Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/95431
Title: Power, Social Institutions, and Identity in International Society: Theorizing Regional Order in the Post-Soviet Space
Authors: Gharji, Elham
Orientador: Simão, Licínia Maria dos Santos
Keywords: Regional Order; Ordem Regional; Russia; Post-Soviet Space; Regional International Society; English School theory; Rússia; Espaço Pós-Soviético; Sociedade Internacional Regional; Teoria da Escola Inglesa
Issue Date: 29-Apr-2021
Project: info:eu-repo/grantAgreement/EC/H2020/642709/EU
Abstract: Esta tese aborda o problema da relativa estabilidade autoritária da ordem regional pós-soviética e a primazia da Rússia neste espaço, desde o fim da União Soviética. A queda da União Soviética, em dezembro de 1991, inspirou argumentos como o do “fim da História”, antecipando que seria inevitável uma transformação democrática liberal no antigo espaço regional Soviético totalitário. Essa transformação poderia ter redefinido a ordem regional e as dinâmicas de poder no espaço pós-Soviético, integrando-o na sociedade internacional liberal ocidental. O colapso económico da Rússia e a derrota ideológica do comunismo no início da década de 1990 poderia, em teoria, permitir uma mudança das dinâmicas de poder regionais em benefício de novos atores globais e regionais. Contudo, quase três décadas após o colapso da União Soviética, uma transformação profunda parece não ter tido lugar na região, quer em termos de desenvolvimentos democráticos fundamentais, quer em termos de dinâmicas de poder, incluindo a primazia da Rússia na região. Ao invés, com algumas exceções como a Geórgia, a Moldova e a Ucrânia, a região reapareceu como uma fronteira ideológica entre a democracia e o autoritarismo, em que a Rússia assume a liderança regional. Porque é que, após o colapso da União Soviética, não mudaram, nem a ordem regional pós-Soviética autoritária, nem a primazia da Rússia nela? Esta tese aborda este problema com o objetivo de desenvolver uma nova explicação teórica para a primazia da Rússia e a relativa estabilidade autoritária da região, num contexto de fracasso da expansão da sociedade internacional liberal europeia para o espaço pós-Soviético, após o colapso da União Soviética. Com base na bibliografia teórica da Escola Inglesa das Relações Internacionais e, em particular, no conceito de sociedades internacionais regionais de Flockhart (2016), o estudo analisa a ordem regional pós-Soviética como uma sociedade internacional regional, identificando as normas constitutivas e os valores que definem a região, facilitam o reconhecimento social da Rússia enquanto potência e moldam a identidade da região vis-à-vis os elementos fundamentais da sociedade internacional global.
This thesis addresses a puzzle concerning the relative authoritarian stability of the post-Soviet regional order and Russia’s primacy in it after the dissolution of the Soviet Union. The fall of the Soviet Union in December 1991 inspired arguments such as the ‘End of History’, anticipating that a liberal democratic transformation in the former totalitarian Soviet regional space would become inevitable. Such a transformation could have redefined the regional order and the power dynamics in the former Soviet space by integrating it into the Western liberal international society. Russia’s economic collapse and the ideological defeat of communism in the early 1990s could in theory enable a shift in the region’s power dynamics in favour of new global and regional actors. However, almost three decades after the collapse of the Soviet Union, no profound transformation seems to have taken place in the region neither in terms of fundamental democratic developments nor in terms of power dynamics, namely Russia’s primacy in the region. Instead, with a few exceptions like Georgia, Moldova, and Ukraine, the region has re-appeared as an ideological frontline between democracy and authoritarianism, in which Russia assumes regional leadership. Why did the post-Soviet authoritarian regional order and Russia’s primacy in it not change after the collapse of the Soviet Union? This thesis tackles this puzzle by aiming to offer a new theoretical explanation for Russia’s primacy and the region’s relative authoritarian stability against the backdrop of the failure of expansion of the liberal European international society into the post-Soviet space following the collapse of the Soviet Union. Building on the literature from the English School theory of International Relations on the concept of regional international societies, specially Flockhart (2016), the study investigates the post-Soviet regional order in terms of a regional international society, identifying the constitutive norms and values that define the region, facilitate social recognition of Russia as a power, and shape the region’s identity vis-à-vis the global core international society.
Description: Tese no âmbito do Programa de Doutoramento em Relações Internacionais – Política Internacional e Resolução de Conflitos, apresentada à Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra.
URI: http://hdl.handle.net/10316/95431
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:FEUC- Teses de Doutoramento
UC - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
Elham Gharji 2020. PhD Thesis_Universitry of Coimbra. Final.pdf2.35 MBAdobe PDFEmbargo Access    Request a copy
Show full item record

Page view(s)

3
checked on Jul 23, 2021

Download(s)

1
checked on Jul 23, 2021

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.