Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/96490
Title: O BEM-ESTAR PSICOLÓGICO DOS PAIS EM TEMPOS DE PANDEMIA: ESTUDOS DOS CORRELATOS SOCIODEMOGRÁFICOS E PSICOLÓGICOS EM PAIS DE CRIANÇAS EM IDADE PRÉ-ESCOLAR E ESCOLAR
Other Titles: THE PSYCHOLOGICAL WELL-BEING OF PARENTS IN TIMES OF PANDEMICS: STUDIES OF SOCIODEMOGRAPHIC AND PSYCHOLOGICAL CORRELATIONS IN PARENTS OF PRESCHOOL AND SCHOOL-AGE CHILDREN
Authors: Nunes, Mariana da Conceição Ferreira
Orientador: Moreira, Helena Teresa da Cruz
Canavarro, Maria Cristina Cruz Sousa Portocarrero
Keywords: Idade escolar e pré-escolar; parentalidade; COVID-19; Bem-estar psicológico; regime de trabalho; preschool and school age children; parenting; COVID-19; psychological well-being; work regime
Issue Date: 28-Jul-2021
Serial title, monograph or event: O BEM-ESTAR PSICOLÓGICO DOS PAIS EM TEMPOS DE PANDEMIA: ESTUDOS DOS CORRELATOS SOCIODEMOGRÁFICOS E PSICOLÓGICOS EM PAIS DE CRIANÇAS EM IDADE PRÉ-ESCOLAR E ESCOLAR
Place of publication or event: Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
Abstract: Objetivos: O presente estudo teve como objetivo compreender o impacto do regime de trabalho (teletrabalho, trabalhar fora de casa e não trabalhar) num conjunto de variáveis psicológicas (bem-estar psicológico, stress parental, culpa associada ao conflito trabalho-família e família-trabalho, e autocompaixão) de pais de crianças com idade igual ou inferior a 10 anos, em situação de confinamento obrigatório, aquando a primeira vaga da pandemia por COVID-19. Teve igualmente como objetivo investigar quais os preditores (sociodemográficos, relativos às características da residência e psicológicos) do bem-estar psicológico destes pais. Método: A amostra do presente estudo é constituída por 961 pais (98.2% de mulheres) com pelo menos um filho com idade compreendida entre 1 e 10 anos. A amostra foi recolhida, online, em maio de 2020, período correspondente ao primeiro confinamento implementado pelo Governo Português para controlo da pandemia por COVID-19. Resultados: Verificou-se que os pais que não se encontravam a trabalhar apresentaram níveis significativamente mais reduzidos de conflito trabalho-família do que os pais em teletrabalho e a trabalhar fora de casa. Adicionalmente, os pais em teletrabalho apresentaram níveis mais elevados de conflito família-trabalho e de autocompaixão do que os restantes pais. Observou-se também que ser do género masculino, avaliar a própria habitação como confortável, não ter um diagnóstico de perturbação psiquiátria, apresentar níveis mais baixos de stress parental e de culpa relacionada com a interferência do trabalho na família, bem como níveis mais elevados de autocompaixão predisseram de forma significativa níveis mais elevados de bem-estar psicológico. Conclusões: Os resultados deste estudo sugerem que o regime de teletrabalho tem um impacto particularmente significativo na culpa relacionada com o conflito trabalho-família. Os resultados permitem também identificar as variáveis que poderão funcionar como fatores protetores, ou de risco, para o bem-estar psicológico dos pais, durante situações de confinamento.
Objectives: This study aimed to understand the impact of work regime (teleworking, working outside home and not working) on a set of psychological variables (psychological well-being, parental stress, guilt associated with work-family and family-work conflict, and self-compassion) of parents of children aged 10 years or less, in a situation of confinement, at the time of the first wave of the pandemic caused by COVID-19. It also aimed to investigate which are the predictors (sociodemographic, related to the characteristics of the residence and psychological) of the psychological well-being of these parents. Method: The sample of the present study comprises 961 parents (98.2% women) with at least one child aged between 1 and 10 years. This sample was collected, online, in May 2020, period of first confinement implemented by the Portuguese Government for COVID-19’s pandemic control. Results: We found that parents who were not working had significantly lower levels of work-family conflict than parents in telework and working outside home. Additionally, parents in telework had higher levels of family-work conflict and self-compassion than the other parents. We also observed that being male, having a house rated as comfortable, not having a diagnosis of psychiatric disorder, having lower levels of parental stress and guilt related to the interference of work in the family, as well as higher levels of self-compassion predicted higher levels of psychological well-being. Conclusions: The results of this study suggest that the telework regime has a particularly significant impact on the guilt related to work-family conflict. The results also allow us to identify the variables that may function as protective or risk factors for the psychological well-being of parents during confinement situations.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Psicologia apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
URI: http://hdl.handle.net/10316/96490
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
tese - final_Mariana Nunes.pdf1.11 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons