Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/96527
Title: A Qualidade de Vida e a Sintomatologia Depressiva em Adolescentes: o Efeito Moderador do Mindfulness
Other Titles: Quality of Life and Depressive Symptomatology in Adolescents: the Moderating Effect of Mindfulness
Authors: Pacheco, Sara Carolina Mendes
Orientador: Matos, Ana Paula Soares
Keywords: Adolescentes; Sintomatologia depressiva; Qualidade de vida; Autoperceção; Mindfulness; Adolescents; Depressive symptomatology; Quality of Life; Self-perception; Mindfulness
Issue Date: 28-Jul-2021
Serial title, monograph or event: A Qualidade de Vida e a Sintomatologia Depressiva em Adolescentes: o Efeito Moderador do Mindfulness
Place of publication or event: Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
Abstract: Vários têm sido os estudos que comprovam a relação entre a Qualidade de Vida (QdV) e a sintomatologia depressiva em adultos. Contudo, pouco se conhece sobre esta relação em indivíduos com idades mais jovens, e sobre quais as variáveis que a podem moderar. Neste estudo examinou-se o possível efeito moderador do mindfulness na relação entre o conceito de autoperceção da Qualidade de Vida (QdV) e a sintomatologia depressiva. 419 adolescentes, com idades entre os 14 e os 16 anos, preencheram questionários de autoresposta que avaliaram a sintomatologia depressiva, o mindfulness e a qualidade de vida. Os resultados da moderação revelaram que o mindfulness, nomeadamente as suas facetas Descrever e Agir com Consciência, moderaram a relação entre a QdV e a sintomatologia depressiva. O presente estudo concluiu que elevados níveis de mindfulness têm um papel amortecedor na relação entre a autoperceção e a sintomatologia depressiva.Vários têm sido os estudos que comprovam a relação entre a Qualidade de Vida (QdV) e a sintomatologia depressiva em adultos. Contudo, pouco se conhece sobre esta relação em indivíduos com idades mais jovens, e sobre quais as variáveis que a podem moderar. Neste estudo examinou-se o possível efeito moderador do mindfulness na relação entre o conceito de autoperceção da Qualidade de Vida (QdV) e a sintomatologia depressiva. 419 adolescentes, com idades entre os 14 e os 16 anos, preencheram questionários de autoresposta que avaliaram a sintomatologia depressiva, o mindfulness e a qualidade de vida. Os resultados da moderação revelaram que o mindfulness, nomeadamente as suas facetas Descrever e Agir com Consciência, moderaram a relação entre a QdV e a sintomatologia depressiva. O presente estudo concluiu que elevados níveis de mindfulness têm um papel amortecedor na relação entre a autoperceção e a sintomatologia depressiva.
There have been several studies that prove the relationship between Quality of Life (QoL) and depressive symptomatology in adults. However, little is known about this relationship in belonging to younger ages, and about which variables can moderate it. This study examines the possible moderating effect of mindfulness in this relationship, taking into account the concept of self-perception of Quality of Life (QoL) and depressive symptomatology. 419 adolescents, aged 14 to 16, completed self-report questionnaires that assessed depressive symptoms, mindfulness, and quality of life. The moderation results revealed that mindfulness, namely its Describe and Act with Consciousness facets, moderate the relationship between QoL and depressive symptomatology. The present study concluded that high levels of mindfulness have a dampening role in the relationship between self-perception and depressive symptomatology.There have been several studies that prove the relationship between Quality of Life (QoL) and depressive symptomatology in adults. However, little is known about this relationship in belonging to younger ages, and about which variables can moderate it. This study examines the possible moderating effect of mindfulness in this relationship, taking into account the concept of self-perception of Quality of Life (QoL) and depressive symptomatology. 419 adolescents, aged 14 to 16, completed self-report questionnaires that assessed depressive symptoms, mindfulness, and quality of life. The moderation results revealed that mindfulness, namely its Describe and Act with Consciousness facets, moderate the relationship between QoL and depressive symptomatology. The present study concluded that high levels of mindfulness have a dampening role in the relationship between self-perception and depressive symptomatology.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Psicologia apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
URI: http://hdl.handle.net/10316/96527
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
TESE - Versão Finalíssima.pdf878.61 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons