Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/96488
Title: Development and Application of the European Portuguese Version of the Multidimensional Emotional Disorder Inventory
Other Titles: Desenvolvimento e Aplicação da Versão em Português Europeu do Inventário Multidimensional de Perturbações Emocionais
Authors: Pereira, Bárbara Gomes
Orientador: Pereira, Marco Daniel de Almeida
Canavarro, Maria Cristina Cruz Sousa Portocarrero
Keywords: perturbações emocionais; fiabilidade; transdiagnóstico; validade; emotional disorder; reliability; transdiagnostic; validity
Issue Date: 9-Jul-2021
Serial title, monograph or event: Development and Application of the European Portuguese Version of the Multidimensional Emotional Disorder Inventory
Place of publication or event: Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
Abstract: Devido ao crescente apoio dado às abordagens transdiagnósticas na saúde mental, torna-se importante ter um único instrumento que avalie brevemente as dimensões transdiagnósticas das perturbações emocionais. Neste estudo apresentamos os estudos de validação em Português Europeu do Multidimensional Emotional Disorder Inventory (MEDI), um questionário de autorresposta que avalia as nove dimensões transdiagnósticas empiricamente apoiadas e propostas no perfil de Brown e Barlow (2009) para a classificação das perturbações emocionais: temperamento neurótico, temperamento positivo, humor depressivo, ativação autonómica, ansiedade somática, ansiedade social, cognições intrusivas, reexperienciamento traumático e evitamento. A estrutura fatorial, fiabilidade e validade do MEDI foram avaliadas numa amostra comunitária (N = 515), maioritariamente do sexo feminino (63.3%) e com uma idade média de 26.18 anos. Para além do MEDI, os participantes completaram os seguintes questionários de autorresposta: Inventário de Sintomas Psicopatológicos (BSI), NEO-Five Factor Inventory (NEO-FFI), Questionário de Avaliação da Perturbação Pós Stress Traumático (PCL-C) e Questionário de Aceitação e Ação II(AAQ-II). A solução final de 49 itens revelou um bom ajustamento aos dados, apesar do CFI estar abaixo do limiar aceitável. As intercorrelações entre as dimensões foram no sentido esperado, e consistentes com as validações existentes. Todas as dimensões do MEDI apresentaram fiabilidade aceitável, com exceção da ansiedade somática, que se encontrou ligeiramente abaixo do limiar recomendado (.69). As correlações entre as dimensões do MEDI e as outras medidas apoiaram a validade convergente de todas as nove dimensões do MEDI. Apoiando a validade dos grupos conhecidos, os resultados demonstraram que o MEDI é capaz de discriminar entre indivíduos em risco de perturbação emocional e aqueles que não estão em risco, com base no ponto de corte do Índice de Sintomas Positivos (ISP ≥ 1.7). Dado que as perturbações emocionais são prevalentesem Portugal, o MEDI torna-se extremamente útil em contextos clínicos e de investigação, na medida em que proporciona uma avaliação eficiente de vários traços e fenótipos de perturbações emocionais bem estabelecidos.
Due to the growing support given to the transdiagnostic approaches in mental health, it becomes important to have an instrument that uniquely and briefly assesses the transdiagnostic dimensions of emotional disorders. In the current study, we presented the European Portuguese validation studies of the Multidimensional Emotional Disorder Inventory (MEDI), a self-reported questionnaire that assesses nine empirically supported transdiagnostic dimensions proposed in the Brown and Barlow (2009) profile approach to the classification of emotional disorders: neurotic temperament, positive temperament, depression mood, autonomic arousal, somatic anxiety, social anxiety, intrusive cognitions, traumatic reexperiencing and avoidance. The MEDI factor structure,reliability, and validity was evaluated in a community sample (N = 515), mostly female (63.3%) and with a mean age of 26.18 years. In addition to the MEDI, participants also completed the following self-reported measures: Brief Symptom Inventory (BSI), NEO-Five Factor Inventory(NEO-FFI), Posttraumatic Stress Disorder Checklist – Civilian Version (PCL-C); and Acceptance and Action Questionnaire-II (AAQ-II). The final 49-items solution fit the data well, despite the CFI below the acceptable threshold. Intercorrelations among dimensions were in the expected direction, and consistent with existing validations. All dimensions of the MEDI had acceptable reliability, with the exception of somatic anxiety, which was slightly below the recommended threshold (.69). The correlations between the nine MEDI dimensions and other relevant measures supported the convergent validity of all dimensions. Supporting the known-groups validity, the results demonstrated that the MEDI was able to discriminate between the individuals at risk for emotional disorder and those who were not at risk, based on the Positive Symptom Distress Index cutoff point (PSD ≥ 1.7) from the BSI. Considering that emotional disorders are prevalent in Portugal, the MEDI becomes particularly useful in clinical and research settings, as it provides an efficient assessment of several well-established emotional disorder traits and phenotypes.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Psicologia apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
URI: http://hdl.handle.net/10316/96488
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
Tese_ UC_Bárbara_Pereira_Final.pdf671.29 kBAdobe PDFEmbargo Access    Request a copy
Show full item record

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons