Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/95268
Title: Visão e Controlo Motor: comportamento visual no lançamento de basquetebol
Authors: Marques, Rui Carlos Antunes
Orientador: Mendes, Rui Manuel Sousa
Dias, Gonçalo Nuno Figueiredo
Silva, Manuel João Coelho e
Keywords: Variabilidade; Controlo Motor; Eye Tracking; Lançamento em suspensão de basquetebol; Quiet Eye
Issue Date: 25-May-2021
Project: UIDB/50008/2020
CENTRO-07-CT62-FEDER-005012; ID: 64765
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: Este trabalho teve como objetivo analisar a importância da informação visual no lançamento em suspensão de basquetebol, investigando a influência que o nível de experiência dos atletas tem: nas estratégias de procura visual, no tempo de Quiet Eye (QE) e no tempo das fixações anteriores ao lançamento. A amostra foi constituída por vinte jogadores de basquetebol, divididos em dois grupos de dez atletas. Um grupo de dez jogadores experientes (atletas profissionais da primeira e segunda ligas portuguesas), com 27.6±3.7 anos de idade e 18.4±4.6 anos de prática, e outro, de dez jogadores inexperientes (jogadores sub16 das seleções distritais de Coimbra e Leiria), com 15.2±0.4 anos de idade e 7.1±2.5 anos de prática. Os participantes executaram o lançamento em suspensão, após receção da bola, do seu lado dominante, a 4.23m e a 6.80m do cesto. Foram realizados 5 lançamentos, em dez posições, previamente marcadas no solo, com ângulos de 0º, 45º, 90º, 135º e 180º em relação ao cesto (5 lançamentos a 6.80m e 5 lançamentos a 4.23m, em cada um dos ângulos de lançamento). Os movimentos dos olhos durante a realização dos lançamentos foram gravados com recurso a um sistema de rastreamento visual, que nos permitiu estudar os padrões de movimentos e de fixações do olhar dos participantes no decorrer do teste. Para a análise não linear dos dados, a variabilidade dos padrões de fixação foi estudada através da entropia visual, da entropia aproximada, da sample entropy e do expoente de Lyapunov. Para a análise dos dados e tratamento estatístico, a comparação entre jogadores experientes e inexperientes foi feita recorrendo ao teste T-Student, para amostras independentes. Ao nível da variabilidade dos padrões de movimentos visuais, os resultados obtidos permitem concluir que estes não variaram em função do nível de experiência dos atletas, nem em função da distância do lançamento em suspensão. Contudo, ao nível do tempo de QE, os resultados indicaram a existência de diferenças estatisticamente significativas entre os grupos etários analisados.
This work aimed to analyse the importance of visual information in the basketball jump shot, investigating the influence that the experience level of the athletes has in: the visual search strategies, the Quiet Eye (QE) duration and the duration of the fixations preceding the shot. The sample was composed of twenty basketball players, divided in two groups. The first group was composed of ten expert basketball players (professional athletes playing in the first and second Portuguese leagues) had 27.6±3.7 years of age and 7.1±2.5 years of experience and the second group, composed of 10 non-experts basketball players (under16 players belonging to two district level Portuguese teams from Coimbra and Leiria), with 15.2 ± 0.4 years of age and 7.1 ± 2.5 years of practice. The participants performed the jump shots after receiving the ball from their dominant side, at 4.23m and 6.80m from the basket. Five jump shots were made from each position, previously marked on the floor, with angles of 0º, 45º, 90º, 135º and 180º relative to the basket (5 jump shots at 6.80m and 5 jump shots at 4.23m at each throwing angle). In order to capture the eye movements, we used the visual tracking system which allowed us to study the participants’ gaze behaviour and fixations, during the test. For the non-linear analysis, the variability of gaze behaviour was studied through visual entropy, approximate entropy, sample entropy and Lyapunov’s exponent. For the data analysis and statistical treatment, the comparison between the expert and non-expert players was made using the T-Student test for independent samples. Regarding the variability of gaze behaviour, results allow us to conclude that these do not change according to the athlete’s level of expertise, nor according to the distance from the basket during the jump shot. However, concerning QE duration, results showed statistically significant differences between the age groups analysed.
Description: Tese de doutoramento em Ciências do Desporto, ramo de Treino Desportivo, apresentada à Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra.
URI: http://hdl.handle.net/10316/95268
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCDEF - Teses de Doutoramento
UC - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Tese_Rui carlos.pdf43.95 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

13
checked on Jul 23, 2021

Download(s)

8
checked on Jul 23, 2021

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.