirurgia exigindo vigilância a longo prazo. OBJETIVO: Descrever uma coorte portuguesa em idade pediátrica submetida a cirurgia de catarata, e determinar se a VA previne a OEV e avaliar o desenvolvimento de glaucoma. MÉTODOS: Foram avaliados 340 olhos de 245 indivíduos em idade pediátrica submetidos a cirurgia de catarata pediátrica no CHUC entre 1990 e 2019. A amostra foi alvo de uma análise estatística retrospetiva, não intervencional. Para análise do impacto da VA na OEV, consequente necessidade de reoperação ou YAG-laser, e desenvolvimento de membranas inflamatórias, a amostra foi dividida em 3 grupos de acordo com a idade na cirurgia: <2 anos; 2 a 5 anos; e >5 anos. Foi estudada a associação de glaucoma com a idade na cirurgia tendo em conta 4 grupos: <1 mês, 1 a 12 meses, 1 a 5 anos, e >5 anos; e com a duração do follow-up tendo em conta 3 grupos: <1 ano, 1 a 5 anos, e >5 anos. A associação de glaucoma com a implantação primária de lente intraocular foi estudada. RESULTADOS: A mediana da idade aquando da cirurgia foi 39,22 meses e a média do follow-up 66,44 meses. A etiologia foi maioritariamente congénita (67,7% n=157) e 51,9 % tinha catarata bilateral (n=123). Foi implantada lente intraocular primária em 55,7% (n=206), estabelecendo-se a sua associação com menor incidência de glaucoma (1,1% vs 9,0%, p=0,001). Verificou-se a associação de VA (76,5% dos olhos, n=235) com menor incidência de complicações pós-operatórias e OEV (39,3% vs 65,3%, p=0,001 e 4,7% vs 16,8%, p=0,001, respetivamente) e menor necessidade de reoperação ou YAG-laser devido a OEV (3,4% vs 15,3%, p=0,001). A ocorrência de glaucoma está associada à realização de cirurgia mais cedo na vida (p=0,005), sendo mais elevada no primeiro mês de vida, e a maior duração do follow-up (p<0,001) – maior no grupo seguido por 5 ou mais anos. CONCLUSÃO: A realização de VA provou ser uma melhor abordagem para prevenção de complicações pós-operatórias, OEV, e diminuição da reoperação ou YAG-laser devido a esta complicação. A cirurgia da catarata pediátrica exige um follow-up continuo para avaliar os resultados a longo-prazo e as complicações tardias, nomeadamente o glaucoma.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/98373
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Pediatric cataract surgery - outcomes in a large Portuguese cohort.pdf358.83 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

8
checked on Aug 12, 2022

Download(s)

15
checked on Aug 12, 2022

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons