Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/96399
Title: Estudantes de comunicação social em Portugal - Expectativas e perspetivas sobre jornalismo
Authors: Miranda, João
Camponez, Carlos
Keywords: jornalismo; estudantes; ensino; comunicação social; inquérito; Portugal
Issue Date: 2021
Publisher: SOPCOM - Associação Portuguesa de Ciências da Comunicação
Serial title, monograph or event: Estudantes de comunicação social em Portugal - Expectativas e perspetivas sobre jornalismo
Abstract: O presente estudo é um contributo para a caraterização dos estudantes que ingressam nas licenciaturas e mestrados das áreas de jornalismo e comunicação social, em Portugal. Procurou-se identificar algumas caraterísticas sociográficas dos estudantes, assim como aspetos relacionados com motivações que os levaram a escolher o jornalismo e a comunicação social como áreas de formação superior, as suas expectativas a respeito do seu futuro profissional e os seus hábitos de consumo de informação jornalística. Neste quadro, conferiu-se igualmente particular atenção ao entendimento que os estudantes têm do jornalismo e do papel dos jornalistas na sociedade. Ao escolher como objeto de estudo os estudantes que frequentam os cursos de jornalismo e comunicação social do ensino superior universitário e politécnico pretende-se conhecer o campo de onde serão recrutados, maioritariamente, os novos profissionais que integrarão as redações dos media, em Portugal, como indicam estudos mais recentes realizados sobre a profissão. Não obstante os contributos de investigações mais específicas, como as de Lopes et al. (2020), Gradim & Morais (2017), de Marinho (2012) ou de Marinho & Pinto (2004), em Portugal, pouca atenção tem sido prestada ao estudo das motivações, expectativas e representações dos estudantes de jornalismo, antes de entrarem na profissão. A importância dedicada ao estudo desta realidade relaciona-se não apenas com o facto de o ensino superior de jornalismo e comunicação social, em Portugal, constituir uma das principais fontes de recrutamento de novos jornalistas, mas também com a noção de que a formação pode ser um espaço sensível de definição do perfil de futuros profissionais. De resto, como sugerem vários estudos sobre a realidade do ensino superior em jornalismo e comunicação social, o sistema de formação pode ser um lugar de observação particular das transformações em curso, quer a montante, quer a jusante do campo profissional, não deixando de refletir as próprias tensões intrínsecas ao campo dos media. O estudo realizado visa, pois, contribuir para o conhecimento desta realidade e teve por base um inquérito por questionário aplicado aos estudantes matriculados, durante o ano letivo de 2020-2021, em 38 licenciaturas e mestrados das áreas de jornalismo e comunicação social, registados na Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES) e na Direção-Geral do Ensino Superior (DGES). O inquérito, de administração direta, foi aplicado entre os dias 22 de outubro e 11 de dezembro de 2020 e contou com a colaboração de docentes e diretores dos cursos envolvidos, aos quais gostaríamos de agradecer, de forma particular, o empenho e disponibilidade na concretização dos objetivos deste estudo. A apresentação dos resultados começa com um enquadramento geral do estudo, inserindo-o numa leitura global sobre as transformações em curso no jornalismo e as problemáticas acerca da formação dos jornalistas. De seguida, entra-se no campo específico do inquérito, começando por explicitar os objetivos, os aspetos metodológicos e a caracterização da amostra que serve de base aos dados recolhidos. Os resultados do inquérito foram organizados tendo por base as perceções dos alunos sobre o ensino superior em jornalismo, os seus hábitos de consumo de informação jornalística, as representações sobre o lugar do jornalismo na sociedade contemporânea e sobre o papel dos jornalistas e, finalmente, as expetativas dos estudantes relativamente ao que será o seu futuro profissional na área. No final, realiza-se uma resenha dos resultados considerados mais marcantes, com o objetivo de evidenciar o que poderão ser as tendências da realidade estudada e as perspetivas de desenvolvimento futuro da pesquisa. Esta investigação realiza-se na linha dos estudos iniciados pela Rede Interuniversitária de Estudos sobre Jornalistas (RIEJ) e pretende ser um contributo para uma visão, necessariamente caleidoscópica, acerca dos jornalistas em Portugal. Nesse âmbito, convidámos também o Professor Joaquim Fidalgo a realizar um comentário sobre os resultados do estudo, em prefácio. Finalmente, mas não por fim, queremos agradecer a todos os estudantes que aceitaram participar no inquérito e sem os quais não seria possível garantir o sucesso deste estudo. Para eles e para o jornalismo que eles construirão no futuro, os melhores votos de sucesso, na certeza de que deles depende, em parte, o futuro das democracias.
URI: http://hdl.handle.net/10316/96399
ISBN: 978-989-99840-9-7
Rights: openAccess
Appears in Collections:FLUC Secção de Comunicação - Livros e Capítulos de Livros

Show full item record

Page view(s)

123
checked on Jul 1, 2022

Download(s)

66
checked on Jul 1, 2022

Google ScholarTM

Check

Altmetric


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.