Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/98302
Title: Tendência da Incidência de Cancro Ginecológico em Portugal entre 2017 e 2019
Other Titles: Trend in the Incidence of Gynecological Cancer in Portugal between 2017 and 2019
Authors: Oliveira, Maria Carolina Monteiro
Orientador: Santiago, Luiz Miguel de Mendonça Soares
Keywords: Cancro da Mama; Cancro do Colo do Útero; Rastreio; Incidência; Medicina Geral e Familiar; Breast Neoplasm; Cervical Neoplasm; Screening; Incidence; General Practice/Family Medicine
Issue Date: 12-Nov-2020
Serial title, monograph or event: Tendência da Incidência de Cancro Ginecológico em Portugal entre 2017 e 2019
Place of publication or event: FMUC - MGF
Abstract: Introdução: O Cancro da Mama é um dos três cancros mais comuns em todo o mundo e o neoplasma feminino mais frequente. Afeta 1 em cada 9 mulheres e é a causa de mortalidade mais frequente na faixa etária dos 35 aos 55 anos na União Europeia. O Cancro do Colo do Útero é o segundo tumor ginecológico maligno mais frequente em mulheres portuguesas com menos de 50 anos. É causado por uma infeção persistente do vírus HPV, por isso é um cancro que pode ser prevenido regularmente com o rastreio. O seu desenvolvimento é silencioso. A plataforma BI-CSP reúne diversas informações sobre a atividade clínica nos Cuidados de Saúde Primários em Portugal. O presente trabalho visa verificar tanto a relação entre a proporção de utentes com rastreio de Cancro da Mama realizado e a proporção de utentes com um novo diagnóstico de Cancro da Mama, como a relação entre a proporção de utentes com rastreio de Cancro do Colo do Útero realizado e a proporção de utentes com um novo diagnóstico de Cancro do Colo do Útero em Portugal nos anos de 2017, 2018 e 2019. Materiais/Métodos: A Matriz indicadora BI-CSP foi consultada e selecionados os indicadores 2013.044.01 FL, 2013.045.01 FL, MORB.243.01 FL e MORB.244.01 FL. Os anos 2017, 2018 e 2019 foram estudados em dezembro, para o total de cada ano, recolhendo dados pelo total nacional, pela Administração Regional de Saúde (ARS) e, nestes, pelo Agrupamento de Centros de Saúde (ACeS).Resultados: A nível nacional, a proporção de utentes rastreados para Cancro da Mama aumentou de 52,06% para 56,41% (∆+8,7%) entre 2017 e 2019 e para Cancro do Colo do Útero aumentou de 46,22% para 47,99% (∆+3,8%). A incidência de Cancro da Mama aumentou de 0,83‰ para 0,86‰ (∆+3,6‰) de 2017 a 2019. A incidência de Cancro do Colo do Útero aumentou de 0,10‰ para 0,11‰ de 2017 a 2018 e diminuiu de 0,11‰ para 0,10‰ de 2018 a 2019 (∆=0‰) de 2017 a 2019. Para o Cancro da Mama, apenas o ano de 2019 apresentou diferença estatisticamente significativa (p<0,001) na análise por região. No caso do Cancro do Colo do Útero, os anos de 2017, 2018 e 2019 apresentaram diferença estatisticamente significativa (p<0,001) na análise por região. Foram encontradas diferenças importantes entre as Administrações Regionais de Saúde (ARS) e nestes entre os Grupos dos Centros de Saúde (ACeS).Discussão: A nível nacional há ainda muito a fazer para aumentar o rastreio da população e reduzir as diferenças entre as regiões para a promover a equidade. Os bons exemplos de organização e procedimento devem ser seguidos de modo a aumentar os registos. É importante sensibilizar a população para a necessidade de exames, tanto por parte dos médicos como do público menos instruído.Conclusão: A proporção de utilizadores rastreados para o Cancro da Mama aumentou entre 2017 e 2019 de 52,06% para 56,41% (∆+8,7%) e para o rastreio de Cancro do Colo do Útero de 46,22% para 47,99% (∆+3,8%). Nesse período, a incidência do Cancro da Mama aumentou de 0,83‰ para 0,86‰ (∆+3,6‰) e para o Cancro do Colo do Útero manteve-se estável em 0,10‰ (∆=0‰).
Background: Breast cancer is one of the three most common cancers worldwide and the most frequent female neoplasm. It affects 1 in 9 women and it is the most frequent cause of mortality in the 35-55 age group in the European Union. Cervical cancer is the second most frequent malignant gynecological tumor in Portuguese women under 50 years old. It is caused by a persistent HPV infection, so it is a cancer that can be prevented regular with screening. Its development is silent.The BI-CSP platform gathers diverse information on clinical activity in Primary Health Care in Portugal. The present work aims to verify both the relationship between the proportion of users with breast cancer screening and the proportion of users with a new diagnosis of breast cancer, and the relationship between the proportion of users with cervical cancer screening performed and the proportion of users with a new diagnosis of cervical cancer in Portugal in the years 2017, 2018 and 2019.Materials/Methods: The BI-CSP Indicator Matrix was consulted and the indicators 2013.044.01 FL, 2013.045.01 FL, MORB.243.01 FL and MORB.244.01 FL were selected. The years 2017, 2018 and 2019 were studied on December for every year total, collecting data by National, Regional Health Administration (ARS) and, in these, by Health Centres Custers (AceS).Results: At a National level the proportion of screened users for breast cancer increased from 52.06% to 56.41% (∆+8,4%) between 2017 and 2019 and for cervical cancer increased from 46.22% to 47.99% (∆+3,8%). Breast cancer’s incidence increased from 0.83‰ to 0.86‰ (∆+3,6‰) from 2017 to 2019. Cervical cancer’s incidence increased from 0.10‰ to 0.11‰ from 2017 to 2018 and decreased from 0.11‰ to 0.10‰ from 2018 to 2019 (∆ =0‰) from 2017 to 2019). For breast cancer, only the year 2019 showed a statistically significant difference (p<0.001) in the analysis by region. In the case of cervical cancer, the years 2017, 2018 and 2019 showed a statistically significant difference (p<0.001) in the analysis by region. Important differences were found between Regional Health Administration and in these between Health Centres Custers.Discussion: There is still much to do in order to increase population screening and reduce differences between regions for equity. Good organizational and procedure examples must be followed to increase registries. It is important to raise populational awareness for the need for screening, both by doctors and the lay-public.Conclusion: The proportion of screened users increase from 2017 to 2019 for breast cancer was of 4,32% (∆+8,4%) and for cervical cancer of 1,77% (∆+3,8%). From 2017 to 2019 breast cancer’s incidence increased from 0.83‰ to 0.86‰ (∆+3,6‰) while cervical cancer’s was stable in 0.10‰ (∆=0‰).
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/98302
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Trabalho MIM Carolina Oliveira converttt.pdf1.32 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

30
checked on Aug 12, 2022

Download(s)

27
checked on Aug 12, 2022

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons