Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/96396
Title: Os Efeitos da Cirurgia de Implante Coclear no Sistema Vestibular e no Equilíbrio Postural
Authors: Araújo, Maria Inês Cardoso
Orientador: Rama, Luís Manuel Pinto Lopes
Paiva, António Manuel Diogo
Keywords: Implante coclear; Sistema vestibular; Equilíbrio postural; Sintomas vestibulares; Reabilitação vestibular
Issue Date: 2-Jul-2021
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: Introdução: O implante coclear (IC) é uma opção terapêutica para reabilitar indivíduos com perda auditiva, que não beneficiam com o uso de aparelhos auditivos convencionais. Este implante estimula diretamente o nervo auditivo, com o objetivo de proporcionar sensação auditiva e compreensão da fala. Segundo a literatura, o facto de os sistemas vestibular e coclear partilharem a mesma origem anatómica e embriológica, faz com que exista uma estreita relação entre a perda de audição e a deterioração da função vestibular, mesmo antes da cirurgia de IC. Apesar do IC não interferir diretamente com o sistema vestibular, são vários os estudos que mencionam a incidência de sintomas vestibulares e a modificação do funcionamento do sistema vestibular após a cirurgia. Objetivo: O objetivo geral desta tese consiste em caracterizar a população candidata à cirurgia de IC e comparar os sintomas e o comportamento do sistema vestibular e do equilíbrio postural antes e após a cirurgia. Adicionalmente, pretende-se avaliar o benefício de um programa de reabilitação vestibular nos indivíduos que apresentaram sintomas vestibulares após a intervenção cirúrgica. Amostra: Nos dois primeiros estudos a amostra foi constituída por 28 indivíduos adultos de ambos os sexos, com perda auditiva bilateral severa a profunda, submetidos à cirurgia de IC unilateral. No terceiro estudo a amostra foi constituída por sete indivíduos que apresentaram sintomas vestibulares com duração superior a duas semanas após a intervenção cirúrgica. Metodologia: Nesta investigação foram recolhidos dados comportamentais onde se analisaram a prevalência e a incidência de sintomas vestibulares e também o grau de incapacidade que esses sintomas provocavam em cada indivíduo (DHI). Para avaliar o comportamento do sistema vestibular, realizou-se a pesquisa do nistagmo espontâneo, o teste da cadeira rotatória e o teste calórico. Para estudar dos órgãos otolíticos recorreu-se ao cVEMP, ao oVEMP e ao teste da VVS. Na avaliação do equilíbrio postural, realizou-se o mCTSIB, o teste LE, o teste de Romberg modificado e o teste de Fukuda-Unterberger. No terceiro estudo foi aplicado um programa de reabilitação vestibular (RV) individualizado, que teve a duração de duas a seis semanas. Resultados: Neste estudo, os canditados a IC apresentaram uma heterogeneidade na etiologia da perda auditiva, prevalecendo a idiopática. 53.6% referiu já ter experienciado pelo menos um épisódio de vertigem, com 14.3% a associar a vertigem à perda de audição e à presença de zumbido. No dia anterior à cirurgia foram referidos sintomas vestibulares em 21.4% da amostra, aumentando para 64.3% após a intervenção cirúrgica. Verificou-se um aumento significativo dos valores do DHI. Na avaliação vestibular registou-se, após IC, uma perda significativa da frequência do cVEMP e do oVEMP, no ouvido implantado (p< 0.001 e p= 0.004) e na inclinação angular no teste VVS (p=0.001). Na prova calórica também se verificou um aumento do défice vestibular (p=0.034) no ouvido implantado. Na avaliação do equilibrio postural, foi registada uma melhoria do desempenho do equilíbrio, com diferenças na segunda condição do mCTSIB (p=0.022). Contudo, os indivíduos com sintomas vestibulares, apresentaram pior prestação nas últimas duas condições do mCTSIB. No terceiro estudo verificou-se que os indivíduos que foram submetidos a um programa de RV apresentaram diferenças em todas as condições do mCTSIB e do DHI. Conclusões: A maioria dos candidatos a IC apresentou um comprometimento da função vestibular e um défice no desempenho no equilíbrio postural. Após a cirurgia, verificou-se um aumento dos sintomas vestibulares, com maior intensidade na primeira semana. As estruturas vestibulares com maior deterioração foram os órgãos otolíticos, seguidos dos CSCs horizontais, principalmente no ouvido implantado. Os indivíduos que se encontravam assintomáticos após IC, apresentaram uma melhoria do equilíbrio postural. Os indivíduos submetidos a terapia de RV melhoraram o seu desempenho do equilíbrio postural e a sua qualidade de vida, sugerindo que esta terapia acelerou os mecanismos relacionados com a compensação vestibular.
Introduction: The cochlear implant (CI) is a therapeutic option to rehabilitate individuals with hearing loss, who do not benefit from the use of conventional hearing aids. This implant directly stimulates the auditory nerve, in order to provide auditory sensation and speech understanding. According to the literature, the fact that the vestibular and cochlear systems share the same anatomical and embryological origin, there is a close relationship between hearing loss and deterioration of vestibular function, even before CI surgery. Although the CI does not directly interfere with the vestibular system, there are several studies that mention the incidence of vestibular symptoms and the change in the functioning of the vestibular system after surgery. Objectives: The general objective of this thesis is to characterize the candidate population for CI surgery and to compare the symptoms and behavior of the vestibular system and postural balance before and after surgery. Additionally, it is intended to evaluate the benefit of a vestibular rehabilitation program in individuals who presented vestibular symptoms after the CI intervention. Sample: In the first two studies, the sample consisted of 28 adult individuals of both sexes, with severe to profound bilateral hearing loss, who underwent unilateral IC surgery. In the third study, the sample consisted of 7 individuals who had vestibular symptoms lasting more than two weeks after the surgical intervention. Methodology: In this investigation, behavioral data were collected to analyze the prevalence and incidence of vestibular symptoms and the degree of disability that these symptoms caused in each individual (DHI). To assess the behavior of the vestibular system, a search for spontaneous nystagmus, the rotary chair test and the caloric test were performed. To study otolithic organs, cVEMP, oVEMP and the VVS test were used. In the assessment of postural balance, the mCTSIB, the LE test, the modified Romberg test and the Fukuda-Unterberger test were performed. In the third study, an individualized vestibular rehabilitation (VR) program was applied, which lasted between two to six weeks. Results: In this study, individuals with CI presented heterogeneity in the etiology of hearing loss, with an idiopathic prevalence. 53.6% reported having experienced at least one episode of vertigo, with 14.3% associating vertigo with hearing loss and the presence of tinnitus. The day before surgery, vestibular symptoms were reported in 21.4% of the sample, increasing to 64.3% after the surgical intervention. There was a significant increase in DHI values. In the vestibular evaluation, a significant loss of frequency of cVEMP and oVEMP was recorded after CI, in the implanted ear (p <0.001 and p = 0.004) and in the angular inclination in the VVS test (p = 0.001). The caloric test also showed an increase in vestibular deficit (p = 0.034) in the implanted ear. In the assessment of postural balance, there was an improvement in balance performance, with differences in the 2nd condition of mCTSIB (p = 0.022). However, individuals with vestibular symptoms showed worse performance in the last two conditions of mCTSIB. In the third study, it was found that individuals who underwent an RV program showed differences in all conditions of mCTSIB and DHI. Conclusions: Most of the candidates for CI showed impaired vestibular function and a deficit in performance in postural balance. After surgery, there was an increase in vestibular symptoms, with greater intensity in the first week. The vestibular structures with the greatest deterioration were the otolithic organs, followed by horizontal CSCs, mainly in the implanted ear. Individuals who were asymptomatic after CI showed an improvement in postural balance. Individuals undergoing VR therapy improved their postural balance performance and quality of life, suggesting that this therapy accelerated the mechanisms related to vestibular compensation.
Description: Dissertação de Doutoramento em Ciências do Desporto, ramo Atividade Física e Saúde, orientada pelo Professor Doutor Luís Manuel Lopes Rama e pelo Professor Doutor António Diogo de Paiva e apresentada à Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra.
URI: http://hdl.handle.net/10316/96396
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCDEF - Teses de Doutoramento
UC - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat
OsEfeitosdaCirurgiadeImplanteCoclearnoSistemaVestibularenoEquilíbrioPostural_PhD.pdf4.15 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

13
checked on Nov 26, 2021

Download(s)

3
checked on Nov 26, 2021

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.